quarta-feira, 20 de novembro de 2013

[Crítica] American Horror Story - Coven | 3x06: The Axeman Cometh

Ouvir Jazz ou morrer. Faça a sua escolha.

Review:
(Spoilers Abaixo) 

Alguém viu minha pontualidade por aí ou ela também foi retalhada pela serra-elétrica da pussycopata? Praticamente todos os dias sento na frente do notebook prometendo assistir minhas séries atrasadas, mas no final da noite, ao invés disso, percebo que só acumulei. Acabei de ver o episódio em questão – um dia antes da exibição do próximo, pra variar – e sabe lá Deus quando terei tempo para assistir o de amanhã. Bem, uma coisa é certa. Caso eu tenha problemas, pedirei para alguém assumir minhas reviews e não deixar vocês na mão.

Mas enfim, vamos seguir em frente. O episódio dessa semana foi centrado no Homem do Machado, um psicopata que assolou a cidade das bruxas em 1919 com a ousadia dos seus crimes. Há um interessante flashback onde as bruxas usam seus poderes para mata-lo na mansão, e então, pulamos novamente para 2013, o ano em que as descendentes de Sabrina, A Bruxa Adolescente, estão quase entrando em extinção. Mas também pudera, não é? Fiona é uma péssima Suprema que só se importa com ela mesma. Carminha só pensa em ter filhos. E as novas bruxas mal sabem se defender do perigo. Então, já era de se esperar que essa geração estivesse perdida.

A única que pode ajudar o clã das bruxas a se reerguer é a nossa pequena Zoe. Eu simplesmente adorei vê-la cortando os zumbis com uma serra elétrica, e fiquei me perguntando que tipo de habilidades ela possui, já que venceu até mesmo os poderes da Tia do Voodoo. O único problema é que ela não tem um pingo de cérebro naquela cabeça pura. Ao invés de aprender a mexer com magia e pensar nas consequências dos seus atos, ela simplesmente age por impulso. Primeiro trazendo Kyle de volta a vida, e agora, usando o tabuleiro de Ouija para descobrir o que aconteceu com Madison. Se ela tivesse assistido “Invocação do Mal”, saberia que esta é uma péssima ideia.
Bem, como eu já esperava, o Homem do Machado se aproveitou da inexperiência das bruxas para sair de sua prisão espiritual.  A partir do momento em que as garotas se comunicaram com o outro lado, ele deixou de ser um simples espírito e se tornou um poltergeist poderoso, capaz de arremessar objetos e tocar nas pessoas. Fiquei com pena foi da Carminha, viu. Não bastava ser cega, corna, quase órfã e estéril, tinha que sofrer nas mãos do Homem do Machado por causa da nova geração de beliebers Salem. Pode uma coisa dessas? Hahaha!

Pra fechar a semana com voodoo de ouro, Zoe ainda fez um feitiço para deixar o espírito vagar novamente entre os vivos. E ele já deve ter sua vingança planejada. Já foi ao bar, já encontrou Fiona, já deu sua cantada brega do século passado... Agora só falta destruir completamente o clã de bruxas que tirou sua vida. Apesar de ter odiado o novo personagem, ele nos foi de grande ajuda. Sem ele, Zoe nunca descobriria onde estava o corpo de Madison. E se nossa diva do desprezo hoje está viva, linda, ryca, desmemoriada e pedindo cigarros, é tudo graças a ele. E graças ao pode de ressurreição ta tia Misty.

Quanto aos outros personagens, não tenho muito a comentar. Descobrimos que o marido da Carminha é um super caçador de bruxas que é amigo da Marie, Kyle voltou para quebrar a casinha improvisada de Misty, e só. Não foi um dos melhores episódios de Coven até agora, mas sinceramente, não tem como não gostar. Só espero que o Homem do machado traga inovação e que essas bruxas aprendam de uma vez por todas que não se deve sair por aí fazendo merda adoidado, hein caralho! Depois não adianta reclamar que as bruxas estão entrando em extinção e culpar a Marie por todas as desgraças que acontecem. 

PS: Falta pouco pra Myrtle se curar! Vem quicando, vem mulher <3>
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário