sábado, 10 de agosto de 2013

[Crítica] Dexter - 8x05: This Little Piggy


Uma família que mata unida.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Vocês estão ansiando por sangue, certo? Estamos quase chegando a segunda metade da temporada e eu devo confessar que estou me apaixonando por esse ano. João quebrou o código na semana passada, então eu estou aqui dando uma força mais uma vez, com duas críticas seguidas. Afinal, não queremos deixar uma das minhas séries favoritas atrasada, não é mesmo? Enfim, desde já, quero deixar claro que esse foi o melhor episódio da temporada. Finalmente aconteceu o que todos nós estávamos esperando.

Se a temporada passada juntou os irmãos, essa está mostrando que simplesmente nada poderá separá-los. Enquanto o ano anterior dividia a narrativa com a Hannah McKay, esse consolida o relacionamento dos Morgans. Depois de muitos episódios, Deb finalmente aceita o seu irmão. E não é uma aprovação aleatória e superficial como na sétima temporada. Agora ela realmente o aceita como um todo, assim como Dexter buscava na Hannah. É por isso que esse episódio teve um enorme peso para a história, porque foi o momento que todos estavam mesmo esperando.

A Vogel estava certíssima quando afirmou que a Deb só poderia aceitar o Dexter quando chegasse ao fundo do poço. E tem como descer mais do que uma tentativa de suicídio e homicídio? Claro que não. Foi justamente nesse momento que a Deb percebeu que não tem como se livrar do seu irmão. E não é porque ele está sempre ao redor dela, mas é porque ela não o deixará ir. Dexter também aparece carregado de emoções nesse episódio, o que vem a ser uma surpresa. Ele realmente está magoado com sua irmã, o que pode determinar que são sentimentos são verdadeiros sob os olhos da Dr. Vogel.

Aliás, por falar na Vogel, tenho que reconhecer que essa mulher é muito inteligente. Obviamente, por ser especialista na mente dos assassinos em série, ela tem o seu poder sobre eles. Porém, eu nunca poderia imaginar que ela teria um controle tão grande sobre eles. Tenho certeza que todos ficaram tensos quando ela foi sequestrada, mas não aconteceu simplesmente nada com ela. Esperava que ela passasse por maus bocados, mas foi extremamente gratificante vê-la fazendo seu algoz sofrer. Entre tapas violentos e carinhos, Vogel conseguiu montar sua própria estratégia e resgate, e subiu ainda mais do meu conceito.

O nível central da série está tão bom, que as outras tramas se transformam em lixo em comparação a ela. Que plot é aquele com a Jaime tentando marcar um encontro com o Dexter e a vizinha? E quem diria que ela se tornaria uma psicopata com as desculpas do Dex? Enfim, tenho certeza que a introdução da personagem não será gratuita (Apesar de isso já ter acontecido antes... Louis Greene é você?). Infelizmente, eu não vejo o menor interesse nas cenas envolvendo os personagens secundários. Nenhum deles é está fazendo algo interessante o suficiente para que eu me importe.

Tendo isso em vista, não posso deixar de comentar a introdução de outro personagem, que provavelmente irá aparecer nos próximos episódios. Há um novo serial killer na área. Mas não se preocupem, ele é bastante inofensivo. Será que o Dex irá matá-lo ou talvez ensiná-lo o código? E a Hannah? Quando ela vai aparecer para abalar com nossas estruturas? Bem, eu só estou feliz pelo final desse episódio, que poderia facilmente ser a última cena da série. Afinal, uma família que mata unida, permanece unida. Coisa linda de se ver, minha gente! Agora vão abraçar suas mães.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário