segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

[Crítica] Hart of Dixie - 2x12: Islands In the Stream


Os opostos sem atraem.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Eu sei que estou atrasado novamente. Acontece que eu gosto de ver dois episódios da série juntos. É como um ritual para mim. Certo, isso é mentira. Eu estava doente e acabou acumulando. E, para não virar uma bola de neve, fui atualizando as outras séries e deixei essa para trás. Porém, não é algo alarmante, não é verdade? Essa é uma das séries mais legais e leves que eu tenho, então é sempre prazeroso poder assistir a dois episódios seguidos, diferente de outras, que mais parece um castigo. Enfim, vamos ao episódio em si.

Tivemos conflitos de casais. Tansy finalmente voltou a aparecer e já foi colocada de lado pela sogra. Sim, sogras são do inferno (brincadeira, gente!). O importante é que a mãe do George levantou uma questão que eu já perguntei para vocês diversas vezes: Por que eles não ficam juntos? Tem bastante tempo que eu não comento sobre isso, até porque, agora parece óbvio, mas eu sempre achei estranha essa desculpa de fazer o George esperar para sair com outras pessoas. Zoe teve todas as oportunidades de ficar com o George. Ela nem estava fixa com o Wade. Porém, ela abriu mão dele para ficar com o caipira implicante.

E foi muito engraçado quando a Zoe tentou explicar para a mãe do George todos os eventos que aconteceram entre eles desde que ele se separou da Lemon. Realmente não faz o menor sentido. E a série precisava de um episódio questionando isso e não poderia ter vindo em um momento melhor. Agora que os dois estão namorando podem falar com muito mais propriedade que não estão juntos pelo simples momento de não querer. Como eles mesmos afirmaram no final, não há nada os impedindo, na verdade. Tudo bem que eles estão namorando, mas também não é um casamento. E eles já tiveram solteiros juntos e nada rolou.

A mãe do George é uma vadia nojenta. Tudo bem que todos esperavam por essas verdades, mas eu fiquei esperando o episódio inteiro alguém dar na cara dela. Certo! Eu sabia que não aconteceria, mas pensei que alguém sambaria na cara dela, fazendo-a engolir todo aquele recalque. De todos os personagens presentes, a única que realmente poderia ter feito a mãe do George calar a boca era a Tansy, porque ela não tem classe ou papas na língua. Mas nem rolou, o que foi decepcionante, já que aquela mulher psicótica merecia umas verdades na fuça. Apesar de tudo, foi muito engraçado ver o conflito entre todos eles presos no barco.

Outra que passou por maus bocados foi a Shelby, que foi pressionada pela Lemon para ajudá-la a encontrar a "vagabunda" que estava saindo com o seu pai. E a situação da Lemon estar procurando a "vagabunda" com a própria "vagabunda" foi no mínimo hilário. Todos sabem que a Lemon é nojenta e preconceituosa e não iria aceitar esse relacionamento louco do pai. Então quem acreditou que ela se comportaria como um doce, no final, ficou com a cara no chão. Só mesmo a ingênua Shelby para não ver que está lidando com uma cobra. Será que ela vai resistir às picadas da Lemon? Veremos.

Esta semana, a Annabeth também desenvolveu o seu próprio plot. Ela começou a sair com um cara britânico. Porém, acabamos descobrindo que ele só tinha uma síndrome muito estranha - que por acaso é real, apesar de muito, muito rara. A questão aqui é a aproximação do Lavon com a Annabeth, que é por quem ela realmente guarda sentimentos. Já cansei de dizer que a AB merece alguém melhor. Mas, ao que tudo indica, começará a desenvolver algo com o prefeito. Quem aprova esse casal? Enfim, o importante é que Zade continua intocável.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário