quarta-feira, 30 de outubro de 2013

[Crítica] Hemlock Grove - 1ª Temporada


Status: Renovada
Duração: 60 minutos
Nº de episódios: 13 episódios
Exibição: 2013
Emissora: Netflix

O monstro está dentro de você.

Crítica:
Spoilers Abaixo!


A Netflix definitivamente está apostando fundo nas séries originais. Atualmente, ela é uma grande potencia online, com um enorme acervo e, para completar, tem produzido suas próprias séries. Sua primeira foi House of Cards, que teve um enorme sucesso não só de audiência como também por parte dos críticos. Sua segunda aposta foi o suspense sobrenatural Hemlock Grove. Quem acompanha minhas críticas de filmes e séries no blog não deve ficar surpreso em saber que eu tenho uma queda enorme por tramas desse estilo. E, conforme as notícias e trailers foram saindo, sabia que a série tinha tudo para ser uma das melhores do tema atualmente - até porque, não há fortes concorrentes.

Assim como os vampiros, eu também não consigo resistir a uma boa história de lobisomens. Infelizmente (ou não), produções envolvendo essas criaturas que se transformam sob a lua cheia não são muito populares. Por quê? Elementar, meus caros. Produções com lobisomens envolvem muito mais do que um par de presas. Tem que ter todo um cuidado com os efeitos e um bom orçamento para cobrir a sempre aguardada parte da transformação. No caso dessa série, esse é um dos pontos mais altos. Pouco antes de ter sido liberada online, a Netflix liberou um clipe da transformação, o que provavelmente deve ter instigado a curiosidade de todos. Com uma boa mistura de brutalidade e bons efeitos, confesso que há muito tempo não via uma transformação em lobo tão legal como a que vemos aqui.

Infelizmente, esse é um dos poucos pontos positivos da série. Os produtores lutaram tanto para dar personalidade para a série - entregando algo fora dos padrões -, que simplesmente estragaram o desenvolvimento da trama. Apesar dos protagonistas serem adolescentes, os produtores fizeram de tudo para mostrar ao espectador que estavam conduzindo uma história séria e diferente dos padrões. As tentativas foram frustradas, porque eles forçaram tanto a barra que o resultado ficou algo surreal (e não estou falando no bom sentido). Uma série como essa definitivamente não sobreviveria na TV Aberta. Os episódios - de uma hora de duração, algo completamente desnecessário - não entregam praticamente nada para o espectador, o que torna toda a trama cansativa.

A sensação que ficamos é como se tivéssemos perdido uma temporada completa e começado pela segunda. Nos primeiros episódios, até que esse charme misterioso da série é tolerável. Porém, chegar até o penúltimo e não fazer ideia do que está assistindo é uma vergonha. O enredo também entrega diversas tramas paralelas, uma verdadeira poluição de conteúdo. Ao invés de termos uma boa série de lobisomens, tivemos um primeiro ano com anjos que engravidam virgens, garotas ficando com cabelos brancos e várias outras coisas super bizarras. E sabe o que é o pior de tudo isso? Praticamente nada é explicado ou tem qualquer função no final da temporada. É estranho ver um elenco conhecido e talentoso em uma história meia boca como essa.

Mentalizem comigo alguns momentos WTF apresentados logo no começo da série: Primeiro que o protagonista é acusado de ser um lobisomem por ter os dedos da mãos com o mesmo comprimento. Até aí tudo bem, mas de repente toda a cidade acredita nessa besteira. E temos até uma caça-lobisomem que entra na trama de uma forma aleatória e é despachada dela exatamente como entrou. Seu plot teve algum desenvolvimento? Seus flashbacks valeram de alguma coisa? Pode ter certeza que não. Outro grande mistério fica por conta da personagem de Famke Janssen, que só se veste de branco. Ela definitivamente é alguma coisa, assim como o seu filho, mas só sabemos a resposta para isso na última cena da temporada, momento em que ninguém mais se importa com porcaria nenhuma.

Apesar dos pesares, a série conseguiu ser renovada. É claro, ela é produzida pela Netflix, que tem a política de não cancelar suas séries sem um final apropriado. E julgando que assistimos 13 episódios com apenas algumas respostas sem graça, acredito que a segunda temporada verá os seus números caírem drasticamente. Não acredito que a série sobreviva por muitos anos. Já começou fraca e, muito provavelmente, só irá dar continuidade para encerrar a história de forma convincente. Só retorno a assistir depois de estiver finalizada. E, claro, sempre estarei de olho nas críticas pela internet. Enfim, não recomendo para ninguém. No máximo, assistam alguns vídeos curtos - como o da transformação - no youtube, que realmente vale mais a pena.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário