sexta-feira, 7 de junho de 2013

[Crítica] O Último Exorcismo - Parte 2


Direção: Ed Gass-Donnelly
Ano: 2013
País: EUA
Duração: 88 minutos
Título Original: The Last Exorcism Part II

Crítica:

Deus pede. O diabo manda.

Demônios não conseguem mais permanecer no inferno. É impressionante a quantidade de produções que tem focado em pessoas possuídas. Parece que, com o passar dos anos, mais e mais produções sobre o tema são feitas, tornando esse subgênero ainda mais banalizado. Apesar de todas essas produções, quase nenhuma conseguiu um lugar de destaque entre os aficionados pelo tema. Esse ano, fomos "presenteados" por mais uma produção, uma sequência. Quem leu a minha crítica sobre O Último Exorcismo, sabe que eu detestei o primeiro filme, principalmente sua conclusão sem graça. Então vocês já podem imaginar minha "grande" motivação para conferir essa segunda parte.

Nessa segunda parte,  Nell Sweetzer é encontrada suja e aterrorizada na floresta depois de escapar do ritual no qual um culto a ajudou a dar a luz a um bebê-demoníaco. Confusa, Nell é examinada por uma equipe médica, mas não se lembra de muita coisa dos meses anteriores – a não ser de que sua família está toda morta. Ela se muda para uma cidadezinha chamada Davreaux, onde começa a namorar um rapaz chamado Chris e até arruma um trabalho em um hotel local. É hora de tentar recomeçar. Mas algo não está certo. Ela começa a ser perseguida pelo mesmo demônio de outrora. Só que o seu objetivo é bem diferente desta vez.

Essa sequência começa exatamente após de término do filme anterior. De fato, essa segunda parte começa com uma espécie de retrospectiva, mostrando algumas cenas marcantes do original. Não demora muito e somos reapresentados para a jovem protagonista, que está, novamente, comendo o pão que o diabo amassou (com o perdão do trocadilho). Apesar do primeiro filme ter sido um desastre total - principalmente pelo decepcionante terceiro ato - essa segunda parte consegue se apresentar superior e figurou acima das minhas expectativas (que não estavam altas). Porém, isso não o torna excelente, já que não era muito difícil superar o original.

O maior ponto positivo do filme é a sua protagonista. Ashley Bell é uma atriz fantástica, ela é carismática e expressiva. Sua interpretação é, de longe, o elemento mais interessante dos dois filmes. O roteiro foi inteligente o suficiente para voltar a focar na mesma personagem, porque assim como ela foi um dos poucos pontos positivos no passado, ela também é um dos poucos da sequência. Me tornei fã dessa atriz desde que ela protagonizou o suspense apocalíptico, 24h Para Sobreviver, no qual esteve fantástica. Ela é um dos principais motivos pelo qual retornarei para uma possível terceira parte, considerando que o desfecho deixa uma enorme ponta para uma mais uma sequência e os produtores já demonstraram interesse em continuar a saga.

Dentre os pontos negativos, o maior problema se encontra no terceiro ato (de novo!). Depois de se encarregar de reconstruir a vida da protagonista, o enredo começa a destruir tudo o que ela conquistou, mudando o tom e mostrando que a presença do demônio ainda está ao redor dela. Assim como no primeiro filme, o desenvolvimento é interessante, mas acaba pecando por causa de sua conclusão. Quando as coisas ficam realmente tensas - depois de uma reviravolta - a câmera simplesmente desvia de tudo o que está acontecendo na tela, mostrando absolutamente nada. É mais do que irritante... É frustrante demais.

O terceiro ato tinha grandes chances de ser grandioso, mas acabou sendo tão decepcionante quando o desfecho do original. E o mais triste é que essa sequência não estava presa à câmera em primeira pessoa, então diversos ângulos poderiam ser explorados. Enfim, essa segunda parte é melhor que a primeira, mas não está tão distante em termos de qualidade. Apesar de ter consertado alguns pontos em que o original falhou, ainda há muitos erros para serem revisados. Quem sabe uma terceira parte não consiga superar essa segunda? Pelo menos agora eu não me importaria em voltar e testemunhar o terceiro "último" exorcismo. E vocês? Irão voltar ou esse demônio já deveria ter sido exorcizado há muito tempo?


Trailer Legendado:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. Eu gostei mais do primeiro. Senti falta do tom documental e do pastor agnostico do anterior. Queria ver essa Ashley Bell em outras producoes para avaliar melhor seu trabalho. Mas tenho que admitir que a trilha sonora deste ultimo e perfeita, digna de premiacao. Eles deviam ter mudado o titulo, esse ultimo exorcismo nunca chega!

    ResponderExcluir