quinta-feira, 26 de setembro de 2013

[Crítica] Percy Jackson e o Ladrão de Raios


Direção: Chris Columbus
Ano: 2010
País: EUA | Canadá
Duração: 118 minutos
Título original: Percy Jackson & the Olympians: The Lightning Thief

Crítica:

Os mundos irão colidir.

Percy Jackson e o Ladrão de Raios é baseado em uma saga literária de sucesso do escritor Rick Riordan. Esse filme não foi recebido bem pelos críticos e pelos fãs dos livros, o que resultou em uma arrecadação morna nas bilheterias. Não que tenha sido um desastre, muito pelo contrário. O filme até conseguiu se pagar, mas definitivamente não obteve o sucesso esperado pela distribuidora. Por isso que sua sequência foi engavetada durante anos. Mas como vocês sabem, nada fica adormecido para sempre.

A história desse filme gira em torno de um jovem chamado Percy Jackson. Ele é um garoto normal – ou pelo menos é o que ele pensava. Acontece que ele é o filho de Poseidon e corre um grande perigo. Logo, ele tem que correr contra o tempo para limpar o seu nome, já que todos pensam que ele é o ladrão de raios. Zeus colocou um prazo e o raio deve ser devolvido em alguns dias, ou uma guerra entre os deuses irá começar. Sem saber onde o raio está, Percy, Annabeth e Grover partem em uma aventura em busca do raio roubado, o que os levará direto para o mundo inferior, de onde poderão nunca mais sair...

Confesso que nunca li os livros. Sequer sei a sinopse deles. Porém, há uma coisa que todos os que leram parecem concordar: Esse filme é extremamente diferente do livro. Eu sei o quanto isso é irritante para os fãs, mas, pessoas como eu, não têm como julgar esse quesito, tendo apenas o filme para se basear. O filme em si é muito legal e eu não vi grandes problemas. Estou ciente que, se tivesse lido o livro, provavelmente estaria falando horrores e comparando os dois. Porém, como ainda não tive a oportunidade, me limitarei em dizer apenas que gostei.

O clima da história é realmente muito leve e juvenil. Todos os elementos para atrair os jovens estão presentes nesse filme. Jovens bonitos, humor e algumas cenas de combate leves que deverão entreter a todos. Não posso deixar de pensar como essa história seria se tivesse um tom mais sinistro, uma pegada mais assustadora. Criaturas medonhas existem aos montes, então não seria difícil elevar o clima para algo parecido com medo. Provavelmente ficaria algo muito parecido com Fúria de Titãs. Esses dois filmes têm temas parecidos, mas se diferenciam principalmente pelo tom que seus enredos são conduzidos.

Definitivamente as partes mais divertidas desse primeiro filme são quando nossos heróis atravessam o mundo em busca das pérolas que permitem a saída rápido do mundo inferior. São três missões independentes e muito divertidas – além de perigosas, é claro. A criatura mais conhecida a dar as caras definitivamente é a Medusa, interpretada aqui pela Uma Thurman. Ainda que não renda uma cena tão emocionante quanto a vista no já citado Fúria de Titãs, foi interessante de acompanhar. A parte da hidra também é muito legal. E é realmente uma surpresa ver que os personagens são tão ignorantes a ponto de não saber o que acontece quando suas cabeças são cortadas. Isso é mitologia básica, pessoal!

Enfim, se você não leu os livros há uma chance bem maior de vocês gostarem do filme. Ainda pretende lê-los em um futuro breve, então ainda estarei aqui para dar a minha opinião. Por enquanto, considero esse filme divertido e funcionou exatamente como eu esperava. O elenco é muito bom também, todos estão bem em seus papéis. Aliás, há diversos atores conhecidos em papéis menores – como Deuses, principalmente. Por último, vocês não podem perder a cena final depois dos créditos.

Trailer Legendado:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário