sábado, 3 de agosto de 2013

[Crítica] Dementes


Direção: Christopher Roosevelt
Ano: 2013
País: EUA
Duração: 92 minutos
Título Original: The Demented

» Apesar de ainda não ter sido lançado no Brasil, o filme está sendo exibido pela TV por assinatura, HBO Plus, com o título Dementes. É apropriado, mas tem grandes chances de ser alterado caso haja um lançamento em DVD por alguma distribuidora.

Crítica:

Não faça qualquer som.

Zumbis estão por toda a parte. É impressionante a quantidade de filmes que são produzidos todos os anos com essa temática. E os números só aumentam com a popularização desse subgênero. É claro que a grande maioria é composta por filmes genéricos. Afinal, um bom filme apocalíptico tem que ter pelo menos um orçamento digno para manter os efeitos práticos dos contaminados e algo diferente para apresentar. Já conhecemos os zumbis e eles já foram explorados de diversas maneiras, mas será que ainda há alguma produção que se arrisque em tentar algo diferente? Parece que sim.

A história desse filme gira em torno de seis amigos do colégio que se juntam em uma casa de campo para comemorarem no final de semana. Tudo está uma maravilha até que um aviso de um ataque biológico é emitido. De início, os jovens pensam que estão fora de perigo, mas suas vidas se transformam em um inferno quando contaminados pela bomba passam a persegui-los. Os contaminados parecem muito com zumbis normais, mas eles são ágeis e respondem principalmente ao som. Agora, o grupo de adolescentes terá que cruzar a cidade infestada de contaminados para chegar ao ponto de evacuação antes que todos eles se transformem naquilo que estão fugindo.

Como já era previsto, a história em si é bastante genérica. Grupo de sobreviventes tentando escapar de um local infestado de contaminados. É incontável o número de produções que já desenvolveram a mesma premissa. O diferencial está na maneira que o enredo apresenta os contaminados. Eles não são típicos zumbis, com sua necessidade por carne humana. Neste filme, os contaminados são extremamente ágeis e tendem a responder aos sons à sua volta. Eles têm alguns momentos em que "congelam" e são despertados ao ouvir qualquer ruído. Gostei bastante desse detalhe, apesar de não ser exatamente original (vimos algo parecido no filme Devorados Vivos).

Infelizmente, o roteiro perde a oportunidade de mostrar o começo da infestação. A maioria dos filmes envolvendo zumbis se limita a narrar a história quando a maioria da população já está contaminada. Eu gostaria muito de poder ver o desespero das pessoas na rua ao se depararem com algo mortal e inesperado. Uma espécie de apocalipse se formando bem diante dos nossos olhos. Eu até entendo que o orçamento de The Demented não permitiria a devida construção dessas cenas. Por outro lado, o roteiro "prepara" o espectador ao aumentar de forma gradativa o contato dos jovens com os contaminados, começando com um cachorro.

É óbvio que esse é um filme de baixo orçamento. A maquiagem dos contaminados não é lá grande coisa, assim como as mortes em si. Não espere violência gráfica, porque a maioria acontece fora da tela. Felizmente, a direção é competente e soube utilizar bem os seus recursos. Algumas das cenas mais tensas foram feitas de maneira simples. Um dos pontos negativos do enredo é tentar desenvolver as subtramas dos personagens, de modo que nos preocupemos com eles. Erro fatal, meus caros. É inútil tentar uma conexão quando está claro que a maioria deles irá morrer. E, ao assistir um filme sobre contaminados canibais, o que menos queremos acompanhar são dramas em torno de relacionamentos adolescentes.

Temos dois rostos conhecidos no elenco, Kayla Ewell (da série The Vampire Diaries) e Sarah Butler (do remake Doce Vingança, que está irreconhecível aqui). O resultado final poderia ter sido muito mais satisfatório se o enredo não quisesse "surpreender" o espectador com uma reviravolta amarga no desfecho do filme. Nem preciso dizer que os momentos finais foram completamente desnecessários. O filme teria fechado de uma forma muito mais digna se tivesse acabado alguns minutos anos. Enfim, não irá mudar a vida de vocês, mas certamente serve como diversão passageira.


Trailer:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário