terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

[Crítica] Pretty Little Liars - 3x17: Out Of The Frying Pan, Into The Inferno

Uma por todas e todas por uma...Só que ao contrário.

Review:
(Spoilers Abaixo)


Antes de começar, preciso esclarecer que não estou assumindo mais uma série da grade do blog, acontece que o Luiz está perdido entre seus afazeres e pediu pra mim dar uma ajuda fazendo essa crítica de Pretty Little Liars, e eu não podia deixar a série desamparada, afinal, de desamparada essa semana, já basta a Spencer. Mas deixemos pra falar da depressão pós-TobA depois.

Não sei o que acontece com essas Liars, mas parece que elas nunca ouviram o ditado que diz que a união faz a força, de uns tempos pra cá, elas andam cada vez mais se distanciando, acho que desde a volta da série, a amizade delas anda enfraquecida. Tudo porque elas focam nos seus próprios problemas, se atolam nos próprios segredos e ligaram o foda-se pras amigas, até porque quando uma tenta ajudar, é completamente ignorada. Vide Hanna insistindo loucamente pra Aria contar sobre o filho do Ezra pra ele. E está bastante óbvio que isso é justamente o que Team -A quer? Mas bom, não é de hoje que essas personagens ignoram o óbvio.



Eu digo isso porque pra mim, o objetivo de -A mandar a mensagem pra Spencer dizendo que Aria contou tudo pro Ezra e ele terminou com ela, enquanto a mesma estava toda trabalhada no descabelamento e na falta de maquiagem, era semear a discórdia. De algum modo -A deduziu que ela iria bater de frente com o nosso querido professor, contando toda a verdade sobre o filho dele. Abalando assim todas as estruturas de Ezria, o casal favorito de tudo e todos (inclusive de -A, visto as poucas tentativas de separá-los). Ou era isso, ou Spencer agora que perdeu seu Tobinha quer se vingar das amigas destruindo o relacionamento de todas elas. Seria um plot twist interessante de se ver.

E mesmo a trama sendo algo (até que bem) simples nos rendeu várias perguntas: como a mensagem foi mandada do celular da Aria? Que tipo de adolescente hoje em dia perde o celular e não dá falta? Será que agora além de onipresente, o Team -A também está ficando invisível? Seriam aqueles uniformes pretos patrocinados por Harry Potter? Isso e muito mais semana que vem...err, ou não.

Ainda falando de Aria, Byron nos traz a revelação de que Meredith tinha alguns surtos psicóticos semanais, que eram abafados trancando ela no porão e dando altas doses de Gadernal pra ela. Só que semana passada, ela usou todas as pílulas do seu remedinho pra dopar Zoiudinha e ficou sem, resultando naquela loucura frenética que foi o episódio passado. Lógico que Byron conta isso na maior inocência, isso depois de colocar uma psicótica dentro de casa pra conviver com seus filhos. Alguém avisa que ele está fazendo um trabalho de bosta pra proteger sua filha. Um bom jeito de se redimir seria obrigando Mike a ficar em casa, estou com saudades de menino Mike, por onde será que anda? Beijos sumido. E eu só comentei isso, porque Meredith anda sendo alvo de muitas teorias por aí, então achei bem digno.

Já Spencer fez a sofrida durante todo o episódio e ainda se recusou a contar pras amigas que Toby é membro efetivo do -A Team, lógico que desaprovei totalmente a ideia. Porque se fossem as outras garotas que descobrissem que os respectivos namorados/as são parte de -A, aposto que elas contariam. Bom, pelo menos no final, ela e o roteiro sambam na nossa cara e colocam um detetive particular pra seguir o Toba e descobrir de onde é aquela chave.


"Is "Pink Drink" some lesbian code?"

Em paralelo a esse drama de Aria, temos Hanna envolvida num plot que nos rendeu várias gargalhadas e sambou na nossas cara com a ousadia do enredo, afinal, colocar a personagem mais hétero da série num bar lésbico foi uma das melhores ideias que eles já tiveram. E Hanna é sempre genial, né? Por isso ela é a minha personagem favorita. Tudo isso porque Caleb e Paige, o Team Chapinha Anti-A , que conseguem ser tão discretos quanto um ornitorrinco andando de bicicleta chupando um picolé de tamarindo, foram vistos marcando alguma coisa, só que na hora H, vemos que Paige está saindo com Shanna. Afinal, que Paige era chegada numa Shanna todos nós já sabíamos e não entendi o porque do choque da Hanna. Quem assistiu os Sneak Peaks do episódio, já sabe porque Paige estava se encontrando com ela, então quem ficou curioso vá dar uma conferida.


Enquanto isso, Emily tinha seu dia de princesa Veronica Mars e saiu por aí toda trabalhada nas investigações e descobriu coisas que daqui a duas semanas nem serão lembradas mais, tamanha a irrelevância das descobertas. Destaque especial pro jeito bizarro que os roteiristas deram pra Emily ter um plot decente, a família do Lyndon, Nate, Stalker, ou seja lá o nome dele, mandou (cinco episódios depois da morte do personagem) uma caixa com vários cartões íntimos que falavam de sexo lésbico entre Emily e Alison, além de um caderno de Biologia que a mesma tinha emprestado pra Ali (e que nunca tinha sido mencionado antes). 

Agora, porque a Maya guardou essas coisas por tanto tempo à ponto do Lyndon ter tido acesso? Será que temos um caso da Stalker (Maya) que foi stalkeada (pelo Lyndon)? Acho essa história da Maya uma coisa muito mal contada, é como se soubéssemos uma meia verdade de tudo que envolveu ela, mas ainda tem muito pra se descobrir.



Cenas da primeira temporada. Seria ele o "Gostosão da Praia"?

Então nossa CSI Lesbiana, descobriu através de uma conversa entre Ali e Cece que estava escrita no caderno (oi?!), que a Queen B suspeitava de Toby como -A (descoberta essa que foi ignorada durante todo o episódio). Engraçado como até dentro do reformatório o personagem tem que estar sem camisa. Ele estava sendo estuprado lá dentro ou o quê? E achei bizarra a forçada de barra que deram, só pra parecer que o Toby cogita há muito tempo se juntar com -A.

E, depois de conversar com Cece, a Ali podia estar grávida do "Gostosão da Praia". Mas porque Cece nunca falou nada sobre isso? A amiga foi assassinada e ela não levou essa informação pra polícia porque mesmo? E a pergunta mais irritante de todas: Porque raios a Emily não se questionou do porquê a personagem ter escondido essa informação?

Agora, a melhor sacada está no final, quando depois dessa revelação, vemos que um outro personagem também estava em Cape May: Darren Wilden. Tipo, a melhor reviravolta dessa série, né gente? Colocar Wilden, que sempre parece ter segunda intenções, como possível assassino da Alison. Isso explicaria o interesse nesse caso e do porquê ele implicar tanto com as Liars, talvez ele pense que antes de morrer a Ali contou pra elas que estava grávida dele. Seria mais um motivo pra ele ter se aproximado da mãe da Hanna há duas temporadas atrás. Mas sinceramente não entendo pra quê esse mistério sobre a morte da Ali, é quase como se ela estivesse mesmo morta, né?

Bom, mais um episódio excelente, definitivamente esse hiato fez um bem danado pros roteiristas. Quero me desculpar pelo tamanho do texto, mas avisei que tinha muito sobre o que falar. Semana que vem, Luiz está de volta, então relaxem que só tiveram que aguentar minhas teorias conspiratórias dessa vez.

Fiquem com a Big-A queimando bonecas, e escolhendo por alguma razão misteriosa, a Hanna pra ser queimada primeiro:


Seria um novo conceito de queima de gordura?
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários: