domingo, 7 de abril de 2013

[Crítica] Suburgatory - 2x18/19: Brown Trembler / Decemberfold

Parabéns a todos os pais solteiros, mas somos uma comunidade.

Review:
(Spoilers Abaixo) 

E quando eu acho que os moradores de Chatswin não podem ficar mais loucos, Suburgatory vem e me apresenta uma sequencia de ótimos episódios. Sinceramente fiquei sem palavras com loucura que foi essas duas ultimas semanas. Se pudesse até faria Reviews separadas pra dar a atenção merecida a cada um dos episódios, mas em terra de atrasos, quem tem poucas séries é rei. E vice e versa, se é que isso faz algum sentido.

Em Brown Trembler, a associação das donas de casa quase desesperadas comandada por ninguém mais, ninguém menos que Sheila Shay, decidiu pressionar George para que desse um jeito na vida libertina que Noah e seu filho estavam levando. Afinal, crianças precisam ser criadas em casas com três quartos, cerca de madeira e janelas quadradas, não num hotel luxuoso onde são tratadas como se fossem o presidente. George pareceu um pouco hesitante quanto a envolver-se no problema dos outros, mas Noah e Opus realmente estavam precisando de ajuda. 

Quando eles foram expulsos do hotel por amarem demais os empregos, coube ao Daddy Altman abriga-los em sua casa até que a situação do divórcio fosse resolvida. Preciso mesmo dizer que essa foi uma péssima ideia? Porque estava na cara desde o começo que Noah tentaria fazer da casa dos Altman seu próprio hotel improvisado. Até tomou a liberdade de construir em tempo recorde uma casinha no quintal pra abrigar ele e seu filho, mas a essa altura o coração do George já estava amolecido e tudo terminou bem.
Enquanto isso, a guria possuída que todos estão curiosos pra ver atuando em A Morte do Demônio, tentava ajudar Fred Shay a parecer descolado pra arrumar um emprego. Ele usou aba reta, vestiu três camisas, criou uma conta no Twitter e descobriu quem era Katie Holmes, mas nada adiantou. Ele acabou perdendo o equilíbrio de seus patins super nova iorquinos e caiu da escada levando aquele que seria seu futuro chefe. Ou seja, como assessora de suburbanos, Tessa é uma ótima namorada de um jogador de futebol. 

Não sei se vocês vão concordar, mas Dalia foi um dos grandes destaques de ambos os episódios. No primeiro ela começou meio tímida, apenas sendo obrigada pela mãe a se desfazer das coisas de infância mesmo que todo ser humano normal precise de 239 bolsas dentro de um baú. Ok, foi exagero, mas Dalia realmente havia se tornado uma empilhadora. Mas no segundo episódio os roteiristas resolveram apelar pro seu lado Norman Bates psicótico. Com a chegada da filha mais velha do Noah com quem tinha uma rincha, ela ficou obcecada pela Tessa, sendo capaz de Tuitar o quanto é legal vê-la comendo salada like a boss (!). 

Acontece que a Jenna, a primogênita de Noah, não era uma simples amiga como Dalia nos informou. Elas na verdade eram ex ficantes, que se odiavam por causa de um término ruim. Isso mesmo, Dalia Royce, que atualmente tatuou o rosto do seu namorado nerd nos quadris, já foi ousada o suficiente pra colar o velcro com uma garota intelectual, hahaha! Mais What the fuck que isso só Lisa encontrando sua gaveta cheia de fotos do Daddy Altman enquanto toca a musica Dark Side da Kelly Clarkson. Gente, pensei que a Lisa seria assassinada naquele quarto, hahaha! Com certeza uma das cenas mais engraçadas dessa temporada.
E o que falar sobre a disputa entre os pais de Chatswin pra estampar o mês de Dezembro no calendário de caridade? Isso sim é apelo sexual, viu. Nunca vou me esquecer do Fred caracterizado como a Rose de Titanic e do Noah em meio a um jardim florido. Mas não teve pra ninguém, quem ganhou essa disputa foi mesmo o Daddy Altman, mesmo que isso tenha quase custado seu relacionamento com a Dallas. É como eu sempre digo, pode ter o drama que tiver, tudo sempre termina bem. Suburgatory é como uma fábula bizarra para adultos, mas que consegue manter a beleza da moral da história no final. O que neste caso foi: Nunca tente enlouquecer sua namorada por causa de um calendário, a não ser que ela não saiba quem é o presidente dos Estados Unidos. Bem, acho que mesmo se ela souber.

Dentre outros acontecimentos, tivemos Fred Shay virando uma dona de casa enquanto a mulher dá duro lá fora. Porque convenhamos, todos sabem que a tia Sheila é a Michonne de Chatswin. E também o retorno do Canguru da Dalia, que reapareceu numa forma de auto-paródia quanto ao seu sumiço repentino. Quem diria que se ela tirasse algumas coisas do armário ele iria reaparecer, né gente? Por sorte ele passou todos esses meses comendo sapatilhas, então não corre perigo. Fora isso só me resta comentar sobre os três pais do ano juntando a bundinha pro fotógrafo tarado, hahaha! É por essas e outras que eu nunca vou abandonar Chatswin.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário