segunda-feira, 7 de outubro de 2013

[Crítica] Grey's Anatomy - 10x03: Everybody's Crying Mercy


Os dramas da paternidade.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Antes de mais nada eu gostaria de pedir desculpas pelos meus atrasos, mas já resolvi todas as minhas pendências e as próximas semanas devem voltar ao normal. E a história continua, não é mesmo? Os que sobreviveram à tempestade ainda têm muito o que enfrentar. Shonda já comentou que essa será a temporada da "separação", então podemos esperar muitos casais rompendo. Quem gosta da relação entre a Jo e o Alex pode respirar tranquilo porque a Shonda já declarou que não tocará neles no momento. Ela quer explorar melhor esse começo de relacionamento. Aliás, há muitos outros casais que ela já bagunçou, não é verdade?

Vamos começar por eles? Cristina e Owen. Eu sinceramente nunca fui realmente fã desse casal. Eles até que eram interessantes no começo, mas, depois que o Owen traiu a Cristina, o relacionamento deles se arrastou e só trouxe drama para a série. E ainda tem a grande questão da Cristina não querer filhos de jeito algum. É impressionante como uma mulher que não quer ter pode consegue engravidar com tanto facilidade. Enfim, Cristina e Owen terminaram, mas eles ainda não entenderam isso psicologicamente. Depois de fazer "sexo de despedida" algumas vezes, Cristina finalmente percebeu que tem que dar um passo para trás se quiser realmente seguir com sua vida. Será que esse pode ser o motivo principal para a saída dela no final da temporada?

Já Calzona é um dos meus casais favoritos de toda a história da série. Ainda não consegui superar esse rompimento repentino. De fato, eu ainda não consegui superar essa traição, que foi tão repentina e sem sentido que me deixou desequilibrado. Shonda quis mostrar que a Arizona perdeu mais do que a perna no acidente de avião. Ela não estava bem emocionalmente. É muito triste vê-la tentando recuperar o seu casamento e sendo tratada daquele jeito pela Callie. No final do episódio, por um segundo, eu pensei que a Callie iria abaixar a guarda, mas me enganei e quase chorei com a última cena das duas. Sinceramente, espero que a Arizona faça terapia sozinha e isso a ajude a recuperar sua mulher. Ainda torço por essas duas.

E por falar em traição, uma das histórias mais engraçadas do episódio envolveu a interna Murphy (vocês acreditam que só aprendi o nome dela essa semana?). Pois bem, ela subiu no meu conceito! Começou sendo uma vadia fraca e agora está sendo desenvolvida de uma forma mais leve e engraçada. Antes eu não estava nem aí para ela, mas acredito que ela tem um grande potencial nessa temporada para se destacar. Ela é a única solteira das mulheres internas e pode servir de alívio cômico, livre de dramas do relacionamento. Eu ainda não consegui me identificar com a Stephanie. É como se ela sempre ficasse na sombra do Jackson. E, por último, Ross, que nunca conseguirá subir no meu conceito, não importa quantos tubos ele enfiará goela abaixo de seus pacientes.

Jo segue mais distante dos outros internos. Sua relação com o Alex realmente é uma parte importante dessa temporada. Também não é para menos, eles são um dos poucos casais que ainda estão de pé. Por falar em casais de pé, não podemos esquecer de Der e Mer. Eles finalmente estão sentindo na pele o que é ser cuidar de um recém-nascido. Eles estão em uma fase ótima e aproveitam para tirar um cochilo em todos os lugares possíveis. O fato da Callie estar morando na casa deles também é bem legal. Espero que eles se aproximem ainda mais nas próximas semanas. Sinto que Callie precisa de orientação e a Mer precisa de alguém que segure o seu bebê para ela limpar o vômito de bebê do seu cabelo.

Seguindo no clima triste deixado pelo diálogo entre a Callie e a Arizona, o episódio fechou com uma conversa de partir o coração entre o Webber e a Mer. Tendo sua masculinidade ofendida, Richard falou coisas que não devia para Mer. E o pior é que foi justamente quando ela estava começando a reconhecê-lo como uma figura paterna. Espero que essa relação entre os dois continue a ser construída no decorrer da temporada. Não quero salientar o óbvio, mas a culpa de tudo isso é do Ross novamente. Aliás, ele superou muito rápido da morte da Brooks, não é verdade? Principalmente porque só faltou ele fazê-la dar as mãos para a morte. Todos ansiosos para o quarto episódio?
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário