sábado, 11 de maio de 2013

[Crítica] Once Upon A Time - 2x21: Second Star to the Right


A maldade também sempre vem com um preço.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Eu sei que disse que não haveria mais atrasos, mas nem tudo sai como planejamos e eu acabei falhando com essa cidade vocês. A questão é que a série em si acaba de apresentar um episódio muito digno, que nos lembra que uma Season Finale épica está vindo por aí e nos faz esquecer das coisas estúpidas que testemunhamos nos episódios passados. Sei que já cansei todos vocês reclamando sobre tudo em torno da Tamara, então os pouparei essa semana. Agora eu quero apenas relaxar, largar meu cérebro em outro cômodo e aproveitar o final dessa bagaça.

Nossa querida Rainha Má em perigo? Os vilões realmente querem chamar atenção. Regina é um dos personagens mais adorados pelos fãs da série. É impressionante, mas ela e o Rumpels têm uma legião de fãs maior até que alguns dos heróis. Por que isso acontece? Bem, além deles não hesitarem em matar qualquer um que ameace suas vidas, eles também tem uma profundidade sem igual. Ainda que estejam condenados a repetir alguns erros de seu passado, eles têm muita bagagem e poder acompanhar a formação do caráter deles através do tempo é uma oportunidade única.

É por isso que os vilões de Storybrooke ganharam um lugar especial no coração dos espectadores. Afinal, há sempre um espaço para as trevas em nosso coração. Se até o coração da Snow cedeu à escuridão, quem dirá o nosso. E quem foi a primeira pessoa que a dupla de vilões meia boca decidiu atormentar? Ninguém menos que a Rainha. Tenho certeza que mexeu com muita gente e eu só esperava que os dois morressem da forma mais lenta possível. Será que tem alguém na face da Terra que gosta da Tamara? Ela é tão interessante quanto uma folha de papel em branco.

E o mais interessante é que torcemos pela Regina não importando as crueldades horríveis que ela fez no passado. Tecnicamente, o cara ficou traumatizado, sequestrado quando criança e foi separado do seu querido pai por causa de uma lunática com magia. E, depois de anos, ele descobre que ela o matou logo depois da separação e, de alguma forma, isso soa extremamente positivo para nós, ainda considerando que o cara vingativo é o vilão. Acredito que nem mostrando flashbacks em torno de sua história, ele poderá se tornar interessante. Não considero isso um defeito, afinal, uma série tem que ter aqueles personagens nojentos que torcemos para que morram.

Por falar em morrer, eu nunca estive tão decepcionado. E o pior de tudo é que aconteceu da forma mais previsível possível. Tamara e Greg escaparam da Família Charming, sendo que eles estavam armados (!!). E nas duas oportunidades, eles deixaram os vilões fugirem, ao invés de mandar logo um headshot bolado na fuça deles. Não sou fã de medidas humanitárias e se a Emma seguisse meus conselhos, certamente estaria com o amor de sua vida nos braços. Agora o Neal levou um tiro e foi teletransportado para outro mundo (e eu achando que os feijões deveriam ser jogados na água para fazer efeito). Achei a cena muito cativante, principalmente a troca do "eu te amo".

Não há muito mais que comentar, além dos flashbacks em torno da sofrida infância de Bael. Como muitos desconfiam - inclusive eu -, Bael era um dos garotos perdidos, ligando sua storyline diretamente com a Terra do Nunca. Os flashbacks introduziram também a Wendy, que não faz muito aqui. Gostei como os roteiristas transformaram a história da sombra em algo sombrio. Se pararmos para pensar, aquela sombra parecia o braço direito do próprio demônio. Eu não entendo como alguém pode dar a mão a ela e simplesmente voar para outro reino. Enfim, gosto é gosto.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. por mim regina morria. aja mprte na conta dela. desculpe. mas nao teria do de hitler

    ResponderExcluir