segunda-feira, 28 de outubro de 2013

[Crítica] Arrow - 2x01/02: City of Heroes / Identity (Season Premiere)


Um retorno digno!

Review:
(spoilers abaixo)

Antes de tudo, desculpas pela demora nas reviews. Eu sei que estamos atrasados, mas o Ricardo Sodré que faz as críticas da série por algum motivo sério não pode fazer. Então, estou assumindo SOMENTE por enquanto. Arrow , na minha opinião, é uma das melhores séries atuais, e essa segunda temporada não está deixando NADA a desejar. Nossa jornada é árdua e extensa, porque tudo mudou desde a season finale. Só atualizando que Slade, Felicity e Roy agora são regulares e que a audiência está muito boa. Vamos ao que interessa.

Refúgio, depois da catástrofe no Glades e a morte do melhor amigo Tommy (saudades), Oliver Queen precisou repensar suas escolhas e seu modo de vida. E nenhum lugar melhor que a ilha na qual ele ficou por 5 anos comendo o pão que o diabo amassou. Sério?! Tudo bem que só pela sequência de flashbacks do primeiro episódio sabemos que esse tempo na ilha ainda tem muito a ser revelado. Mas, como assim Oliver? Eu pensando que a ilha era o último lugar para o qual você queria ir. Entretanto, o fato é que depois de meses, Felicity (que não perde um assanhamento) e Diggle vão atrás dele já que Starling está em completo abandono e as Consolidações Queen prestes a serem tomadas. E sem resistências, ele retorna e vê que a situação está pior do que ele pensava.

Laurel, que repaginou o look, mostrou que o desejo de prender o arqueiro passa de geração em geração. Se na primeira temporada Quentin estava obcecado com isso, nessa temporada é a filha. Trabalhando na promotoria da cidade, Laurel vai fazer de tudo para fazer o herói ser preso. Claramente ela está ressentida. Me fez chorar junto pelo Tommy, mas não sei que loucura é essa de culpar nosso herói que veio junto com o luto dela. E pra quem estava esperando que ela e o Oliver retomassem o amor de onde pararam, eu digo que vão ter esperar muito pra ver isso acontecer. Ficou bem claro na conversa dos dois que não vai rolar por causa do falecido e aquele blá blá blá de remorso e culpa.

E se estamos falando de mudança, o que aconteceu com você Thea Queen? Finalmente teremos uma fase boa da personagem. Nem me deu sono vendo ela nesses episódios, pelo contrário. Thea é uma mulher de negócios agora. E pelo que parece está responsável. Mas nem tudo são flores, lembrem-se que Mamãe Queen, que anda vendo o dia quadrado, está sendo acusada de assassinato em massa e não pode contar com o apoio, pelo menos, da filha.

E realmente a vida não anda boa para a família, e Isabel Rochev é um fator primordial para isso. Disposta a todo custo a tomar a empresa de Oliver, ela não mede esforços para conseguir o que quer. Só que deu peninha dela (Mentira! Não deu pena nenhuma) ao dar com a cara na poeira pensando que o Oliver era mesmo frágil. A família pode estar despedaçada, mas ela ainda existe. E Walter, ainda é da família. Oliver pediu ajuda e mesmo tendo tirado 4 em matemática sambou na cara da bitch. Afinal, esse bilionário  fútil e baladeiro é só fachada querida. Porém, não é só impressão minha que essa Isabel ainda tem muita história pela frente na série. Aguardemos.

Passado a crise em casa e no trabalho, Oliver tem o problema nas ruas de Starling para resolver. Um bando de arruaceiros justiceiros resolveu assumir o papel do capuz que andava ausente. E quem melhor para pagar as mazelas deixadas pelo Empreendimento do que o herdeiro da arquiteta dos planos? Oliver não queria fazer uso da violência, nem querer voltar a ser o vigilante ele queria. Mas aí tocaram na sua família, não teve jeito.  E apesar de ter voltado a ativa ele não é o mesmo. O capuz não existe mais. E também não mata mais. Para honrar a memória do seu melhor amigo ele tem que ser diferente. E assim começa a jornada do arqueiro nessa temporada.

Quanto à retomada dos outros personagens e da introdução dos novos, vale a pena situar cada um. Quentin Lance é um mero policial de rua, foi rebaixado e deu até pena. Roy parece estar querendo se matar todas as noites só para se encontrar com o seu ídolo. Pelo amor hein?! Entrou em uma briga e teve que ser salvo por nada menos que a Canário, que não foi devidamente apresentada, mas que vai ser bem recorrente. Pelo menos ele parece ser um poço de bom senso e fez a namorada fazer as pazes com a mãe.  Somente isso.

E se você pensa que está muito bom pra continuar sendo bom, cara no chão! O segundo episódio foi mais que perfeito.

Não prolongando muito, pois a crítica já está extensa, o Glades continua um inferno. Os medicamentos que serviriam para ajudar a população estão sendo roubados pela tríade (Sim! China White voltou e tem amigos). Roy até tentou deter os roubos, mas acabou ferrado e com um ultimato da namorada. E é aí que temos a interação entre Oliver e Roy. Oliver fica sabendo do amor do fã n° 1. O momento romance acaba porque alguém tem que dar um jeito nessa cidade. E Oliver é multiuso. Ele ajuda publicamente e também na surdina.

O vereador do Glades, que me parece estar se promovendo a custa da tragédia, põe o Oliver em foco ao acusá-lo em público e rede nacional de pouco estar se queixando com as consequências dos atos da mãe. E para provar que isso não é verdade, Ollie promove um evento para demonstrar o quanto ele se preocupa com os desafortunados. E realmente ele se preocupa. Tanto que ele é obrigado a fazer uma escolha entre deixar uma boa impressão com sua figura pública ou ajudar de verdade o Glades impedindo outro roubo de medicamentos.

O tal vereador o colocou em um tronco para ser chicoteado quando ele faltou na festa. Mas o vigilante estava fazendo o seu trabalho. Precisou de ajuda do Diggle, mas mesmo assim os resultados não foram muito satisfatórios. Já que ficou claro que a prioridade da polícia não é com os bandidos de verdade e sim com ele mesmo. Uma tristeza essa falta de reconhecimento. Culpem Laurel! E O QUE FOI ISSO MEU PAI AMADO? O arqueiro chegou na maior inocência para tentar desfazer o mal entendido entre os dois e o que ela apronta?

Isso aí mesmo. Uma emboscada. Mas isso é texto para o próximo capítulo. HAHAHA fiquem imaginando maneiras de tirar o nosso herói dessa emboscada e matar a Laurel por essa sacanagem.

O que eu não comentei, mas preciso comentar:
- Quem shippa Olicity (eu) não está se aguentando de ansiedade pra saber se rola ou não.
- Diggle é mais um coração alone nesse time.
- Roy é o informante do Arqueiro no Glades. E finalmente ficou cara a cara com o seu salvador.
- Thea, tadinha, anda achando que o namorado virou gente e parou de bancar o herói.
- Felicity, que foi rebaixada a secretária, está impagável!
- As sequências da ilha estão muito interessantes, parece também que não vai ter fim. Uma reviravolta depois da outra.

Os melhores momentos:


Aos leitores, desculpas pela review direta. Beijos, até a próxima.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário