quinta-feira, 30 de maio de 2013

[Crítica] Mundos Opostos


Direção: Juan Solanas
Ano: 2012
País: Canadá | França
Duração: 100 minutos
Título Original: Upside Down

» Será distribuído pela Califórnia Filmes, direto em DVD, com o título Mundos Opostos. Ainda que não tenha sido traduzido literalmente (algo como De Cabeça para Baixo), não achei o título nacional ruim. Serve perfeitamente ao propósito da história.

Crítica:

O amor pode te deixar de cabeça para baixo.

O amor é uma das forças mais implacáveis da maioria nas histórias que vemos (seja em filmes, livros ou séries). Não estou me limitando apenas no óbvio gênero romance, porque não podemos esquecer que esse sentimento invade qualquer tipo de filme e, a não ser o câncer, não há nada que ele não consiga vencer. E é justamente o amor que toma conta da tela em Upside Down, um filme essencialmente de ficção científica, que lança um novo desafio para os amantes desesperados: Poderia o amor vencer as forças da gravidade?

A história gira em torno de Adam, um cara aparentemente normal em um universo bastante extraordinário. Ele vive humildemente tentando pagar as contas, mas seu espírito romântico se segura a uma memória de uma garota que ele conheceu em outro tempo, em outro mundo, um mundo afluente invertido com sua própria gravidade, diretamente acima dele, mas além do seu alcance… Uma garota chamada Eden. Seus flertes durante a infância se tornam um amor impossível. Mas quando ele rapidamente vê a Eden adulta na televisão, nada ficará em seu caminho para tê-la de volta… Nem mesmo a lei ou a ciência!

Essa história é diferente de tudo o que já assisti. Dois mundos, um sobre o outro, onde a gravidade age de formas diferentes e duas pessoas apaixonadas presas em seus próprios mundos. Esse é mesmo um grande desafio para o amor, um dos maiores que já acompanhei. Esse filme é maravilhoso e injustamente esquecido pela maioria do público. Apesar de dispor de um enorme orçamento, Upside Down falhou nas bilheterias e foi mandado para a esquina do esquecimento. O fracasso se deve à falta de divulgação, porque o filme tinha todos os elementos certos para render público.

No enredo, a ficção científica é trabalhada apenas como plano de fundo. Há diversas outras situações que o roteiro poderia ter explorado com essa história de mundos sobrepostos - como tráfico, por exemplo -, mas o foco do roteiro é em torno do casal protagonista e sua luta para ficarem juntos, apesar de tudo estar contra eles. Há algumas cenas de ação e perseguições, mas os melhores momentos são os que o casal está junto. Destrinchando a história, temos o clássico romance proibido de dois jovens, de classes sociais diferentes, que acabam se apaixonando de forma inesperada.

A divisão social também é outro fator interessante a ser discutido. Enquanto o mundo inferior é pobre, miserável e com poucos recursos, o mundo superior é onde os ricos vivem com conforto. Em determinada cena em um bar, pessoas do mundo superior bebiam drinks do outro mundo e eles eram servidos de cabeça para baixo, por causa da gravidade diferente. É apenas um detalhe - um luxo por parte dos personagens - mas que faz uma certa diferença. Essa criatividade não passa em branco. O elenco é competente, principalmente os protagonistas, Jim Sturgess e Kirsten Dunst, que mostraram ter bastante química juntos.

A fotografia é extremamente bela, assim como os efeitos visuais em geral, que ajudaram a manter a beleza visual das cenas. Os efeitos são excelentes e chega a surpreender (como já disse, foi um grande orçamento). O terceiro ato é tão bem desenvolvimento quanto o resto do filme e encerra bem a história. Agora resta apenas a vocês optarem em embarcar nessa jornada ou ficarem em suas respectivas gravidades. Eu recomendo! Esse filme é muito bom, merece ser visto.


Trailer Legendado:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. Poxa,acabei de assistir ao filme no youtube e me pergunto onde ele esteve durante esses quase 2 anos que eu não ouvi falar.Realmente sensacional! Como você descreveu ;-)

    ResponderExcluir