domingo, 13 de outubro de 2013

[Crítica] Glee - 5x03: The Quarterback

A tragédia não é quando um homem morre. A tragédia é o que morre dentro de um homem quando ele está vivo. - Mario Sergio Cortella

Review:
(Spoilers Abaixo)

Cory Monteith. O ator morreu lá em meados de Julho. Era de madrugada, eu estava deitado com o notebook no colo, olhando minha timeline do Facebook enquanto pensava o que assistir em seguir, quando surgiu a manchete - compartilhada por alguém que já nem lembro - dizendo que o ator tinha sido encontrado morto. Depois disso, foi surgindo mais e mais manchetes, mais e mais comentários. O burburinho tomou conta da internet, só se falava nisso. Então, veio a confirmação e surgiu a dúvida: como Glee ia seguir sem seu principal protagonista? Lembro de como houve um mimimi geral, gente dizendo que a série deveria ser cancelada por causa disso. Os próprios produtores falando que "foi cogitado o cancelamento do seriado". Eu acho Cory um excelente cantor, um ator satisfatório, e um péssimo dançarino. Ele fará falta ao mundo dos artistas, isso é um fato. Então surgiu um episódio tributo ao ator, os roteiristas decidiram matar Finn. Agora eu te pergunto: porquê? 

Sinceramente, fui assistir a esse episódio com medo. Sério, eu realmente estava me sentindo receoso com o que eu veria. Eu sabia que eu ia acabar fazendo o papel de "crítico malvado" porquê, convenhamos, que desde a primeira temporada o teor dramático da série nunca mais foi o mesmo. E o meu medo era justamente que um episódio que exigisse tanto da parte dramática não conseguisse se sustentar. Foi o que aconteceu. Durante todo o episódio, ficou claro que o roteiro foi escrito às pressas - ainda me pergunto qual a necessidade disso, já que poderiam ter estreado a temporada em Novembro e dado mais tempo pra escrever um episódio melhor já que queriam tanto fazer esse tributo - além de ter sido completamente cuspido. E eu jamais, JAMAIS, ia deixar de falar o que achei do episódio, simplesmente porquê foi um tributo a um ator que morreu. Se eu fizesse isso abandonaria o objetivo da review e estaria escrevendo um artigo sobre a morte do personagem/ator.

Eu sou muito sincero, seja no que falo, seja no que escrevo, então, não posso e não acho justo, começar a chorar as pitangas por causa da morte do personagem. Foram inúmeras vezes em que critiquei Finn, não era nenhum fã dele. Não posso dizer que sofri por sua morte, não adianta eu ser descarado e dizer que o personagem fará falta. Sabem porquê? Porque eu não acho que ele fará. Quantas vezes Finn já não sumiu da história? E eu não lembro de ninguém dizendo que ele estava fazendo falta. Hipocrisia estava reinando na maioria das reviews que li, eu não consigo engolir tanto sentimentalismo forjado. Eu digo isso, porquê eu apostaria um rim, de que esses mesmos críticos que hoje estão chorando as pitangas pelo Finn estariam dando graças a Deus pela morte do personagem caso o ator que o interpretava estivesse vivo e a morte do Finn tivesse acontecido apenas por desejo dos roteiristas.

Mas voltando ao que eu ia dizendo, Cory morreu, decidiram que deveriam matar o personagem que o mesmo interpretava e filmaram o episódio. Foi um episódio fraco, eu realmente queria que fosse uma boa homenagem, mas não foi. Lógico algumas cenas foram muito bem orquestradas, as da Santana e Sue; a da Carole, do Burt e do Kurt guardando as coisas do falecido, Mercedes cantando I'll Stand By You . Entretanto, ao longo do episódio, tivemos alguns momentos vergonha alheia, principalmente envolvendo o Will e Puck.

Porém meu problema não foram os momentos vergonha alheia, mas faltou alguma coisa. Durante todo o episódio, fiquei com aquela sensação de que estava faltando alguma coisa. Eu senti que estavam mais preocupados em se despedir do Cory, do que em fazer sentido. A morte do Finn veio de lugar nenhum, talvez devessem ter preparado um terreno, sabe? Agora, a morte do personagem veio de forma aleatória e de forma confusa. Era muito pouco tempo, muita pouca pra explicar, e simplesmente queriam nos emocionar. Não era um episódio sobre Finn, era um episódio sobre Cory. Foi por causa dele que nos emocionamos. Só que a série não é um reality show, o episódio devia ser sobre Finn. E isso é uma crítica principalmente para os roteiristas e produtores, porque o elenco estava em sua maioria ótimo.

A verdade é que esperava mais. Como episódio, faltou muito. Entre erros e acertos, o episódio conseguiu se sustentar. Mas não foi nada fora do normal, e eu esperava algo completamente fora do normal. Eu queria me surpreender. Eu queria que a série mostrasse ter alguma capacidade pra nos fazer amar Finn. Nos fazer se importar. Porque apesar dos pesares, amávamos Cory, e apesar dele não ser nenhum exemplo a se seguir, o ator será sempre lembrado. O que é mais do que podemos dizer de seu personagem, que se pararmos pra ver, morreu do mesmo jeito que começou a série: completamente perdido. 

Performance da Semana -  I'll Stand By You (Mercedes/Finn)






Dianna sobre a minha review... 












Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
11 Comentários

Comentário(s)

11 comentários:

  1. Devo dizer que gostei do episódio pelos mesmos motivos que você não gostou, realmente a morte não foi explicada e o episódio se passa justamente após o funeral, mas uma explicação foi dada pra isso logo no início do episódio, a morte dele foi um momento, não sua vida inteira, não sei se ficaria legal eles apenas matarem ele em um acidente, ou de overdose como aconteceu com o Cory. Então ali não interessava como ele morreu, mas sim que ele havia morrido, foi o que eu entendi do episódio. E acho que havia o dobro de carga dramática em cena, não chorei vendo o episódio porque não choro nem em velório, mas acabei ficando triste após ele, destaco a cena entre Kurt,Burt e Carole e por favor, palmas lentas pra quem escreveu aqueles diálogos. Santana me surpreendeu e devo dizer que finalmente alguém teve coragem de colocar a Sue em seu devido lugar, existe hora pra fazer seus bitchismos e aquele definitivamente não era o momento, enfim, Não curtia muito o personagem Finn, mas queria muito que ele e a Rachel terminassem a série juntos, e devo dizer que aquele final que a Rachel contou ao Mr Schue, onde ela trabalharia na broadway por um tempo, estrelaria alguns filmes e então voltaria para ele, seria um final perfeito pra série, mas acho que nunca saberemos não é mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Esse foi um episódio que a série necessitava, não achei que foi escrito às pressas, pelo contrário, foi necessário cada pedaço. Teve seus defeitos em alguns diálogos, mas o adeus precisava ser dado, pois Finn era um personagem importante, você gostando dele ou não. Não estavam cogitando acabar com a série simplesmente porque um ator morreu, sim pois foi o ator de um personagem que mesmo odiado era um dos principais.
    Amei a consideração de não terem falado qual a causa da morte, ali os atores e os personagens estavam dando adeus a um amigo querido, não esperava tanto drama e me surpreendi. Um dos melhores episódios da série.
    Sua opinião é claro, mas como você mesmo disse que as outras reviews de certa forma foram "falsas", mais falsa foi essa. A que menos gostei.
    Por pensar que seria errado só elogiar o episódio porque alguém morreu, você fez o contrário.

    ResponderExcluir
  3. A sua critica foi equivocada demais e eu as acompanho a muito tempo. Todos os fãs deixaram bem claro o quanto se emocionaram e até choraram com a despedida. A audiência do segundo para este episódio é cresceu monstruosamente e dizem ser o episódio mais emocionante da série. Eu não esperava de maneira alguma essa review: decepcionante define!

    ResponderExcluir
  4. Acho que todos os posicionamentos dados aqui são válidos. Eu sempre vivi um relacionamento de amor e ódio com o personagem do Cory... tinha cena e cenas. Mas enfim, não tem como não se emocionar né? Ele era a cara de Glee. Achei a cena da Santana muito boa, a melhor por sinal. Ao contrário das cenas da Rachel. Como um bom fã da serie eu tenho toda a liberdade pra falar: Glee perdeu um pouco daquela serie que fazia a gente esperar a semana pra assistir. As músicas tão enfadonhas e o elenco novo muito chato!!!

