sexta-feira, 15 de novembro de 2013

[Crítica] The Originals - 1x07: Bloodletting


"Minha maldade é autopreservação."

Review:
(Spoilers Abaixo)

Depois de uma sequência inabalável de episódios, The Originals apresenta o seu primeiro abaixo da média. Não me levem a mal, esse sétimo episódio foi muito bom, mas ficou abaixo do que estava esperando. E essa semana marcou justamente o primeiro crossover entre The Originals e The Vampire Diaries. Porém, como se pode imaginar, eu não estava nada ansioso para a introdução do Tyler na história. Tive a sensação do roteiro ter desconstruído tudo o que vimos nas semanas anteriores. Espero que a trama se renove nas próximas semanas, porque ela está passando por um caminho perigoso.

Agora, para os fãs, vamos falar de coisa boa. A CW encomendou uma temporada completa dessa série. Não chega a ser uma surpresa, é claro. The Originals tem apresentado uma audiência sólida e acima dos padrões da emissora. Essa semana conseguiu superar os números de Supernatural novamente. Para a surpresa de todos, a CW também garantiu uma temporada completa para suas outras estreantes, Reign e The Tomorrow People. O fato é que essas séries não têm uma grande audiência e a expectativa era de que alguma delas fosse cancelada para a estreia de novas séries na Mid-Season, como Star-Crossed. Mas o que importa mesmo é que todos estão felizes.

Voltando a falar do episódio dessa semana, vamos começar logo pelo Tyler. Quem é ele na noite? Há algum parasita no cérebro desse híbrido? Simplesmente não há sentido ele chegar do nada para enfrentar o Klaus. Primeiro que o Klaus é imortal e mais forte. Segundo que, se por acaso o Klaus morrer, o próprio Tyler - e todo o elenco principal de The Vampire Diaries - morre por tabela. Tramar a morte do Klaus é algo inútil, porque nunca irá acontecer. Não só porque ele é o protagonista, mas porque ele é a raiz central da série em que veio. Então eu nem preciso dizer o quanto foi desnecessária essa vingança pessoal do Tyler, certo?

E o mais decepcionante é que eu sabia que os roteiristas não teriam coragem de matar o lobinho nesse spin-off. Tyler é um personagem desnecessário e sua morte nesse episódio pelo menos teria sido notável. Morrer em uma missão de vingança suicida quase soa poético. Mas, como já sabia, o roteiro foi covarde e evitou isso, jogando basicamente a trama no lixo. Por que diabos o Klaus deixaria de matar o Tyler se ele oferece todos os riscos para ele e sua família? É uma situação que não faz o menor sentido. Esse lance de "não foi te matar porque não quero aliviar seu sofrimento" foi a coisa mais forçada que eu já vi nessa série. E no final, Tyler chega todo montado na Gossip Girl, trazendo os "bafos" mais quentes do Quartel para o Marcel. Bem feito!

Outra coisa que eu não estou conseguindo engolir é essa relação entre a Rebekah e o Marcel. Não é só pelo fato deles não terem química juntos, mas essa "atração" quebrou a evolução da Rebekah. Ela estava se tornando uma personagem forte e independente. Depois de séculos sendo torturada pelo seu irmão e sofrendo por homens, ela caiu na primeira armadilha que viu ela frente. Foi só o Marcel fazer um ato romântico para a Original se derreter e começar a tramar contra o seu irmão? Onde está a inteligência nisso? Eu ainda tenho a esperança de que a Rebekah está um passo na frente de todos, tramando pelas costas do Marcel para surpreender o irmão (apesar de extremamente improvável).

Por último temos a briga entre o Elijah e o Klaus. Nós sabemos que o Klaus não sabe resolver bem seus desentendimentos familiares. Basicamente ele enfia estacas nele e depois as tira quando tiver passado a raiva (leia-se décadas). Então não foi uma surpresa que ele tenha mordido o irmão ao sentir que estava sozinho novamente. Klaus de fato não sabia que sangue do bebê criaria novos híbridos. Mas a desconfiança do irmão e o fato dele estar conectado à Hayley trouxe à tona aquele sentimento de isolamento que ele sempre carregou. O laço familiar que vimos ser construído nos primeiros episódios foi destruído essa semana. Só espero que não demore muito para eles voltarem a ficar juntos.

PS. Gostei da amizade entre a Davina e o Vampiro Gay (não sei o nome dele). Ele estava aleatório na trama e suas cenas essa semana serviram para desenvolvê-lo um pouco melhor. É chance dele de conseguir ser mais do que um lacaio e ter o seu anel do dia.

PS². O plot envolvendo o Clube da Luta foi muito desperdiçado. Merecia ser o destaque de um episódio inteiro. A ideia é legal, pena que foi cortada tão cedo. Será que veremos mais sobre essa briga de vampiros eventualmente? Espero que sim.

 Qual é mesmo a primeira regra do Clube da Luta?
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário