terça-feira, 22 de outubro de 2013

[Crítica] The Haunting of Helena


Direção: Christian Bisceglia & Ascanio Malgarini
Ano: 2012
País: Itália
Duração: 84 minutos
Título original: Fairytale | The Haunting of Helena

Crítica:

Ela está vindo por você.

Vocês já colocaram os seus dentes debaixo do travesseiro e esperaram pela fada trocá-los por dinheiro? Como minha mãe nunca me levou a acreditar nessas lendas, eu posso dizer que não. Porém, a história da Fada do Dente é muito popular e já apareceu nos cinemas em algumas adaptações, como o terror No Cair da Noite e a comédia O Fada dos Dentes. Uma criatura misteriosa invade nossa casa para pegar uma parte nossa. Apesar de ser vista de uma forma positiva, não é muito difícil encarar a lenda com outros olhos, certo?

A história desse filme gira em torno de mãe e filha, Sofia e Helena, que se mudam para uma casa nova. Porém, elas não sabiam que o lugar havia sido palco de macabros assassinatos décadas atrás. Com o passar do tempo, a garotinha começa a ter visões com uma mulher clamando por dentes e a associa a Fada dos Dentes. Com sua filha obcecada pela fada, Sofia irá buscar ajuda psicológica para entender o comportamento da filha, mas quando a situação se torna crítica, ela irá perceber que certas coisas não têm explicação. Agora, a “Fada” não irá parar até conseguir aquilo que quer. É olho por olho. E dente por dente.

Não estava exatamente ansioso para assistir este filme. Só resolvi dar uma chance depois de ter visto o trailer, onde uma cena me chamou bastante atenção. Falarei sobre isso mais abaixo. O importante é que esse filme parecia extremamente genérico. Filmes que focam em assombrações geralmente não conseguem sair do lugar comum. Felizmente, esse não é o caso de The Haunting of Helena. Apesar de não ser exatamente bom, o enredo do filme supera as expectativas. Há diversos pontos negativos em torno do filme, mas algumas coisas conseguiram chamar minha atenção.

Vamos primeiro falar dos pontos positivos. A história por trás da assombração é muito legal. O enredo foge do lugar comum ao associar uma assombração comum com a lenda da “Fada dos Dentes”. Há toda uma história sobre as motivações do espírito, mas somente no terceiro ato que o enredo consegue se superar. Além de amarrar algumas coisas que apareceram no desenvolvimento do filme, ainda garante uma boa reviravolta. Infelizmente o brilhantismo do roteiro se resume à história por trás da assombração, não sabendo desenvolver o filme de forma satisfatória.

Ao invés do suspense crescer de forma gradual, acontecem diversas quebras no clima, tornando o filme cansativo e maior do que realmente é. A garotinha, interpretada por Sabrina Jolie Perez, não tem qualquer carisma. Quem tem que carregar o filme nas costas é a bela atriz Harriet MacMasters-Green. Os outros personagens são irrelevantes, assim como as suas mortes. Em um filme com assombrações, existe coisa mais sem graça do que mortes por causa de insetos? E o pior é que no final vemos quanto potencial a vilã poderia apresentar, mas acabou se tornando limitada por causa do roteiro.

O maior ponto positivo fica por conta dos efeitos visuais, acreditem se quiser. Cenas em CGI muito bem feitas causam o impacto visual necessário para chocar o espectador. Minha cena favorita de todo o filme é quando há uma espécie de “chuva de dentes” (vocês podem ver essa cena no trailer abaixo). É o momento mais original e inspirado do filme. Em contrapartida, o desfecho é muito ruim. Como se tivessem cansado de escrever e encerrado de onde haviam deixado anteriormente. Esse filme poderia ter sido muito melhor, mas apesar de se destacar em alguns pontos, se perde em um mar de clichês.


Trailer:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário