sábado, 1 de junho de 2013

[Crítica] Continuum - 2x02/03: Split Second / Second Thoughts

Correndo contra o tempo...Não, pera.

Review:
(Spoilers Abaixo)


Eu sei. Estou MUITO atrasado com as reviews da série. Acho que nunca atolei tanto com uma única série. Mas fazer o quê? A vida está uma loucura e infelizmente ainda não posso ficar brincando com viagens no tempo pra poder me colocar em dia. O jeito é pedir desculpas, e continuar com Continuum. Porque a vida segue, e o mundo não para pra ninguém. Não preciso nem dizer que em função disso, teremos reviews duplas da série pra me ajudar a se colocar em dia. Afinal, não está fácil pra ninguém. Prometo que semestre que vem, já vou estar mais habituado a esse novo padrão de vida e não ocorrerá tantos atrasos como ocorreram nesse primeiro semestre do ano. Mas chega de perder tempo como mimimi, essa série está cada vez mais doida de se acompanhar.

Sabem? Estou bem dividido sobre o que estou achando dessa temporada de Continuum até agora. Quer dizer, está faltando alguma coisa. A série está muito...apática. Os episódios são bons, mas falta alguma coisa. Falta aquela sensação gostosa que você sente depois de assistir a um episódio da sua série favorita. Eu simplesmente não sinto isso com a série. E ainda não consigo entender o que raios está faltando. 

Fica óbvio que a reclamação de muitos foi ouvida, e estamos vendo um lado mais emotivo e sensível de Kiera. Em função disso, o destaque dado na personagem vem sido grande. Mas a pergunta que faço é: e os outros? Principalmente Alec e Carlos que até agora não mostraram a que vieram nessa temporada. Alec até teve uma trama maior nesse terceiro episódio, mas que sinceramente, a mim ainda não empolgou. Quer dizer, todo esse lance com drogas têm ficado gastos, agora, ele tentar lembrar do pai e vir aquela reviravolta. Foi meio, what the fuck? Me pareceu totalmente cuspida na gente, mas enfim, gosto do Jason e espero que ele tenha mais destaque com isso pelo menos. O que eu não gosto mesmo, é de todo adolescente coadjuvante de série de ficção ter que se viciar em drogas. Clichê batidinho e sem graça. Já Carlos, continua voando na trama como ajudante da Kiera. Não faz nada além de ser enganado, atirar e brigar com os vilões. Parafraseando o Travis, tá na hora da Kiera contar a verdade pra ele. 

Falando na verdade verdadeira, e Gardiner? O personagem até agora também não fez grandes coisas. Ficou naquela desconfiança e só. Vamos ver se ele vai descobrir sobre Kiera ou se vai ser tão enrolado quanto o Carlos está sendo. 

Outro destaque vêm sendo a divisão da Liber8 em dois. Sonya e Lucas de um lado, Garza (é assim que escreve?) e Travis do outro. Confesso que esse têm sido o ponto mais alto da temporada até agora. A briga por poder está sendo gostosa de se acompanhar, por um lado uma dupla que quer usar a inteligência, do outro, uma dupla que quer usar a força pra atingir seus objetivos. E ainda, no meio dessa loucura toda, temos Teseu/Julian. Que está sendo protegido ora por uma dupla, ora por outra. E acho que ele vai ser uma grande chave na trama a partir de agora. Só não sei como o ator está conciliando fazer duas séries ao mesmo tempo - já que ele também está em uma das novatas da CW que estreiam na Fall desse ano. Seria um indicio de que o personagem vai morrer em Continuum? Se bem que se ele existe no futuro, não tem como ele morrer no presente, certo? Ou não, afinal, a teoria do tempo que a série está usando ainda é uma mistério para nós.

Falando em mistério, qual é a do Kellog? De onde veio esse súbito interesse no Alec? Eu estou confuso. O que será que o personagem está pretendendo? Ele está querendo impedir que o Alec não entre em conflito consigo mesmo, e não mude o futuro é isso? Pelo menos é o que eu estou entendendo. Mas o Alec já não sabe tudo que vai acontecer no futuro? Por causa da carta, eu deduzi que ele ia mudar o futuro, justamente por saber que ele vai se tornar alguém de caráter duvidoso. Enfim, estou começando a montar uma teoria sobre o Kellog, que eu conto nas próximas semanas caso tenha algo mais concreto. Se ele for o que eu estou pensando...

Sobre os flashfowards do episódio, não tenho muito o que comentar a não ser: De onde raios saiu essa irmã caçula da Kiera? Gente, ninguém nunca comentou a existência dessa menina. Ok. Entendo o argumento de "Ah. A garota tinha se suicidado, é normal que a Kiera não fique comentando", mas mesmo assim. Achei muito cuspida a situação, mas foi bom, pra vermos uma Kiera mais emotiva. Mais humana. Mais...mãezona.

Bom, acho que por ora é isso. A trama deixou de lado o procedural e começou a trabalhar mais na sua história. Quase não vemos mais o enfoque no caso semanal, e sim, em casos que corroboram pro arco principal da série. Em compensação, sinto como se os roteiristas falassem, falassem e falassem e no fundo, não dissessem nada. A trama está caminhando, mais muito devagar. Continuum podia continuar um pouquinho mais rápido.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário