sábado, 10 de agosto de 2013

[Crítica] Dexter - 8x06: A Little Reflection


Mais do que um pai. Um mentor.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Chegamos à metade da temporada e a situação entre os protagonistas está estabilizada. Nada melhor para movimentar a parte final do que elementos exteriores para colocar um pouco de pressão em torno dos personagens. Como afirmei na crítica passada, é ótimo acompanhar a Deb e o Dex de bem com a vida. Apesar de ainda manterem alguma tensão, eles estão bem, comendo bife duro. É por isso que esse episódio foi mais lento que os anteriores. O enredo está começando a apresentar uma nova situação, por isso podemos considerar esse episódio como um terreno a ser preparado.

O foco do episódio girou mesmo em torno do Dexter e a sua mais nova caça, Zack Hamilton. Estava mais do que óbvio que o Zack havia matado a amante do pai e que ele era um serial killer doido por sangue. Esse episódio não tenta mascarar isso e aprofunda essa situação, fazendo o Dexter se aproximar do garoto para conseguir provas de sua culpa. Temos a oportunidade de conhecer mais dele, ao contrário das outras vítimas que matam e morrem sem destaque. Acontece que o Zack é um dos pacientes da Dra. Vogel, o que acaba ganhando destaque da atenção do Dexter.

Foi mesmo uma surpresa saber sobre sua história sofrida. Já dava para imaginar que o garoto era maltratado pelo pai, que coleciona amantes. Pensei que o modus operandi do garoto seria matar as amantes do seu pai por diversão, então me surpreendi quando o próprio pai era o alvo. Dexter passou por um sufoco (nem tanto!) com a aparição repentina do Quinn. Aliás, os dois tiveram mais cenas juntos essa semana do que o habitual. Infelizmente o Quinn é tão desinteressante que nem mesmo o fato de estar ao lado do protagonista o ajuda a subir no meu conceito. Ele é uma verdadeira piada, ainda mais agora, que acabou perdendo a promoção do emprego por aquele mesmo que o incentivou a correr atrás dele, em primeiro lugar. Achei malvado. Achei tendência.

Voltando para o mais novo assassino da área, Zack, é provável que ele crie novos problemas nas próximas semanas. Vogel que ensinar o código a ele com o Dexter. Porém, ele já é velho e será difícil condicionar o seu cérebro a controlar seus impulsos só àqueles que realmente merecem. O garoto, aliás, pode ser a chave para um final trágico do protagonista, já que ele é uma força da natureza e não sabemos realmente do que ele é capaz. Depois de conhecer o segredo do Dexter, qualquer coisa pode acontecer por parte dele. Dá para ver que as coisas já ficarão fora de controle na promo do sétimo episódio.

Como de costume, acho todo o resto aleatório e desnecessário. Deve ser mesmo para preencher cota, porque eu realmente não entendo porque todos os personagens chatos não podem simplesmente sofrer um acidente e morrer. Enquanto Dexter e Debbie estão passando pelo seu melhor momento, personagens como Masuka estão lidando com problemas familiares fúteis. Batista também é outro que não sabe o que quer. Incentivou o cara a seguir em frente e foi o culpado por cortar suas cordas. Até mesmo o filho do Dexter é mais interessante que esses personagens. Então, mais Harrison e menos WHO, por favor.

É claro que, por último, deixou a parte mais bombante do episódio. Quando a Deb começou a se sentir tonta, meus olhos brilharam, e eu só consegui pensar em um nome: HANNAH. Sempre marcante e com uma entrada diva, ela finalmente apareceu na temporada. Será que terá a sorte de sair viva dela? As chances não são boas, até porque, a Deb não precisa mais dos serviços do irmão quando ela mesma pode acabar com isso. Enfim, estou ansioso pelos próximos episódios e em saber como os personagens irão reagir a este retorno inesperado. Essa segunda metade da temporada será de matar.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário