domingo, 27 de outubro de 2013

[Crítica] American Horror Story - Coven | 3x03: The Replacements

Este clã não precisa de uma nova Suprema. Precisa de um novo tapete.

Review:
(Spoilers Abaixo) 

Eu sinceramente estou sem palavras com este episódio de Coven. Poderia apenas escrever que é a melhor série de todos os tempos e terminar a review, porque já estaria dizendo a grande verdade desta fall season. Não pensem que eu gosto de agir como uma fangirl alucinada que não enxerga nada além da sua série preferida, mas acho que American Horror Story está superando até mesmo seus próprios feitos. Sem querer desmerecer o ótimo trabalho que foi feito nas temporadas anteriores, mas o que foi a Murder House e Asylum perto do universo que Coven nos apresentou? Nós deveríamos saber que Ryan Murphy + Bruxaria + Jessica Lange sempre fazem uma combinação perfeita.

Já começando este episódio vendo um flashback da nossa protagonista ocupando o cargo de Suprema na década de setenta. Fiona era jovem, linda, tinha uma vida inteira pela frente e possuía poderes extraordinários. Tão extraordinários que se achou no direito de assassinar a própria mentora para se tornar Suprema em seu lugar. Pelo que entendi da filosofia bruxa, uma nova Suprema sempre floresce quando a antiga está perdendo os seus poderes. Isso explica porque Fiona está enfrentando uma crise de menopausa enquanto Madison, a estrela renegada da mansão, está descobrindo novas habilidades.

Tudo começou quando Madison e Nan resolveram levar um bolo para cortejar o novo vizinho. Nan ganhou a atenção do rapaz, Madison ficou excluída, e com a chegada da mamãe evangélica do garoto, Madison usou seus poderes para arremessar uma faca na parede e incendiar as cortinas da casa. Detalhe, ela tinha ido visitar o garoto com um vestido curtíssimo para convencê-lo a ser seu novo peguete. Ele não deu muita bola pra ela, já que estava atrasado para os estudos da bíblia (gay). Mas cara, eu babei o episódio inteiro. Babei mesmo, e ainda clamei o nome do senhor pedindo para me proteger das tentações. Bom, acho que vocês entendem. Mas vamos seguir em frente.
 
Sabendo do que Madison era capaz, Fiona tentou se aproximar da garota para descobrir se ela poderia mesmo ser a nova Suprema. Elas saíram juntas, beberam, jogaram sinuca, dançaram, tentaram matar um homem no meio da rua para testar seus poderes, e enfim retornaram a mansão, onde Fiona contou a verdade. Apesar de ter implorado, acho que ela não estava disposta a deixar Madison assassiná-la. Ela chorou, se emocionou, explicou o que Madison precisava fazer, mas no final, acabou cortando a garganta da garota e fumando um cigarro como se nada tivesse acontecido. 

Acho que todos vocês vão concordar quando eu digo que Fiona é uma verdadeira diva. E que Coven está se saindo muito melhor que a encomenda. Mas achei muito injusta a morte da Madison, sendo ela a bruxa jovem que mais se destaca naquela mansão. Melhor que a Queenie, que a Nan, que a Zoe, e melhor até que a Carminha, que ainda está em busca de seu bebê. Então por que matar um ótimo personagem logo no começo? Isso me leva a crer que Madison não morreu definitivamente. Vocês sabem, com uma visita da Misty, Madison pode voltar a vida e se vingar da Fiona. Então, nada de sofrer antecipadamente. Madison é tudo, e acho que os roteiristas sabem muito bem disso.
Para quem achava que o plot do Kyle Frankestein estava muito parado, este episódio deve ter sido como um tapa na cara. Zoe continua chata, Misty continua Misty, mas Kyle evoluiu. De Frankenstein demente e teoricamente inútil ele passou para assassino que era abusado pela mãe. E não houve pudor no momento da revelação. A mãe simplesmente começou a beijá-lo, depois molestá-lo, e nas cenas seguintes, ela disse coisas do tipo “Só a mamãe sabe do que você gosta”. Tipo, WTF? Que série é essa, Menino Jesus? Depois de tudo isso, como não aproveitar seu estado de demência para matar a mãe? Qualquer um teria feito muito antes. Mas talvez a chata da Zoe não lide bem com isso. 
 
Já no núcleo Sinhá Moça da novela, tivemos LaLaurie sendo obrigada a fazer todas as vontades de Queenie como empregada. Lavar, passar, cozinhar o que ela gosta, dizer “sim senhora” e todas essas coisas que ela nunca aceitaria vindo de uma negra. Só não digo que ela merece, porque o que ela merece é ser torturada de todas as maneiras possíveis aproveitando seu dom da imortalidade. Mas enfim. A única coisa que gostaria de ressaltar neste plot é a Queenie oferecendo o corpo para o Homem Touro que veio para matar LaLaurie (!!!). Tipo, o que deu nesses personagens? Estão todos no ápice da loucura e não dão a mínima. Mas se não estivessem, American Horror Story não seria esta série brilhante que tenho o prazer de acompanhar. 
 
PS: Por que as personagens da Sarah Paulson estão sempre envolvidas com bebês e gravidez? 
 
PS²: Campanha: Misty, traz a Madison de volta. Faça sua parte e torça para que a melhor personagem de Coven retorne para nossos braços.

Promo 3x04 "Fearful Pranks Ensue" Legendado:
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
2 Comentários

Comentário(s)

2 comentários:

  1. Acho que a Madison vai voltar... Alguém além de mim viu uma mãozinha saindo da terra na promo 3x04?

    ResponderExcluir
  2. Eu acho que a madison não vai volta! (não agora) ZzZZoe...

    ResponderExcluir