sábado, 31 de agosto de 2013

[Crítica] Dexter - 8x08: Are We There Yet?


"Eu daria tudo para não sentir nada novamente."

Review:
(Spoilers Abaixo)

Estamos a pouquíssimos episódios do desfecho da série e ela continua com seus passos lentos. Eu reconheço que venho defendendo a série nas últimas críticas, mas eu entendo completamente quem estava esperando mais. O fim nunca esteve tão perto e era de se esperar que o Dexter estivesse contra a parede em uma situação apocalíptica. Porém, a realidade é completamente diferente. Restando apenas quatro episódios, ele está mais feliz do que nunca, com sua família crescendo cada vez mais. Gosto desses momentos de felicidade do anti-herói, mas também estou esperando a tensão crescer daqui para frente.

Acho que os fãs da série que não gostam da Hannah são os que mais estão sofrendo com esse segundo ato da temporada. Desde que os produtores anunciaram seu retorno para esse ano, os haters ficaram descontrolados. Porém, nada poderia prepará-los para o fato dela simplesmente dominar essa segunda metade da oitava temporada. Pensei que sua participação se resumiria apenas em algumas semanas, mas, pelo que parece, ela marcará presença até o Series Finale. Se ela vai escapar com vida novamente, isso é um grande mistério. Mas eu realmente estou torcendo por ela, apesar de ser obrigado a admitir que esse plot do amor proibido parece repetitivo.

Essa semana, os roteiristas estabeleceram os laços entre os personagens e aumentaram ainda mais a família assassina do Dexter. Eu cheguei a mencionar que esperava por algum tipo de reviravolta e ela realmente aconteceu. Zach não matou a vizinha do Dex e mostrou que realmente poderia seguir o código, o que acabou ganhando a confiança do protagonista. Destaque para o momento que os três seriais killers estão no carro e o enredo faz questão de mostrá-los como uma "família", com o Zach fazendo o papel de filho impaciente. É uma imagem bonita e legal ver que o Dex pode ser feliz ao invés de viver para sempre no seu mundinho das trevas, mas cadê a tensão?

Bem, a tensão chegou, pelo menos nos últimos minutos. Zach foi brutalmente assassinado pelo Neurologista. Na crítica passada, eu comentei sobre a identidade do Neurologista ter sido descoberta de uma forma tão banal, então a série conseguiu me surpreender, porque eu não esperava que eles voltassem nesse plot. Ponto positivo para o roteiro, já que essa nova ameaça pode ser o que a série precisa para sair do lugar comum. E, por mais que eu goste do Dex feliz, eu espero que ele ainda sofra bastante nesses últimos episódios. Será que ele vai conseguir manter todos que ele ama vivos? Sabemos que Zach não conseguiu.

Deb continua sendo deixada de lado pela história. Sua participação se resumiu em falar mal da Hannah e confrontar o Dex com perguntas que ela já sabe a resposta. Essa semana ela finalmente ficou cara a cara com a Hannah e teve um papo cabeça. Esperava bem mais da conversa entre as duas. Queria algo mais profundo, com mais tensão e mais sentimentos. Debbie simplesmente a odiava, então eu esperava que fosse necessário um pouco mais para fazê-la dar para trás. Por fim, Deb finalmente percebeu que pertence ao seu emprego anterior e deve correr atrás disso, deixando o seu chefe se cortando no ódio. Será que ele ainda vai ter função até o final? Algo dentro de mim diz que sim...

Como sempre costumo fazer com o sexto parágrafo, deixo minhas observações sobre as coisas inúteis que a série mostra. Jaime chorando e ficando depressiva pela morte da Cassie foi desnecessário para a minha vida, mas nada poderia superar a inútil filha do Masuka "purificando" o ambiente em que irá trabalhar. Será que os roteiristas não conseguiram inventar nada melhor? Por que essa última temporada não é sobre um assassino que mata policiais e aproveita o tema para retirar esses personagens chatos? Teria minha total aprovação. Enfim, gente, vamos para o próximo episódio.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário