quinta-feira, 28 de novembro de 2013

[Crítica] The Carrie Diaries - 2x04: Borderline


Estamos ultrapassando certos limites quando não correspondemos as expectativas?

Review: 
(Spoilers Abaixo)

The Carrie Diaries apresentou em Borderline o melhor episódio da temporada até agora. Fomos desde novos romances a rompimentos. E o mais impressionante no episódio: Dorrit estava realmente adorável, ou suportável. Foram os quarenta minutos que eu estava esperando na série, e mesmo que Samantha não tenha dado as caras no episódio, ele conseguiu ser realmente muito bom.

Quando Carrie está procurando cruzar o caminho de estagiária para escritora, ela seleciona dez assuntos que podem ajudá-la no seu objetivo, entre eles está o jovem escritor Adam Weaver (que está prestes a ganhar um Tony antes mesmo de terminar a faculdade). É nesse mesmo momento que temos a chegada de Blake, que está interessado em Walt. A principio, imaginamos que ele será um personagem importante para o desenrolar do relacionamento entre Walt e Bennet, e até foi, mas provavelmente ele não passa desse episódio.

Bennet e Walt estão juntos quando Blake o convida para sair, Walt fica sem reação a principio e não sabe se aceita ou não, até que Bennet simplesmente o joga para o encontro numa tentativa de deixar claro que os dois não são exclusivos. Logo em seguida temos Carrie falando para Larissa sobre seu plano de conseguir uma entrevista com Adam Weaver. Larissa fica realmente empolgada com a proposta e diz que se Carrie conseguir algo realmente bom com o escritor, ela terá sua primeira publicação na Interview Magazine. Bradshaw tem então a chance que estava esperando, mas um único problema: Adam nunca concedeu uma entrevista antes. É então que ela se ver numa situação um tanto complicada, por que seria ela a escolhida para entrevistá-lo pela primeira vez?

Ainda sem resposta, ela e Bennet vão para a leitura de uma peça do escritor. E é durante essa leitura que Carrie não se segura e começa a rir, enquanto todos estão a assistir seriamente a uma cena de funeral. O mais incrível? Até mesmo a risada de AnnaSophia lembra a de Sarah Jessica Parker. Quando a leitura da peça finalmente chega ao fim, do lado de fora do armazém, Adam sai para cumprimentar aos que estavam presentes no evento e é nesse momento que ele se aproxima de Carrie. É a oportunidade que ela tem para pedir desculpas por ter rido da situação e o explica porque riu. O fato é que Carrie estava certa em rir de tudo aquilo, era a intenção do autor fazer com que as pessoas rissem, mesmo que fosse um funeral. Adam fica encantado com Carrie. E Bennet se dar conta de que a entrevista realmente seria dela.

Em Castlebury, temos Sebastian que está sofrendo por amor e curando suas feridas com sexo. É então que me vem a dúvida: só eu achei esse envolvimento dele com a tal Vicki completamente inapropriado e até mesmo forçado? A cena do primeiro contato entre os dois e a forma como ela simplesmente se atira para cima dele não fez tanto sentido para mim. Talvez os roteiristas estivessem procurando uma forma de encaixar Sebastian nos episódios em que ele não aparecia ao lado de Carrie e essa foi a solução. Seria bem mais interessante que eles desenvolvessem a relação inacaba entre ele e Maggie, faria até mesmo mais sentido. Acredito que isso irá acontecer nos próximos episódios, pelo menos foi o que ficou sugerido nos momentos finais de Borderline.

A conversa entre Carrie e Adam continua num bar, onde ela tenta fazê-lo responder as perguntas que o faz e ele continua a mudar de assunto. É então que ela deixa claro que aquilo era uma entrevista e ela precisava das respostas, Adam percebendo que não tem mais saída faz um trato com ela: ele pensaria em contar algo sobre ele, se ela o contasse algo sobre ela. O jogo dele, as regras dele. Quando a noite chega ao fim, ela havia conseguido arrancar alguns fatos sobre o escritor, mas não o suficiente. Carrie comenta isso com Larissa e ela sugere que ela vá mais a fundo até conseguir algo realmente importante, e se fosse necessário que ela durmisse com ele para isso, ela devia fazer.

De volta a Castlebury, Carrie e Dorrit irão finalmente conhecer a namorada de Tom e seu filho. É durante esse encontro de famílias que Carrie descobre que Dorrit transou com Miller em sua cama e Dylan (filho de Deb) ver toda a cena entre as duas e a camisinha que Carrie segura, o garoto então passa a importuná-las ameaçando falar o que viu. O encontro acaba não saindo como o esperado e acarreta no rompimento entre Tom e Deb. Esse foi um dos momentos importantes para o episódio, porque desenvolveu a parceria entre as duas irmãs, isso acabou tornando Dorrit até mais aceitável.

Durante a noite na Big Apple, temos Bennet finalmente se dando conta de que seu relacionamento aberto com Walt não estava funcionando e se rende a exclusividade, tudo isso porque ele viu Walt e Blake juntos. Enquanto isso caminhando pelas ruas da cidade estão Carrie e Adam, que prefere ser chamado de Weaver. Os dois continuam a conversa que tiveram na noite passada e ele se abre com ela dizendo que não sentiu pela morte do irmão e que de alguma forma estava aliviado pelo que havia acontecido. Quando ele declara que isso o torna um monstro, Carrie discorda e decide que não irá escrever sobre ele. A pior parte dessa decisão é ter que contar a Larissa, que fica desapontada com a garota pela chance que ela acabara de desperdiçar.

O episódio chega ao fim com a cena em que Carrie declara que naquele momento ela não estava se importando com a chance que deixara para trás, para ela ficar com Weaver parecia o certo, e que todas as consequências valeriam a pena. Será? A resposta para tal pergunta teremos na crítica do próximo episódio, onde eu irei deixar clara a razão do meu questionamento. Nos vemos em Too Close For Comfort (título do próximo episódio).

PS: O episódio ainda apresentou uma pequena cena onde Mouse aparece, mas sem muita importância. Espero que eles encontrem uma forma de deixar a personagem mais em evidência na série, na primeira temporada todas as suas cenas eram cômicas e aproveitar mais dela seria positivo já que vejo em Mouse uma versão mais jovem de Charlotte.

PS²: A cena em que Sebastian aparece jogando Mario Bros me deu uma vontade imensa de jogar também. Já até baixei a versão para PC depois do episódio.

PS³: Para os fãs da série, assim como eu, tenho uma boa notícia. Mesmo com a audiência se mantendo quase a mesma que da primeira temporada, The Carrie Diaries tem grandes chances de renovação para a terceira temporada por conta do baixo custo dos episódios e da pequena quantidade deles por temporada.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário