sexta-feira, 11 de outubro de 2013

[Crítica] American Horror Story - Coven | 3x01: Bitchcraft (Season Premiere)



Eu irei te comprar uma bebida!

Review:
(Spoilers Abaixo)

O QUE FOI ESSE EPISÓDIO? E O QUE FOI ESSE INÍCIO DE TEMPORADA?

Primeiro que, no ano passado, Lana Banana deu um tiro em Lindley. E desde então estou eu aqui, a bicha má, o que não sabe conjugar verbo, o filho de pomba gira e agora, afilhado de Fiona. Segundo, vamos ao episódio.

Coven nos mostra Salem nos mil e oitocentos. LaLurie (Kathy Bates) é uma branca má que escraviza negros e com o sangue deles consegue não envelhecer. Suas filhas são um bando de putinhas. Uma até, perde a virgindade com um dos escravos que é o amor da Mãe do Voodoo, Angela Basset (ai, esqueci o nome dela, sorry). Com isso tudo, LaLurie transforma o negão em uma espécie de Belzebu, Minotauro, colocando nele uma cabeça de touro. A Mãe do Voodoo chega, mente pra ela e a coloca dentro de um caixão. Pois bem. Vamos para 2013.


New Orleans continua linda. Pois nossa amada Zoe (Taissa Farmiga) esta pronta pra perder a virgindade. Quando o namorado começa a ter ataques e a sangrar por todos os lados. Resultando? MORTE. Sempre né. Murphy é um clichê lindo. Tanto que a voz de Taissa narrando os fatos sobre ela é cult. Com isso, o anjo da Morte (Frances Coroy / semana que vem JURO que decoro os nomes) aparece e leva a menina pra escola de bruxas. Que nessa altura, Cordelia (Sarah Paulson) LINDA, já sabia da existência da Zoe. Zoe chega lá e já dá de cara com as bruxinhas do bem, Queenia (Gabourey Sidibe), Nan (jamie Brewer) e a tão amada pelos fãs da série, Movie Star ou então, a chatonilda Madison (Emma Roberts). Sério. Odiei a guria. Não gosto dela, acho ela no mínimo babaca. Mas a situação maluca que ela passou - ser estuprada pelos amigos do Kyle (Evan Peters) - levantar CHIQUE e FINA, ir lá e TOMBAR o ônibus que eles fugiram - levando Kyle junto AWN :( - foi digna. Ali ela mereceu Oscar. Só ali. E pelo jeito ela vai ser o alvo da Fiona. Tadinha das "paredi".

E então, vamos falar em Fiona. Jessica Lange merece todos os Emmys do mundo. A mulher é fantástica. A atuação inicial humilha todas as atrizes. TODAS. Até a Su Vieira. A mulher consegue envolver seu público de um jeito, e Murphy sabendo disso já fez a bruxa má matar o biólogo gato que não queria mais dar a "poção" de juventude, chegou PEITANDO Delia na escola, e ensinando as guria como se faz. E por fim, graças a vidente lindinha Nan, foi lá e nada mais nada menos que DESENTERROU LaLurie.



Mas e agora? O que vai acontecer?
Só quarta que vem né.

Mas fazendo um balanço de tudo, a temporada vai ser foda. A qualidade esta acima de tudo. Texto, roteiro, tomadas, trilha sonora, e nossos amados atores voltando em novos corpos. Fiquei tristinho da Lily Rabe aparecer pouco, mas ainda temos doze episódios para nos deliciar com essa delícia. Também vamos ter a Chiaki Kuriyama (segundo sites de fofoca, não vi nada sobre ela mas enfim), e vamos ter MUITO sangue ainda. Muita gente vai se estrepar com Fiona e muita gente vai fazer maldades com a Basset.


  • Kyle olhando pra Zoe foi fofo e lindo demais. Mil corações pros pombinhos.
  • Zoe sendo Emily Thorne Vingativa foi DIGNO naquela maca de Hospital.
  • Madison sendo jogada na parede, fofa.
  • Nan é TUDO. AMO essa garota.
  • Kathy Bates dando um show de talento abrindo a série e fechando o primeiro episódio com todo o glamour diabólico possível!
Taí crianças, comentem,
Boa sexta pra nós,

bêj.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
4 Comentários

Comentário(s)

4 comentários:

  1. Se escreve Kathy Bates, e não Katy Bathes.

    ResponderExcluir
  2. É Evan Peters, não Evan Roberts.

    ResponderExcluir
  3. Vich que review fraca! Meu Deus! Eu já odiava as outras suas criticas, mas essa foi a pior de todas!


    #joãovolta

    ResponderExcluir
  4. Nossa! Mas que review ruim...
    Vamos lá, você tem capacidade de fazer algo melhor. Por exemplo, no terceiro parágrafo, não dá para entender nada, cara. Você encharcou o parágrafo. Mas a review foi feito com amor, talvez o mais importante, porém você tem que saber se conter e passar informação para os seus leitores de uma forma mais calma. Você está entendendo?

    ResponderExcluir