    ResponderExcluir
  5. Acho que todos os posicionamentos dados aqui são válidos. Eu sempre vivi um relacionamento de amor e ódio com o personagem do Cory... tinha cena e cenas. Mas enfim, não tem como não se emocionar né? Ele era a cara de Glee. Achei a cena da Santana muito boa, a melhor por sinal. Ao contrário das cenas da Rachel. Como um bom fã da serie eu tenho toda a liberdade pra falar: Glee perdeu um pouco daquela serie que fazia a gente esperar a semana pra assistir. As músicas tão enfadonhas e o elenco novo muito chato!!!

    ResponderExcluir
  6. Finn era o personagem masculino que mais me identificava, seus dramas sempre foram mtos parecidos com os meus em varias fases. As pessoas querem sempre contar conosco e sempre temos que ser fortes, mas qdo desistimos ou reclamamos as pessoas se surpreendem. E acho que com o Cory tbm era mto Finn, imaginamos que o cara tinha tudo, fama, grama, uma mina de sucesso e linda e acabar com a própria assim chocou geral.
    Claro que todos nós fã da série queríamos respostas e imaginamos varias formas de como seria o eps. e assim nos frustamos. Como Kurt disse não importa explicar a forma de ele se foi já é difícil acreditar que aconteceu.
    Mesmo um eps. tão triste Sue sempre fazendo as melhores frases de efeito da série. (60% de chance de vc ter peidado Donna...kk surreal). Kurt, Puck, Tina e claro sempre Santana deram um show. Não achei o roteiro feito as presas e sim uma realidade do que eles mesmos viveram. Senti falta da Quinn ela merecia estar no eps.
    Ficava olhando os minutos do eps. a primeira vez que assiste imaginando a hora que Rachel iria aparecer e ela demorou e mto, mas qdo apareceu e cantou foi emocionante demais, e de todos, claro ela era a mais forte e mais frágil ali.
    Mesmo todos atuando qdo ela cantou eram eles pessoas físicas e não mais atores.
    Achei demais e o cara vai fazer mto falta. Uma inspiração pra mim pena que acabou assim.

    Uma coisa que pra mim valia, esse eps. poderia ter sido o primeiro da temporada, Rachel cantado Yesterday, agora cairia mto bem...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh meu coisa que eu esqueci as cenas de Santana com Sue foram um máximo. Outra coisa, pq Santana e Rachel estão tão magras????

      Excluir
  7. Não, quer saber: não. Você não merece a minha leitura, nem esse blog falido e grosseiro. Um conselho: não seja tão absoluto e imparcial. Contudo, respeito seu "trabalho" e por isso abandonarei o Meu Mundo Alternativo completamente hoje.

    Lembrando que aspas são artifícios usados para chamar atenção para algo, apenas.

    ResponderExcluir
  8. Ótimo post.
    Vejam minha crítica sobre esse episódio.


    http://criticandonamadruga.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Particularmente, gostei muito do episódio. E sim a despedida foi de Cory, lembro que antes do episódio ouvi vários rumores de que Finn iria apenas viajar para longe, ou ter uma morte trágica como um acidente, entre tantas coisas... Mas o episódio foi como Kurt disse no inicio "Não importa o motivo, mas sim que ele estava morto". E isso foi incrível, porque provou que o personagem morreu junto com Cory, e para isso não precisa-se de explicação. Concordo com o pontos altos, Santana e Sue, Mercedes... Mas o que me abalou de verdade foi quando Rachel cantou ao final, pois foi Lea cantando para Cory... Naquele momento, pude perceber a dor no personagem e na atriz pelo simples fato de que a música foi gravada para se sobrepor a performance. A Performance deixa claro que se não fosse uma gravação, não entenderíamos nada do que foi cantado, pois o choro era real, e a gravação mostra que mesmo naquele momento, a triz estava devastada. Para mim o episódio foi muito bom, e particularmente, ver Puck relembrando como Finn o colocava nos trilhos e que agora estava sem seu ponto de apoio, me fez derrubar lágrimas também...

    ResponderExcluir