sábado, 27 de abril de 2013

[Crítica] The Vampire Diaries - 4x20: The Originals


Não há recomeço sem mudanças.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Essa é uma semana especial para quem assiste The Vampire Diaries. Nada de acompanhar dramas adolescentes pelas ruas de Mystic Falls. Neste episódio, a ação se passou em Nova Orleans e, para quem não sabe, esse episódio foi um projeto de um possível spin-off sobre a família Original - mais especificamente, Klaus. Eu já venho comentando sobre a saída dos Originais há algum tempo, mas acabou se tornou oficial. Logo no dia seguinte da exibição, a CW deu sinal verde para o projeto e The Originals vai mesmo se tornar uma série de verdade. E o que eu achei de tudo isso? Sigam-me.

Uma das principais questões pessoais que carrego comigo é: Eu voltarei a andar dar passeios semanais por Mystic Falls? Muito provavelmente não. É esperado que outra pessoa me substitua, porque eu estou me mudando para Nova Orleans. Sim, eu adorei o spin-off. E eu também continuarei assistindo The Vampire Diaries, mas minhas expectativas não poderiam estar menores. Sinceramente não sei do que esperar do próximo ano. Com a saída dos melhores personagens e o fato de que a série vem apresentando o seu pior momento, acredito que Elena e sua trupe passarão por tediosos momentos. Bem, eu não estarei aqui para criticar, porque estarei provando sangue novo. Bite me!

Quem pensa que The Vampire Diaries e The Originals é basicamente a mesma coisa está muito enganado. Há uma diferença gritante entre a climatização das duas séries. Os produtores provavelmente se empenharam em trabalhar essa diversidade, o que foi uma escolha inteligente. Nova Orleans é considerada um dos locais mais poderosos em termos de bruxaria/vudu. Diferente de Mystic Falls, a bruxaria deixará de ser apenas um recurso para se tornar algo realmente importante da história. Há uma guerra - uma hierarquia - entre vampiros e bruxas. E o nosso querido Klaus está no meio de tudo isso, buscando o seu lugar ao sol.

É claro que o Klaus é um vilão e, para protagonizar sua própria série, ele teria que mudar. Mas como quebrar o personagem e torná-lo digno de um anti-herói? O roteiro foi inteligente com o plot da gravidez da Hayley. Por causa da forte possibilidade de construir uma família e se fixar em um lugar onde pode criar raízes, Klaus pode começar sua mudança sem parecer algo forçado. Além disso, seguirá um caminho coerente, sem desconstruir o que foi apresentado em The Vampire Diaries. Isso tudo nos leva até Marcel, que, inicialmente, será apresentado como o verdadeiro vilão, forçando o Klaus e a bruxas a unirem forças contra um inimigo em comum. É inteligente e, o melhor, interessante de acompanhar.

E não há série digna sem os possíveis interesses amorosos, certo? Além da Hayley, que está com um filho do protagonista no ventre, temos a introdução de uma noção e intrigante personagem, Camille. Ela é uma bartender faixa preta em karatê (quero vê-la em ação desde já), que se mostrou mais inteligente que a maioria das outras garotas. Não só despertou o interesse do Klaus, como também do vilão Marcel, o que pode ser o começo de um novo triângulo amoroso. E, claro, não posso deixar de falar sobre o telefonema do Klaus para sua amada Caroline. Foi algo rápido, mas de uma importância infinita. Foi fofo ver que ele não esqueceu da personagem e, como a própria Julie Plec disse, isso não quer dizer o fim de Klaroline. Quer dizer que eles ainda têm que mudar muito para poderem ficar juntos. Alguém mais está querendo ver a Barbie Vampira fazendo as malas para Nova Orleans?

Enfim, os plots desse spin-off me agradaram bastante, assim como o desenvolvimento e transição da história. Também houve um pouco de The Vampire Diaries no episódio, com o drama da Elena sem se alimentar e, mesmo assim, sem implorar por sangue. Elijah também teve que buscar seu desfecho com a Katherine, o que soou extremamente vazio. Porém, nem tudo é perfeito. Vampbitch não iria poder passar seu conto de fadas em Nova Orleans, então um final feliz com o irmão Original estava fora de cogitação. Bem, agora é só nos prepararmos para as emoções finais dessa temporada e torcer para uma Season Finale de cair do queixo. Será?
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
2 Comentários

Comentário(s)

2 comentários:

  1. Também gostei muito do spin-off The Originals, mas fico muito triste de pensar que não vou mais ver os Originais em Mystic Falls. Pooxa The Vampire Diaries era a minha série favorita, foi a partir dessa série que passei a me interessar por outras. E agora ver ela ruim desse jeito da uma tristeza enorme. Essa 4 temporada ta muito sem sentido. Eu era Delena antes pqe era legal de acompanhar o desenvolvimento do casal, um passando a gostar do outro aos poucos, mas agora pra mim tanto faz com quem Elena vai ficar. Nem da mais entusiasmo acompanhar o triangulo amoroso.
    Enfim, que venha The Originals. Essa ai promete.
    PS: Tomara que o Klaus tenha uma menina, xP .

    ResponderExcluir
  2. Adorei o spin-off, mas não gostei dessa ideia a la crepúsculo sobre gravidez... Tomara que isso seja melhor trabalhado. Aposto que os Originais voltarão pra TVD em alguns episódios através de crossovers entre as duas séries.

    E sobre TVD: eu ainda gosto da série, mas tenho saudades de quando um plot se resolvia no máximo em 3 ou 4 episódios...

    ResponderExcluir