domingo, 19 de maio de 2013

[Crítica] Nikita - 3x21: Invisible Hand


Sacrifício é o pecado que cometemos por quem amamos.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Penúltimo episódio da temporada e a série continua seu ritmo frenético, fazendo-nos enfartar a cada semana. Dessa vez não foi diferente, muito pelo contrário, tivemos um dos episódios mais catastróficos de toda a série. Sinceramente, tenho certeza que o coração de todos os fãs da pobre Nikita quebrou em milhares de pedaços. E é justamente por causa disso que somos apaixonados por essa série. Nikita pode entortar, mas ela não quebra. E agora que a próxima temporada está confirmada - com a promessa de um final mais do que digno -, vamos apenas nos preparar mentalmente para o último episódio da temporada.

Esse foi um dos episódios mais depressivos da série. Sem querer desconsiderar a morte do Sean, mas os eventos dessa semana foram milhões de vezes mais tristes, e nem foi preciso ninguém morrer para isso. O episódio foi implacável em seu desenvolvimento e abriu espaço para uma Season Finale simplesmente épica. Ainda bem que há mais uma temporada de seis episódios confirmados, porque se não fosse por isso, eu não saberia o que esperar desse confronto final. Não houve luta ou combate físico essa semana. O enredo se encarregou de revelar algumas reviravoltas que serão fundamentais para o último episódio.

Um dos plots que mais foram comentados negativamente dessa temporada foi a perda e substituição da mão do Michael. Muitos disseram que foi uma trama desenvolvida apenas para encher linguiça, já que ela se resolveu muito fácil e não teve qualquer impacto na história central. Porém, depois desse episódio, todo recalque foi calado. A mão do Michael será o evento principal em torno do último episódio desse ano. É como o ditado "Quando a esmola é demais, o santo desconfia". Infelizmente, Michael e a Nikita estavam cegos com uma solução instantânea e agora o Michael foi contaminado com um experimento mortal da Oficina.

Essa foi uma reviravolta que deve ser aplaudida de pé. Não só foi original, como também ligou eventos aleatórios do meio da temporada e os transportou para o centro da trama. Amanda provou que merece o seu lugar de vilã principal da série. Essa mulher não pode morrer nessa temporada. Ela simplesmente merece estar no topo das trevas até que a série seja propriamente finalizada. Amanda atingiu um outro nível em termos de manipulação. Usando o Michael para atingir a Nikita e ainda fazendo tarefas da Oficina. Tudo isso resultando na catástrofe que a Amanda havia planejado desde o começo. Eu sei que deveria odiá-la, mas eu só quero aplaudi-la.

A reviravolta final foi tão chocante que todo o resto que não girou em torno dela se tornou insignificante. Ainda assim, tenho que comentar sobre o envolvimento da Alex com a ONU. A pedidos de uma grande humanidade, é bem provável que ela faça parte do grupo em defesa aos seres humanos. Não há jeito melhor da Alex se manter sã, pagar pelos seus erros e ajudar novas pessoas. Apesar de não ter tido muito espaço no episódio - e nem poderia ter tido -, eu apreciei essa decisão do roteiro. Foi uma decisão acertada ao levar a Alex nesse caminho.

Por último, voltamos à Nikita, que agora tem a missão de matar a presidente dos EUA em 24 horas, sem avisar a ninguém, ou o Michael tem uma morte dolorosa e perturbadora. Não podemos esquecer que a morte tem que ser pública e que a Amanda consegue ouvir tudo em torno da nossa heroína. E agora? Como a Nikki vai conseguir sair dessa situação? Ou será que ela irá matar a presidente de forma fria para salvar aquele que ama? Enfim, não importa como terminará, será um puta episódio e eu tenho certeza que muito sofrimento e adrenalina ainda estão por vir.

PS. A música do final do episódio foi perfeita (Digital Daggers - The Devil Within).
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário