quinta-feira, 9 de maio de 2013

[Crítica] Bates Motel - 1x07/08: The Man in Number 9 / A Boy and His Dog

Intuição de mãe nunca falha.

Review:
(Spoilers Abaixo) 

O que devemos fazer quando uma série está atrasada? Exatamente, uma review dupla, que eu odeio tanto quanto vocês. Mas dessa vez não tem colégio, namoro, morte da avó ou dever de casa. A Review Dupla de Bates Motel foi planejada há mais uma semana, logo depois de assistir ao episódio 1x07. Não achei que o material apresentado fosse o suficiente pra fazer uma análise completa, então resolvi esperar até pelo próximo episódio. Reclamações, dúvidas, elogios? Usem a caixa de comentários ali embaixo, porque quem manda aqui são vocês.

Primeiro vamos falar brevemente do episódio 1x07: The Man in Number Nine. Eu sei, esse nome é capaz de nos deixar numa expectativa monstruosa, mas o episódio foi apenas uma propaganda enganosa. O homem misterioso do quarto nove só apareceu em quatro cenas, todas curtas demais para causar algum impacto. Na verdade, a dinâmica da série caiu bastante nesse episódio. O novo vilão apenas apareceu, Norman levou um fora da garota mais popular do colégio, Norma e Emma se aproximaram o suficiente pra perseguirem Bradlay... Então, nada de novo aconteceu. Só tem alguns detalhes importantes que precisamos comentar.

Logo após a morte do Delegado Shelby, o Xerife chega ao local do crime e propõe a família Bates que inventasse uma história sobre o ocorrido para evitar perguntas. Zack ficou como um policial corrupto que matou o parceiro Keith e o Xerife como o herói que o assassinou antes que machucasse a família Bates. Como isso não influenciaria em mais nada Norma e seus filhos, ela aceitou o trato e todos seguiram em frente. Quer dizer, em partes, porque as pessoas daquela cidade deixaram claro que nunca vão se hospedar num hotel onde tanta tragédia aconteceu.
 
Em paralelo a tudo isso, Norman estava adotando um cão de rua pra ser seu novo companheiro, mas isso foi bem mais explorado no episódio seguinte. Depois que a cadela foi atropelada por um carro em frente ao hotel, Norman decidiu leva-la ao pai da Emma para que preservasse sua beleza através da taxidermia. Foi essa a maneira que os roteiristas encontraram para ligar o assassino ao hobbie desde cedo, e parece que serviu como uma luva. Não só estamos precisando de mais referências ao filme Psicose de 1960 como também um bom exemplo de que Norman pode se interessar por algo “incomum”. Esvaziar algo que costumava ser orgânico não é o que a maioria chamaria de hobbie, mesmo que continue sendo um trabalho artístico. 

Emma, apesar da aproximação entre Norman e seu pai, ainda não conseguiu estabelecer uma ligação com o garoto. Ela chora por ele, o defende no colégio, diz que ele é especial, mas o garoto só tem olhos pra loira popular que só quis usá-lo por uma noite. Uma loira que essa semana revelou que tinha namorado e que ninguém poderia saber do que ela e Norman fizeram. Uma pena que ela não estava presente quando Emma deu uma lição de moral nas garotas que falavam mal do seu novo amigo. Mas eu ainda tenho esperanças que a garota atire longe os aparelhos e dê uma surra na rival, hahaha!
 
Agora precisamos voltar novamente ao Bates Motel onde encontramos Norma em mais uma saia justa. Ela ficou o episódio inteiro sendo bombardeada pelas pessoas daquela cidade como se fosse um verdadeiro complô. Primeiro com o Xerife idiota, que me desculpem, mas merece uma morte lenta e dolorosa até essa Season Finale. Depois com o psicólogo que os professores do Norman indicaram ao garoto, já que ser uma mãe controladora não é uma coisa que um profissional deixe passar. E tudo isso só pra depois ela seguir o seu primeiro hóspede e receber uma ameaça bastante clara de alguém que obviamente era um criminoso muito mais perigoso que Zack e Keith.

No final do episódio, quando Dylan leva algumas pessoas que ficou encarregado de transportar até o hotel da mãe, ela corre pro segundo andar pensando que iria apenas trocar de roupa e voltar pra receber os novos inquilinos. Mas ao invés disso, ela acaba encontrando o corpo do Delegado Shelby na sua cama, ou pelo menos o que restou dele. Achei incrível como ela gritou pelo Norman mesmo que Dylan fosse o único filho que estava ali. É como se até nos pequenos detalhes a série quisesse passar que o relacionamento deles é tão intenso quanto doentio. Não é a toa que daqui a alguns anos Norman irá matar pelo menos uma dúzia de garotas em nome da relação que teve com sua mãe.

Dito isso, o que podemos esperar dos dois últimos episódios dessa temporada? É claro, muito adrenalina, mais algumas mortes e quem sabe uma surpresa sobre a mitologia de Norman Bates que podem estar guardando pro minuto final. Li alguns possíveis spoilers na internet, mas não se preocupem, não vou dar uma de estraga prazeres. Só queria deixar claro que se acontecer tudo da maneira que disseram, épico vai ser pouco pra definir. Então, nos vemos em breve. E através de Review exclusivas, pra que a gente não perca nenhuma informação, seja ela irrelevante ou crucial.

PS: Dylan e seu companheiro de trabalho. Namoro, Amizade ou Homicídio?

Promo 1x09 "Underwater"
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. A norma imaginando o filho transando com a bradley enquento via a menina fazendo ioga kkk ela é completamente doida kk

    ResponderExcluir