segunda-feira, 1 de abril de 2013

[Crítica] Grey's Anatomy - 9x17: Transplant Wasteland

Requisitando um transplante em 3, 2, 1.


Review:
(Spoilers Abaixo) 


Finalmente Grey's Anatomy saiu do hiatus e voltou com todo vapor à nona temporada. O que aconteceu é que eu resolvi estender um pouco mais o hiatus da série, mas, sem delongas, cá estou atualizando as reviews. E, antes de tudo, me tragam oxigênio antes que meus pulmões falhem por falta de ar com esse episódio.

Depois do anúncio da compra do hospital pela fundação Harper Avery e a entrada do Jackson no Conselho do hospital, as coisas ficaram realmente bagunçadas por um momento no Seattle Gracy Mercy West. Primeiro, nossos médicos, que agora fazem parte da administração do hospital, viram-se constantemente divididos entre medicar e administrar. Foi simplesmente divertido vê-los enrolados ao trabalhar com uma equipe ainda pequena no hospital.

Para completar, Jackson, até então visto como um meninão, estava sendo cada vez mais pressionado pela mãe para assumir um lugar de responsabilidade no hospital. Tudo isso não foi suficiente para a Shonda e ela resolveu colocar três transplantes no hospital num único dia. Tudo pareceu muito bagunçado de início, mais aos poucos tudo foi se encaixando e resultou num episódio perfeito.

O hospital estava simplesmente caótico e a primeira coisa a ser resolvida seria os métodos implantados pela Pegasus. Se estes permaneceriam ou não. O fato é que protelar em resolver isso acabou dando um probleminha quando Meredith e Joe foram buscar um rim para uma paciente do Karev. Foi muito engraçado ver o quanto a Joe se envolveu na coisa e o quanto está comprometida em fazer tudo pelo Karev. Estou simplesmente esperando o momento que esses dois vão ficar juntos. A Mer já deu um sacode no Alex para ele se situar e parar de ser tão ranzinza.

Outro problema foi o número limitado de funcionários e o grande número de transplantes e cirurgias a serem feitos. Organizar o quadro de cirurgias ficou a cargo de várias pessoas e por fim tudo acabou embolando e dando confusão da porta da sala de cirurgia. Foi na hora do aperto que o Jackson mostrou que é homem o suficiente pra aguentar a pressão e organizou tudo da melhor maneira possível no momento. Foi uma evolução significativa para o personagem, pois até então ele não passava de um peso morto onde a única história de fato significativa envolvia a April.



Por fim, tivemos a quase demissão do Owen e redenção dele com o Derek. Com a ideia do Conselho de mudar o chefe do hospital e a descarga de mágoas do Derek na cara dele, Owen não teve alternativa a não ser se demitir e ir para o trailer do Derek. Aliás, até tinha esquecido ele, estava com saudades. O fato é que isso serviu para pôr um fim ao jogo de caxangá entre os dois e reatar os laços de amizade. Fiquei feliz por isso e claro que o Owen não vai deixar de ser chefe. Tira-lo para colocar o Richard na direção seria um retrocesso. Apenas.

Agora, a melhor parte do episódio! Como o hospital está passando por grandes mudanças, é preciso que tudo mude, inclusive o nome. Como vocês puderam ver no início da review agora o Seattle Grace Mercy West ficou para trás e damos boas vindas ao Grey Sloan Memorial Hospital. Nada mais justo! O motivo de isso tudo começar para sempre imortalizado. Minhas lágrimas rolaram aos montes, por que isso conseguiu mexer profundamente comigo e lembrar os meus personagens tão amados. Está iniciado mais um capítulo dessa história que nos cativa cada vez mais. O hospital agora é um hospital de médicos, agora a administração está comprometida pelo bem de todos e o Jackson, junto com Derek, Meredith, Cristina, Callie e Arizona vão se assegurar que assim seja.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário