sábado, 24 de agosto de 2013

[Crítica] Pretty Little Liars - 4x11: Bring Down The Hoe

-A Team, -B Team e -C(ece Drake) Team? Daqui a pouco, dá pra montar uma Copa ou um cover do Michael Jackson.

Review:
(Spoilers Abaixo)

O que dizer dessa série? O que dizer sobre esse episódio? O que dizer do mindfuck que o roteiro está se tornando? Afinal, quem é o quê, quem fez o quê e principalmente, porque diabos estão fazendo o que estão fazendo. Tem um objetivo nisso tudo? Nem o finado Linha Direta conseguiria explicar. Depois de uma sequência de bons episódios, seguida por um sequência de episódios ruins, o roteiro tenta voltar aos trilhos. Será que consegue? Em partes. Mas a verdade é que falta...sentido. Coerência. Falta uma cola pra grudar toda essa trama e ter algum senso. Do contrário, vou mandar uma caixa de Gadernal e Rivotril pros roteiristas, com um bilhetinho escrito "Brazil Loves You!".

Bom, vamos começar falando de Aria - que continua tendo a função de alface podre. Enquanto as outras liars trabalham para resolver os problemas da série. Aria fica agindo como se estivesse em uma série adolescente, preocupada com sua vida amorosa que está mais agitada que a vida de qualquer adolescente normal. A Cobiçada de Rosewood, por favor. Ezra volta pra encher o saco e mostrar que continua servindo pra nada na série. Quer dizer, veio fazer mimimi e ficar de ZzzZzZz, ainda bem que Red Coat estava observando Emily - que mesmo ficando PARADA durante metade do episódio - senão tinha morrido de sono assistindo Ezzzria. 

Pelo amor de Deus, gente. E olhem que eu nem acredito em Deus. Não estamos assistindo essa série pra ficar vendo os drama rasos que essas meninas têm. Emily e Paige, Aria e Ezra, Hanna e Caleb e, claro, o melhor de todos (só que não) Spencer e Toby. Tirando Aria e Jake, que são o único casal que me agrada ali, todas as outras podiam ter escolhido outras pessoas para se relacionarem. 



Bom, mas saindo dessa parte relacionamentos chatos - porque até a vida sexual de alguns amigos meus é mais interessante - vamos falar de coisa boa. Vamos falar de Cece, que voltou dos mortos e teve as duas cenas mais interessantes do episódio. Grande sacada dos roteiristas em nos confundir - propositalmente - em relação a ela. Afinal, ela é do -A Team? Ela é a Red Coat? Ela não é nenhum dos dois e estava usando aquelas roupas porque vermelho e preto estão na moda e caem bem com quase tudo? Isso ficou pra finale. Mas fiquei curioso pra entender o porquê dela estava se torturando ouvindo a conversa de Ezzria. Talvez aquele traje fosse um pijama, e ela estava apenas sofrendo de insônia e queria dormir. A grande questão que fica é: com quem diabos ela estava falando quando diz que não queria mais voltar para Rosewood e porquê ela mudou de ideia e voltou para a cidade e ir ouvir a conversa de Ezria?

A verdade é que nessa loucura toda, as suspeitas caíram novamente sobre Aria. Engraçado como vira e mexe suspeitamos da personagem, são muitas frases de duplo sentido. São muitas pistas subliminares, e o fato de que -A nunca tenta fazer nada significativo contra ela. E quando faz alguma coisa, a personagem se livra facilmente do problema. 

Sobre Cece, concordo com as teorias que li por aí. Ela não é Red Coat, e volto a bater na tecla de que provavelmente, existam duas Red Coat's, uma verdadeira e a outra falsa. Que usa a máscara de Alison e a peruca. Quer dizer, como se já não bastasse ter uma pessoa fazendo eterno cosplay de Chapeuzinho Vermelho, tem outra fazendo cosplay de quem faz o cosplay. Entendem? Conseguem ver o sentido nisso? Porque eu não consigo. Agora, por causa desse episódio, estou começando a ter mais fé nessa finale. Estou sentindo que vai rolar uma puta sambada na nossa cara.


Enquanto isso tudo ia acontecendo, Hanna esteve envolvida no seu próprio plot, finalmente surgiu uma nova pista que pode ajudar sua mãe a sair da cadeia. Travis (Luke Kleintank), novo personagem, já surgiu tendo mais utilidade que muita gente (cof Spencer cof) na temporada. Ele trouxe a informação de que ouviu os tiros - os que mataram o Wilden - depois que a Ashley já havia deixado o local. Posso falar que já gostei do personagem, já shippo ele com a Hanna e tudo o mais? Acho que é meu apego com o Luke desde que ele participou de Bones. Ele é ótimo, e super digno. Vai, Hanna, larga Menino Caleb e se acerta com o Travis. 

Enquanto isso, Caleb impediu Toby de ir preso, graças a uma das armadilhas de -A/-B/-C. Agora, me recuso a continuar falando sobre essa trama porque ninguém se importa, ninguém liga. E como diria uma amiga minha, "drama, drama, drama". Não está rendendo nada, além de brigas desnecessárias e irritantes. 

Pra fechar, tenho que falar da recente polêmica que surgiu, parece que vazaram na Internet, algumas promos do episódio de Halloween. A grande questão é que em uma dessas promos tínhamos escrito #EzrA, na outra estava escrito #AriA e por fim uma escrito #MonA. Há quem diga que isso são possíveis -A's vazados. Acho difícil mas veremos episódio que vem. Mas já deixo a dica: não criem expectativas demais.

UPDATE:
Hoje (25/08) saíram mas duas promos do episódio de Halloween, uma com a hashtag #jAke e outra com #ShanA. Ou seja, podemos concluir que todo mundo de Rosewood é do -(letra que quiser)Team atual. 

Promo Legendado - 4x12 (Season Finale: #WorldWarA)


Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
3 Comentários

Comentário(s)

3 comentários:

  1. KKKKKKKKKK, adorei a review. Saudades Manual de Sobrevivência Escolar do Ned +1, Lindsay merecia uma personagem melhor que a Paige, mas ok. Se Aria tivesse algo a ver com Read Coat aplaudiria a ousadia e voltaria a me interessar pela série. Ou então podiam colocar Tobias para aparecer como read coat usando uma peruca loira só para chocar a audiência e sambar na nossa cara. No aguardo da summer finale ú_u

    ResponderExcluir
  2. Critica rasa e deplorável, não soube explorar os pontos altos do episódio. Pfvr, montagens mais sem graça.

    ResponderExcluir