terça-feira, 5 de julho de 2016

[Crítica] Invocação do Mal


Direção: James Wan
Ano: 2013
País: EUA
Duração: 112 minutos
Título Original: The Conjuring

Crítica:

Não é uma assombração.
Não é uma possessão.
Mas a verdade vai consumir você.

Vocês já viram sombras pela sua casa? Portas batendo sozinhas? Sons estranhos na madrugada? Já perceberam como tudo isso se intensifica depois de você assistir um filme assustador? Quem é o responsável? Podemos dizer que é o medo. Ele tem o poder de te fazer ver coisas que não estão lá, mas também pode te alertar sobre algo que os outros não conseguem ver. Não importa se você acredita ou não, acontece que os filmes envolvendo assombrações e demônios são sempre os mais assustadores. Até porque, está mexendo com algo sobrenatural, algo do cotidiano, que pode estar acontecendo na sua própria casa. É por isso que esse tipo de filme tem tanto efeito sobre as pessoas em geral.

A história desse filme gira em torno da família Perron, que compra uma casa afastada da civilização. Eles não têm muito dinheiro e pensaram que a oferta seria um meio de recomeçar suas vidas. Infelizmente, coisas estranhas passam a acontecer de noite. Quando as ocorrências sobrenaturais se tornam agressivas, Carolyn, a matriarca, busca ajuda de especialistas, Ed e Lorraine Warren. Logo, eles irão descobrir que estão lidando com seres demoníacos que querem matar todos aqueles que tomaram sua propriedade. Ed e Lorraine terão que correr contra o tempo para purificar o local, antes que os espíritos presentes nele levem a família Perron com eles.

Bem-vindos à casa que o mal chama de lar. Essa frase basicamente é o resumo da proposta do filme. Toda a história foi inspirada em casos e personagens reais. As famílias Perron e Warren realmente existiram e, com base em seus depoimentos, o enredo desse filme foi construído. Outra curiosidade interessante gira em torno da boneca Anabelle. Na vida real, ela é de pano e, atualmente, é considerada um dos itens mal-assombrados mais famosos do mundo. Gostaria que a boneca tivesse tido mais destaque dentro da trama, apesar dela ter roubado todas as cenas em que apareceu. O visual criado para a boneca é extremamente bizarro e ainda mais assustador que sua real aparência. Aliás, se vocês ficaram curiosos com o caso, cliquem AQUI para ler uma matéria detalhada sobre ele.

Esse é o primeiro trabalho de James Wan sem o seu parceiro, Leigh Whannell. Conhecido por seu trabalho em Jogos Mortais, o tema envolvendo assombrações (Sobrenatural) - e até mesmo bonecos (Gritos Mortais) - não é novidade. Porém, é notável que Invocação do Mal já possa ser considerado um dos seus melhores filmes. Se compararmos com Sobrenatural - que apresenta o mesmo estilo - é inegável que a qualidade desse filme é superior. Podemos reconhecer alguns elementos semelhantes em torno das assombrações, mas a história em si é muito mais interessante e assustadora.

Wan apresenta um filme extremamente tenso. Diversas cenas onde espíritos aparecem no fundo ou de forma inesperada. Na maioria das vezes, o diretor não apela para o recurso do som alto. Ele consegue nos envolver com a trama e nos faz ter medo do que vai acontecer. Não se entrega aos sustos falsos. Os personagens são um show a parte, já que são todos muito carismáticos e talentosos. As cenas envolvendo os Warren dando palestra sobre suas experiências são ótimas, e o filme não poderia ter começado de uma forma melhor. Curiosamente, no final, eles recebem um telefonema sobre um caso em Long Island, incidente que se refere a Amityville, uma história real que inspirou uma famosa franquia de filmes.

Fico muito contente de ver temas tão batidos ganhando uma nova perspectiva. Isso mostra que não existe uma trama clichê, apenas um roteiro preguiçoso. Uma sequência já recebeu sinal verde, e, apesar do desfecho apontar para Amityville, é provável que a sequência narre algum outro caso, já que a história de Amityville já foi contada diversas vezes. Segundo boatos, focará em duas irmãs possuídas. James Wan já declarou que irá se afastar do gênero terror por uns tempos, focando em projetos diferentes. Seu último trabalho foi o excelente Sobrenatural: Capítulo 2, que consegue superar o original. Enfim, esse filme foi sucesso mundial e eu espero que os próximos trabalhos do diretor sejam tão bem recebidos quanto este. Gosto muito dos seus filmes, e fico no aguardo do próximo. Preciso dizer que eu recomendo? Acho que não.


Trailer Legendado:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário