domingo, 10 de novembro de 2013

[Crítica] Nothing Left to Fear


Direção: Anthony Leonardi III
Ano: 2013
País: EUA
Duração: 100 minutos
Título original: Nothing Left to Fear

Crítica:

Let us prey.

Não tenho como começar a falar sobre o filme sem mostrar meu descontentamento com o que poderia ser uma ótima história de terror. Mais uma vez, uma trama com grande potencial foi desenvolvida de uma forma insatisfatória. Detesto esses filmes que parecem ter uma boa premissa, mas acabam atirando no próprio pé. É justamente o que aconteceu nessa produção. O maior problema é do roteiro, que não estabiliza a trama, tornando-a arrastada e previsível. Mas antes de começarmos a falar sobre os detalhes em si, qual tal sabermos exatamente sobre o que o filme se trata?

A história gira em torno de um família que se muda para uma cidade pequena. Dan, o patriarca, foi chamado para ocupar uma vaga de pastor na comunidade. Sua mudança ocorre de forma tranquila, até que coisas estranhas começam a acontecer depois de uma das filhas do pastor passa a apresentar um comportamento estranho. Em paralelo a isso, a filha mais velha desenvolve um relacionamento com um garoto local, o que pode ser a única chance que ela tem se salvar sua família de um mal iminente. Não demora muito para eles descobrirem o que está acontecendo, e terão que lutar por suas vidas quando o demônio andar pela face da Terra em um formato muito familiar...

Antes de começarmos a falar sobre os pontos principais do filme, vamos para sobre a lenda sobre a qual o enredo se inspira. Desde já adianto que um simples texto é bem melhor do que todo o filme em si. A lenda é sobre a cidade Stull (anteriormente chamada Skull - crânio, em inglês -, o título foi alterado por causa de sua associação com magia negra), no Kansas, sobre um cemitério que seria uma das sete portas para o inferno. Segundo as histórias, esse é um dos poucos lugares da Terra em que o diabo se materializa. A lenda ganhou mais visibilidade depois que o Papa João Paulo II se recusou a sobrevoar a área, alegando que a mesma seria amaldiçoada. Para saber mais sobre a história local da cidade, clique AQUI.

Estão sentindo essa onda de Déjà vu? A relação dessa produção com a história em que se baseia é a mesma que a de O Mistério da Passagem da Morte. Nesses dois casos, suas tramas são baseadas em casos supostamente verdadeiros e intrigantes, mas suas adaptações ficaram muito abaixo das expectativas. O que mais me surpreende - negativamente - é que os roteiristas já têm a estrutura dessas histórias prontas. Ler sobre esses casos passa uma sensação tensa, então o enredo deveria aproveitar isso. Infelizmente, o roteiro desse filme não chega nem perto das matérias que li para fazer essa crítica. Nothing Left to Fear é mais uma história que não faz jus aos fatos.

E o pior é que a produção até que não é das piores. Há diversos efeitos visuais, principalmente depois que o demônio se apresenta. O diretor fez questão de manter essa "corrente" negra em volta da menina possuída, transformando o ambiente ao seu redor com um tom negro. É uma estética interessante, apesar de soar exagerada em alguns momentos. A aparência da garota possuída também está legal, mas poderiam ter feito uma mistura mais equilibrada de efeitos visuais com maquiagem. Obviamente houve o abuso de CGI, mas até que não é dos piores. Se alguém vai se incomodar com algo, será com a história em si.

Vocês acreditam que o filme demora pelo menos uma hora para começar a ser desenvolvido? Nesses primeiros 60 minutos somos obrigados a acompanhar um romance adolescente. E quando o terror toma conta da tela, eu queria que o romance voltasse, porque foi uma vergonha total. Em determinada momento a protagonista abandona (!!) o seu irmão pequeno. Até mesmo eu - que não tenho muita simpatia pelos personagens - achei um verdadeiro absurdo. E essas decisões absurdas dos personagens continuam até o desfecho previsível e insosso. Um verdadeiro desperdício, já que o enredo poderia ter focado mais no ritual satânico que trouxe o demônio do inferno.

PS. Todos lindamente protegidos em suas casas deixando os personagens principais para morrer? O que eles fazem? Choram? Por que ninguém tenta destruir aquelas portas a machadada? Se for para trazer o inferno na Terra, pelo menos coloque-o ao acesso de todos.


Trailer:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
2 Comentários

Comentário(s)

2 comentários:

  1. Vi a capa bonitinha, título bom e aí? Porquê não? Assisti o filme há três horas e agora procurei por críticas porque esse filme é uma completa desilusão. Só a parte introdutória leva mais que a metade do filme e a verdadeira acção vem nos últimos 20 minutos, acho que não sou o único que estava a espera da maldição ser quebrada nem? É muita coisa que vi naquele filme que dá preguiça escrever

    ResponderExcluir
  2. Não tenho nada a dizer um filme simplesmente horrível!!! Sem pé nem cabeça. Ridículo,atores hiper megamente ótimos não fazem ideia! Enredo de matar literalmente, deixou muito a desejar,chega até a ser cômico ...

    ResponderExcluir