segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

[Crítica] Suburgatory - 2x13: Blowtox and Burlap

Feliz dia do Presidente... Ou não.

Review:
(Spoilers Abaixo) 

Eu provavelmente faço parte daquela enorme parcela que boicota O Dia dos Namorados por razões óbvias. Mas quando se trata de Chatswin e sua cultura emblemática, qualquer data comemorativa é bem vinda. O Natal é transformado num Suburbatal e o Halloween num Suburboween, preservando todas as tradições de milênios, mas é claro, com um gigantesco leve toque de extravagância. É dessa maneira que deveria ser o Dia dos Namorados pelos arredores de Suburgatory. Mas por alguma razão, esse dia tão esperado estava mais pro Dia dos Finados.

Vamos começar com nossa protagonista, Tessa Altman. Ela resolveu convidar o namorado pra assistir um filme Cult no cinema com a promessa de lhe dar pipoca de caramelo, mas acabou criando outro dilema quando a sessão terminou e eles perceberam que tinham opiniões completamente diferentes a respeito do filme. Para ela, aquele tinha sido um dos piores longa metragens que já teve o desprazer de assistir, enquanto ele... Bom, ele achava que todo aquele drama com mensagens subliminares tinha mudado sua vida. E mudado de verdade, já que nem poderia ficar perto de alguém que não tivesse a mesma opinião que ele.

Depois de ouvir alguns conselhos de Dallas e perceber que um filme não poderia arruinar sua relação, Tessa foi a festa onde Ryan desde o começo queria ir e o encontrou lá, pensativo, ao lado da mãe do melhor amigo desmaiada. Não posso dizer que não gostei de tudo isso, mas já estamos há um mês vendo o quanto é difícil pra Tessa namorar alguém completamente diferente, então, pra não ficar muito repetitivo, deveriam ter feito a reconciliação de maneira épica. Mas enfim, isso não é um problema, o plot conseguiu me render boas risadas. Principalmente quando o Ryan foi explicar o significado do filme pra ela, como se ele fosse o intelectualóide.
Enquanto isso, Sheila mãe e Sheila filha estavam travando uma batalha na casa vizinha pra ver quem conseguia mimar mais o Tio Fred. Quer dizer, não era bem uma batalha, era só uma situação bizarra onde a mãe da Sheila mimava o marido da filha enquanto ela soltava cobras e lagartos pros quatro ventos.  Teve até dança promíscua de tango na sala e massagem nos ombros, hahaha! Se Suburgatory não fosse uma sitcon de humor leve e que trabalha apenas com algumas referências a sociedade suburbana, eu diria que a velha estava querendo roubar o marido da filha.

Mas não era nada disso. Era só uma vingancinha suburbana do destino pra Sheila aprender a não se meter na vida da filha e consertar seus erros. Quando viu que sua mãe estava fazendo com ela o mesmo que fez com Lisa, ela chamou Malik pra participar de seu plano, onde precisavam brigar na frente de todos pra garota se convencer de que ele e ela já não têm mais afinidade. E não é que deu certo? Lisa comprou a encenação dos dois e agora voltou com Malik, pra alegria de nós, Shippers fanáticos. Depois do ato de bondade da Sheila até sua mãe foi embora pra longe, comprovando assim minha teoria de que tudo foi uma penitência enviada por Jeová para os moradores da cidade da penitência.
Fora isso tivemos Dallas e sua aplicação mal sucedida de blowtox – um injetável derivado do baiacu japonês - que lhe fez cancelar o dia dos namorados logo quando George havia alugado uma mesa num restaurante chique só pra eles. Conclusão: Dallas foi obrigada a comemorar sozinha e com a luz apagada enquanto George teve que comer 18 pratos pra não receber mais esporro do garçom. Dallas até tentou ir ao encontro com um sacola na cabeça igual um serial killer, mas não deu certo. Assim que chegou em casa sua nova feição temporária estimulou a náusea no George e o dia dos namorados foi pro espaço, sem chance de ter um final feliz como nos outro casos.

Desde o começo do episódio fiquei me perguntando como estaria o rosto da Dallas depois da aplicação, já que a câmera nunca mostrava completamente, mas nada poderia me preparar pro resultado final. Como Dalia mesma disse, ela parecia um filho envelhecido e infectado de um homem que casou com um elefante e teve o rosto desfigurado após uma reconstrução derivada de uma mordida de crocodilo. Na verdade, estava pior, mas as comparações de Queen Dalia sempre são muito bem vindas. Só espero que no próximo dia dos namorados os habitantes de Chatswin tenham mais sorte, ou consigam celebrar o dia dos finados em grande estilo pra compensar.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário