sábado, 22 de junho de 2013

[Crítica] True Blood - 6x01: Who Are You, Really? (Season Premiere)


A whole new kind of vampire.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Já estamos em nosso terceiro ano criticando semanalmente a série e é surpreendente ver como o tempo passou rápido. Antes de me aprofundar no episódio dessa semana, devo informar que essa é a minha despedida. Não sou mais um habitante de Bon Temps. As críticas dessa sexta temporada passarão para as afiadas presas de João Lindley. Só assumi a crítica da Season Premiere como um favor e porque eu queria me despedir de vocês, até porque, foram dois anos juntos. Desde já, espero um grande ano para a série e que ela consiga se superar cada vez mais.

Há muitos comentários negativos em torno do enredo atual. E esses comentários de fãs chateados já têm ganhado foco há um certo tempo. Eu continuo achando a série fantástica, de fato. True Blood continua com as características mais marcantes desde o começo, sangue e nudez. Porém, quem leu os livros sabe que desde a última temporada, a história tem se distanciado muito das tramas retratadas na saga literária. Apesar de sempre ter tido liberdade criativa, as tramas centrais das temporadas anteriores trabalhavam os mesmos temas que os livros, mas as duas mídias atualmente seguem completamente separadas. Infelizmente, eu não vejo um retorno a partir desse ponto, então imagino que as tramas da série devem seguir um caminho original daqui para frente.

O foco dessa temporada será mesmo em torno da rebelião entre humanos e vampiros. Durante muito tempo, eles subsistiram em harmonia, mas parece que esse acordo foi quebrado e dificilmente será reparado. A situação atual apresentada pela série é que o mundo está um verdadeiro caos. Não é só a situação delicada com torno dos vampiros (apesar de ser o tema principal), mas também há a revelação de outras criaturas sobrenaturais, como os Metamorfos. Assim como disse na minha última crítica, acredito que os vampiros irão chamar atenção a esse assunto para limpar o estrago em suas imagens. Afinal, se há pessoas se podem se transformar em outras, quem garante que foram mesmo os vampiros que deixaram o mundo de cabeça para baixo?

A não ser os vampiros, as outras criaturas sobrenaturais foram deixadas de lado. Luna acabou morrendo, como já era de se prever, mas acabou sendo o mais sem graça possível. Agora, Sam terá que cuidar da filha da Luna e, possivelmente, bater de frente com a matilha do Alcide. Aliás, o Alcide só quer saber de sair correndo pela correndo e trepando com quer estiver disponível. Porém, só há espaço para uma cadela principal e o cargo já foi preenchido. Estou no aguardo de algo mais interessante para o núcleo deles, porque, como de costume, são deixados de lado. Esse plot do Sam consegue até mesmo ser parecido com o do Andy, que tem que cuidar dos seus bebês que crescem assustadoramente rápido.

O maior mistério abordado nesse começo de temporada deverá ser a reconstrução do novo Bill, ou melhor, Bilith (Pam, diva, criadora de apelidos). Logo na primeira cena, o Bill pelado e coberto de sangue estava possuído até o último fio de cabelo, com ódio em todo o seu corpo e mente. Porém, logo depois, aparece completamente mortal. É uma pena! Esperava bem mais desse plot. Felizmente, o enredo fez questão de deixar bem claro que ele não é mais um vampiro normal. Sookie mesmo, que o ama, não hesitou em enfiar uma estaca direto no seu coração. Infelizmente não o matou e só Deus deve saber uma forma de acabar com esse novo vampiro. Minha maior dúvida é se ele consegue andar no sol e se o Bill está dividindo sua alma com a Lilith, o que deve ser esclarecido nas próximas semanas.

Dentre as outras subtramas que devem ser abordadas nesse ano, temos o Jason e o seu ódio bruto pelos vampiros. Fala sério! Eu tenho tido vontade de vomitar dessa conversão dele desde o ano passado, então eu detestei as aparições do Jason essa semana. Cadê aquele personagem engraçado e leve? Pelo visto ele passará a ter alucinações com o vampiro que matou os seus pais. Mas onde que essas aparições irão chegar? Não posso terminar essa review sem comentar o momento fofo entre a Sookie e o Eric. É impossível não gostar deles juntos. Espero que eles se aproximem ainda mais esse ano, já que eles não ficam próximos desde a quarta temporada. Enfim, meus queridos vampiros sulistas, espero que tenhamos um ótimo ano pela frente e que ainda haja muitas "bad things" para acontecer.

PS. Tara está se achando a vampira poderosa depois que saiu do armário. Mereceu levar chumbo!
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário