domingo, 18 de agosto de 2013

[Crítica] Dexter - 8x07: Dress Code


"Hello, Dexter. Remember me?"

Review:
(Spoilers Abaixo)

 Eu realmente não consigo entender porque estão achando essa última temporada fraca. Confesso que o ritmo está lento, mas o roteiro está amarrando as tramas e preparando o espectador para o desfecho - que promete ser épico. Outro ponto positivo fica por conta dos novos personagens. Não é segredo para ninguém que eu gosto muito da Hannah e sinto o mesmo pela Dra. Vogel. Enquanto essa última ganhou destaque na primeira metade dessa temporada, Hannah chegou para dominar a metade final. É claro que isso é um enorme problema para aqueles que detestam a personagem, mas como eu gosto, espero que ela permaneça o máximo possível.

Apesar de considerar essa temporada boa, não direi que ela é perfeita. Todo o caso envolvendo o serial killer que perseguia a Dra. Vogel terminou de forma morna. Eu esperava algum tipo de reviravolta, já que eu não esperava que aquele cara realmente fosse o tal Neurocirurgião. Mas, agora, provavelmente irão enterrar mesmo o assunto, já que há poucos episódios pela frente e muita coisa para ser contada. Também não gosto desse plot em que o Dexter está tentando ser um mentor para um novo assassino. Zack é extremamente instável e ele pode ser o responsável por futuras tragédias. Porém, podemos reconhecer o apelo de continuidade, a busca do Dexter de passar o código.

A primeira personagem que quero comentar essa semana é a Deb. Ela esteve em foco na primeira metade, tentando se entender com o irmão, mas agora foi colocada em segundo plano. É provável que esse seja o motivo que os fãs mais devotos da personagem detestam tanto a Hannah, já que a Debra a odeia. Não podemos esquecer, porém, que a Deb não é a mesma da temporada anterior. Ela já matou duas pessoas e provavelmente matará a Hannah se tiver a oportunidade. Acho que esse limite da Deb será testado nas próximas semanas, já que ela está realmente cega de ódio pelo retorno da loira.

Não quero que a Hannah morra. Isso é fato. Ela é uma sobrevivente, elimina as pedras do seu caminho. Gostaria de ver um final positivo para ela, já que ela conseguiu antes. Infelizmente eu continuo com esse pressentimento de que ela não terminará a série respirando, o que será uma pena. Felizmente, de acordo com as sinopses dos episódios finais, sua presença está garantida. O mais irônico é que o roteiro insiste em colocá-la na posição de mocinha indefesa, o que é um absurdo, já que ela é uma assassina com um grande currículo. Mesmo assim, ela passou de "retorno vingativo" para "me salva, Dexter" em menos de 15 minutos. Isso não é uma reclamação, obviamente. Se há um motivo para o enredo apresentá-la assim é porque funciona dentro da história.

E, em um piscar de olhos, voltamos ao paradigma da sétima temporada. Deb estava de acordo com a vocação do Dexter, mas está vendo sua sanidade indo embora com a chegada repentina da Hannah. Eu espero que esse plot não se torne repetitivo. Ainda aguardo por algum tipo de reviravolta em torno da tentativa de envenenamento da Debra na temporada passada, já que ficou muito mal contado. A breve conversa entre a Deb e a Vogel pode ter sido um pouco mais esclarecedora em torno desse assunto. De bônus, temos o relacionamento da Deb com o chefe. Soou um pouco forçado nessa altura do campeonato. Eles tiveram tantas cenas juntas nessa temporada, que esse plot poderia ter sido desenvolvido de forma mais eficiente.

Por último eu deixou todo o drama envolvendo o Zack. Vogel ressaltou algo importante; Zack não é uma criança e ele não pode esperar de acordo com o Dexter, principalmente porque ele já sentiu como é tirar outra vida. E, considerando que o Dexter estava muito ocupado com sua nostalgia romântica, Zack acabou atacando sua vizinha. Na verdade, tudo é apenas uma suposição e seria muito interessante se ocorresse algum tipo de reviravolta. Infelizmente, não acho que esse seja o caso. As tramas sempre foram muito diretas, sem a intenção de chocar o espectador em termos de reviravoltas.

Agora é só esperar pelos próximos episódios e descobrir se a segunda vez (de tentar um romance com a Hannah) é um charme. Como costumo dizer, o resto é resto. Não me importo com os dramas do Quinn e muito menos com o Masuka e sua filha dos peitos pequenos. Espero que a série foque no que importa e elimine de vez essas pontas desnecessárias. Afinal, estamos apenas a alguns episódios do desfecho definitivo.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário