sexta-feira, 11 de outubro de 2013

[Crítica] The Originals - 1x02: House of The Rising Son


Custe o que custar.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Já estamos no segundo episódio de The Originals, uma série que já é uma das minhas estreias favoritas dessa Fall Season. Vejo grande potencial na história. Seus personagens são extremamente falhos e têm um grande passado para ser explorado, o que não torna o enredo cansativo. Porém, antes de começar a falar sobre este segundo episódio, primeiro vamos comentar sobre a audiência. A série não tem sido um estouro em relações aos números, mas se mantém tranquilamente acima dos padrões da CW. De fato, a emissora já encomendou mais episódios não só dessa série como também de Tomorrow People (que marcou 0.8 na demo em sua estreia) e Reign (que sequer estreou ainda).

Esse segundo episódio de The Originals marcou 0.9 na demo e teve quase 2 milhões de espectadores. É um excelente número para o canal. Considerando que a audiência não caiu muito desde o primeiro episódio, é bem possível que a série se estabilize em torno desses números. Porém, não podemos afirmar isso com toda certeza. Algumas séries da CW tem histórico de estrearem com boa audiência e irem definhando com o passar das semanas, como Ringer e Nikita. Eu estou bastante confiante que essa série ganhe sua segunda temporada, afinal, ainda há muitas histórias para serem contadas, não é verdade? Mas não vamos falar de cancelamento/renovação ainda. Estamos apenas no começo da Fall e muita coisa pode mudar (espero que não!).

Apesar de praticamente ter feito apenas participações especiais ao telefone no primeiro episódio, a Rebekah simplesmente dominou essa semana. Ela chegou à Nova Orleans e já deixou uma trilha de corpos de vampiros lacaios para trás, bem no estilo da família Mikaelson. A trama da semana girou basicamente em torno dela, inclusive os flashbacks, que são sempre ótimas e ricos de conteúdo. Uma das personagens que eu mais gostava na série The Vampire Diaries era justamente da Rebekah. Sua história de vida é uma das mais sofridas das duas séries. Duvido que alguém consiga superá-la em matéria de sofrimento. E, com os flashbacks dessa semana vimos há muito mais para ser visto.

O enredo foi inteligente ao colocar um passado entre a Rebekah e o Marcel. Ele está começando a ser trabalhado para ver visto como algo além de um vilão. Os próprios personagens que estão contra ele não conseguem matá-lo, e nós conseguimos entender isso através dos flashbacks. Em um dos seus momentos mais fofos e autônomos, Klaus teve misericórdia com alguém. Foi uma cena muito válida, inclusive todas aquelas que mostravam sua relação com o Marcel e se tornaram uma "família". Porém, nem tudo é perfeito e, novamente, é o coração o culpado por estragar as coisas. Rebekah sempre foi fraca no amor e, ao se apaixonar pelo Marcel, pagou pelos seus sentimentos.

Fico imaginando quantos anos ela conseguiu ficar acordada. Tudo bem que a Rebekah tem centenas de anos, mas quantos deles ela conseguiu realmente viver. Se apenas por amar o homem errado ela ficou mais de cinquenta anos empalada, imagina se ela realmente desafiasse o seu irmão. Aliás, achei muito triste esse jogo mental do Klaus. Como se já não bastasse ele matar todos por quem ela se apaixonava, ele ainda usou o maior desejo de Marcel para fazer com que ele traísse sua irmã. É extremamente perverso, mas tenho que confessar que é uma manipulação muito bem feita.

E o pior de tudo é que o enredo continua nos mostrando breves momentos em que a armadura do Klaus quebra e conseguimos ver seus sentimentos de verdade. Os produtores tinham razão quando disseram que não poderiam juntá-lo com a Caroline. Ele ainda tem muito o que evoluir, e sua família definitivamente é o caminho certo para fazer isso acontecer. Quero ver mais dinâmica familiar e o começo da queda de Marcel. Um episódio por semana é pouco demais, mas temos que ser fortes. Aliás, adorei a aproximação da Rebekah e da Hayley. Enquanto o Klaus não mergulha de cabeça no quesito família, é bom ver que elas estão cuidando uma da outra.

PS. Como tirar a vantagem do Marcel? Rebekah tem razão, Cami é a chave. Ela pode fazer a Davina se voltar contra ele. Já vimos que ela é bastante instável...
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. Espero que o Kol entre para a série também... Apesar de ele estar fazendo um bico em Pretty Little Liars...

    ResponderExcluir