sábado, 2 de fevereiro de 2013

[Crítica] Silent Hill: Revelação

Direção: Michael J. Bassett
Ano: 2012
País: EUA / França / Canadá
Duração: 94 minutos
Título Original: Silent Hill: Revelation 3D

Crítica:

Bem-vindos à cidade que o inferno chama de lar.

Sequência de Terror em Silent Hill sendo anunciada. Todos receosos. Mas também não é para menos, já vimos diversos exemplos de sequências que não valeram a pena e que ficaram muito abaixo do esperado. Considerando que o diretor e o roteirista do filme original não retornariam para esta segunda parte, as probabilidades estavam contra a produção. Independente das notícias, eu estava esperando freneticamente essa segunda parte. Mesmo que não estivesse no mesmo nível que o primeiro, eu queria voltar a visitar Silent Hill. Então, apesar manter minhas expectativas, assisti essa segunda parte com altas defesas emocionais.

A história dessa sequência começa anos após o primeiro e segue uma Sharon adolescente, agora conhecida como Heather. Ela vive com o seu pai e não se lembra o que aconteceu com ela no passado, muito menos o verdadeiro paradeiro de sua mãe, Rose. Heather vive como uma fugitiva, trocando de cidade frequentemente, pois está sendo perseguida por forças demoníacas que desconhece. Quando o seu pai desaparece, ela tem motivos para acreditar que ele foi levado para Silent Hill. Agora, ela vai adentrar nas sombras da cidade em busca dele e acaba descobrindo um mundo de bizarrices infernais dos quais ela não pode fugir sem a ajuda de alguém inesperado.

Confesso que esta sequência é um pouco decepcionante. Não estou dizendo que é um filme ruim, está muito longe disso. Porém, assim como eu esperava, ficou muito abaixo do original - em todos os aspectos possíveis. Esta segunda parte acerta ao continuar a história do primeiro filme, nos apresentando o que aconteceu logo em seguida e até mesmo desvendando o misterioso final do original. Além disso, alguns personagens do primeiro retornam para os seus respectivos papéis, tendo inclusive a participação especial de Radha Mitchell, voltando a interpretar a Rose.

Adelaide Clemens está bem em seu papel de protagonista. Ela tem carisma e sua caracterização está idêntica a uma das personagens do jogo. Ainda que ela tenha se saído bem, não consegue transmitir a mesma força que a Radha Mitchell, do original. O lado do mal também se apresenta mais fraco nesta sequência. Enquanto que no original tínhamos Alice Krige, interpretando Christabella, uma fanática religiosa, nesta sequência, temos a conhecida Carrie-Anne Moss, interpretando a irmã da antiga vilã, Claudia Wolf. Assim como a nova protagonista, Carrie-Anne não está ruim no papel, mas perde feio para a sua antecessora. Talvez seja a exagerada caracterização da personagem, que não conseguiu ganhar da simplicidade de Christabella, que exalava fanatismo.

Outro problema nesta sequência é a duração. Este foi é bem mais curto que o anterior e demora bastante para chegar no ponto. A protagonista só entra, de fato, na cidade amaldiçoada perto do terceiro ato, o que é decepcionante. Não temos muitas cenas em Silent Hill e tudo acontece muito rápido. Quase não temos criaturas novas, e na maioria das vezes, acompanhamos aquelas que já fomos apresentados antes, como o Pyramid Head e as Enfermeiras. Destaco uma criatura que transforma pessoas em manequins e usa suas partes, montando-se como se fosse uma aranha. No trailer eu achei patético, mas vendo no filme, achei interessante por causa dos detalhes.

Eu sei que o tom desta crítica ficou bem negativo, mas, como já disse, não é um filme ruim. Não vá assistir esperando um verdadeiro espetáculo, porque irá se decepcionar. Mas certamente vale o ingresso nos cinemas (agora que o drama pela distribuição acabou), principalmente em 3D. Destaque para a relação entre a protagonista e o personagem do ator Kit Harington (Game of Thrones), que é bem desenvolvida e distrai enquanto o foco não fica por conta da cidade. Enfim, eu recomendo. Esta segunda parte tem momentos divertidos e é sempre bom voltar para Silent Hill. E é bom aproveitar, já que é provável que não tenhamos uma terceira parte, já que esta sequência não foi bem nas bilheterias...


Trailer Legendado:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
2 Comentários

Comentário(s)

2 comentários:

  1. Eu esperava MUITO mais, mas mesmo assim, adorei Revelation, embora seja bem diferente do primeiro filme. E ele não foi tão mal nas bilheterias assim, ainda mais pelo gênero! Teve orçamento de 20 milhões e teve bilheteria de 44 milhões. Embora o primeiro filme tenha feito mais dinheiro, esse não foi tão mal ;)

    ResponderExcluir
  2. Eu estava achando o filme otimo, ate a luta final... Esperava q Heather fosse lutar, ou algo assim, mas aquilo se tornou uma guerra de monstros, o q eu nao curti tanto... Achei a atriz otima, todos os atores, alias, e concordo q a nova vilã nao chegou nem aos pes de Kristabela... Espero q em alguns ano saia um terceiro episodio, mas tmb espero uma explicaçao para o q houve com Rose, o q aconteceu com ela na cidade maldita... Achei a historia parecida com a de Silent Hill 3, de ps2, entao curti, pois sempre achei Heather a melhor protagonista da serie...

    ResponderExcluir