quarta-feira, 27 de março de 2013

[Crítica] Once Upon A Time - 2x18: Selfless, Brave and True


A maldade de alimenta de poder.

Review:
(Spoilers Abaixo)

É muito comum eu subestimar um episódio. Algumas vezes, o tema abordado não me parece atraente ou não é um dos meus favoritos, então não espero grandes coisas. Este, de fato, é um dos casos. Sabia que teria foco encima da namorada do Neal, Tamara. Mas depois de acompanhar as emoções frenéticas dos episódios anteriores - principalmente o que acontece a morte da Cora -, vocês podem imaginar que eu não estava no clima para conhecer ninguém novo, muito menos alguém que pode ser um obstáculo para a felicidade da Emma.

Tamara parecia ser uma garota simpática e bobinha, que deveria ficar chocada com a magia e o Neal não a deixaria porque ela é muito boa para ter o seu coração partido. Então, vocês que já assistiram esse episódio, podem imaginar como o queixo foi até o chão quando o episódio terminou. Tamara não é a mocinha bobinha que aparentava, na verdade, ela tem potencial para ser a vilã da temporada, considerando que a vaga está aberta e ninguém parece disposto a assumir o cargo. Eu pensava que a Cora ficaria até o final, mas ela foi descartada. Então outra pessoa tem que assumir o posto da maldade absoluta.

E a Tamara é perfeita para o papel. Ela não está brincando, porque ela tem uma arma de choque e não tem medo de usar. Sinceramente, foi meio ridícula essa "arma" que ela carrega. Deveria ser uma arma de fogo, para ser mais convincente. É muito melhor do que sair pelas ruas matando pessoas com uma máquina de choque. Aliás, madeira não é uma má condutora de eletricidade? Por que o Pinóquio morreu com uma simples arma de choque? Tudo bem, ele é um ser vivo e mágico, tudo pode acontecer. Só achei que alguém deveria questionar isso.

Aliás, depois do que parecem ser séculos, o Pinóquio está de volta. E, sinceramente, em uma cidade de pessoas íntegras e de bom coração, é questionável o fato de que ninguém procurou pelo Pinóquio esse tempo inteiro, mesmo que o seu pai transbordasse tristeza por onde passasse. Eu não estranhei ou coloquei nas minhas críticas porque realmente não me importo, mas me surpreende que pessoas de bom coração compartilhem do meu sentimento. E, no final, tudo o que o Pinóquio precisava para se tornar um menino de verdade, era se mostrar altruísta, corajoso e verdadeiro. Bem, não é muito difícil conseguir isso quando uma maníaca por poder estar querendo sugar cada fumaça roxa da cidade.

E já que estamos falando em pessoas maníacas, não posso deixar de comentar sobre a Snow White (ou seria Black?). Ela passou de enganadora para suicida, e agora alcançou um novo nível: Agressora de velhinhos. Agora só resta ela socar mais uns três idosos e o seu coração será mais negro que carvão. Enfim, está tudo bem chatinho enquanto esse plot não encontra o seu clímax. É promissor a longo prazo, mas o caminho certamente é lento. Pelo menos ela saiu da cama e está fazendo alguma coisa, nem que seja metendo a mão na cara dos outros.

Voltando a falar da Tamara, ela está junto do Forasteiro. Outra reviravolta chocante. E quando eu digo "junto", eu quero dizer fornicando (está implícito, não posso fazer nada). A questão é que o episódio começou com um complicado quadrado amoroso. August gostava da Emma, que está gosta do Neal. Seus sentimentos são recíprocos, porém, Neal está com a Tamara. Agora o August virou criança e todo o seu desejo sexual e sentimental pela nossa querida Emma foi reprimido por brincar no parquinho, e a Tamara se revelou a maior vadia interesseira da série. E com um estalar de dedos, Neal e Emma ficarão juntos. Só falta esperar algumas máscaras caírem... E elas irão.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário