domingo, 30 de junho de 2013

[Crítica] Criatura Maligna


Direção: Lucky McKee
Ano: 2005
País: EUA
Duração: 60 minutos
Título Original: Sick Girl

Crítica:

Vocês já ouviram falar da expressão "Quanto mais alto, maior a queda"? É exatamente isso que enfrentamos nessa quinta rodada da primeira temporada de Mestres do Horror. Infelizmente, depois do excelente episódio anterior, Pacto com o Demônio, fomos "presenteados" com um dos piores episódios até agora. Ironicamente, a disputa de "pior" é super acirrada, enquanto não há disputa para o "melhor", porque há um vencedor disparado. Estão preparados para um filme tão ruim e bizarro que te deixa ligado até os últimos momentos? Parece estranho quando digo isso, mas explicarei melhor mais abaixo.

A história gira em torno de uma entomologista, Ida, que é obcecada por insetos - por isso é tão boa em seu trabalho. A paixão e dedicação pelo seu trabalho andam destruindo suas chances de encontrar uma garota ideal, porque as meninas têm tendência de ter nojo de insetos, o que acaba cortando contato com Ida. Não demora muito para ela se aproximar de uma jovem tímida, Misty, que aparentemente a compreende e parece ter nascido para se tornar sua namorada. Em paralelo a isso, Ida recebe um estranho e desconhecido inseto por correio. Quando ele se escapa, ela não liga, mas logo fica claro que ele é um parasita que tem a capacidade de causar mutações em suas vítimas...

Essa história é ridícula por si só. Não tem como levar nada a sério, principalmente o inseto, que mais parece um caranguejo mutante. O bicho é realmente foi feito e a produção não teve muito cuidado em desenvolver algo mais apresentável. Infelizmente, o bicho não está nem perto de ser o maior ponto negativo, porque há elementos muito piores. Os efeitos que o inseto mutante causa em suas vítimas são risíveis. É como se ele tivesse a capacidade de fazer lavagem cerebral nas pessoas que morde, alterando não só sua personalidade, como também controlando-as (!).

Até mesmo um personagem que entende do assunto ficou chocado com a situação apresentada. Ele simplesmente define tudo o que o espectador está pensando. Em certo momento, quando ele lê que o inseto cretino chupa o sangue das suas vítimas e injeta uma substância química que causa mutação, ele simplesmente não aguenta com tanto absurdo e começa a rir. Tem como ser diferente? O bicho persegue um cachorro e o leva para debaixo do travesseiro, onde o mamífero simplesmente some da face da terra, sem deixar um pingo de sangue. E o mais engraçado é que o inseto fez o seu ninho dentro do travesseiro de sua vítima e ela não percebeu. Enfim, a tosqueira realmente não tem limites.

A diretora responsável por essa trasheira é Lucky McKee, que esteve por trás de May - Obsessão Assassina. Essa deve ser a única forma de explicar a presença de Angela Bettis (Carrie - A Estranha) encabeçando o elenco desse episódio absurdo, já que ela também teve nesse outro filme da diretora (talvez tenha sido um favor!). O importante é que o elenco é composto por meia dúzia de cabeças, reduzindo muito as despesas. Praticamente não há tomadas externas. Provavelmente a diretora gastou todo o orçamento no terceiro ato, onde uma das personagens apresenta suas mutações. Pelo menos essa parte é interessante e a caracterização da personagem ficou muito, muito bizarra. Simplesmente sambou na cara do inseto deficiente.

Como já era de se prever, o desfecho não poderia ter sido pior, assim como a explicação de como o inseto foi parar na porta da protagonista. Aliás, nós do Brasil devemos tomar muito cuidado, porque esse inseto é do nosso país (O que esse povo acha que se pode encontrar no Amazonas?). Enfim, esse filme é bizarro em todos os sentidos da palavra. Pelo menos não se leva a sério, o que acaba nos deixando curiosos para saber o que irá acontecer na próxima cena. O desenvolvimento é muito tosco. Tão ruim que acaba divertindo. Não posso dizer que perdi o meu tempo, porque apesar de ser péssimo, realmente me distraiu. Enfim, assistam com sua conta em risco e cheguem os seus travesseiros de noite.

Trailer:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. Oi, ainda não vi esse episódio do Masters of horror, mas como grande fã do DIRETOR Lucky Mckee e admirador do cinema de horror, devo alertar para uma maior revisão nos artigos, nesse aqui há alguns erros de português, mas principalmente faltou uma mínima pesquisa nos trabalhos anteriores de Lucky McKee, que é um diretor, e não uma diretora como está escrito.

    ResponderExcluir