sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

[Crítica] Arrow - 1x12: Vertigo

A mentira tem perna curta e não vai longe.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Parece que os roteiristas leram minha crítica do último episódio, porque esse episódio trouxe exatamente tudo que eu exigi na review passada, destaque na Felicity, um dos maiores vilões das HQ's apareceu e teve um final em aberto e claro, os personagens andaram descobrindo alguns segredos que já estavam passando do prazo de validade e pra completar, tivemos muita gente jogando a verdade na cara dos outros, ou seja, o episódio foi uma delícia e me fez lembrar porque sou fã da série. 

Preciso dizer que os roteiristas de Arrow estão fazendo um excelente trabalho com as adaptações dos vilões, e pela primeira vez, um dos maiores inimigos do Arqueiro Verde nos quadrinhos veio pra ficar, enquanto o Pistoleiro e o Firefly morreram e tiveram seus finais, o Conde Vertigo sobreviveu a uma quantidade de droga anormal e foi internado em um manicômio. Adorei o jeito que deram pra colocar o vilão na série sem apelar pro lado fantasioso e ainda deram um jeito de emendar com a trama da Thea. Acho que isso faz parte da ideia central do roteiro, afinal, não teria sentido trazer pra nossa realidade um herói sem poderes e colocar vários vilões com super poderosos pra ele enfrentar. E palmas pro figurino, conseguiram criar um roupa bem parecida com a do Conde Vertigo dos quadrinhos:
Já que falei na Thea, até que as atitudes da personagem foram bem dignas depois da metade do episódio, lógico que no começo até eu fiquei boquiaberto, que tipo de pessoa quer ser presa só pra se vingar da mãe? Por favor, né? Foi bom o Oliver ter jogado a verdade na cara da personagem, assim ela acorda pra vida. Acho que passar um bom período com a Laurel vai melhorar a personagem. E como não amar as cenas dela e do Oliver juntos? É impossível não shippar eles.

Espero que o Quentim enxergue que está sendo um babaca e se alie com o Hood (esperando o momento que vão chamar ele de Green Arrow) e coloque um holofote com um símbolo do Oliver (uma flecha?) no alto de um prédio pra toda vez que a cidade correr perigo, ele acender o holofote. Afinal, quem disse que só o Batman pode ter um desses? A Laurel divou totalmente com aquele discurso sobre a Sarah, afinal, com base no que eu entendi do que aconteceu, a mais culpada é a Sarah que foi com o namorado da irmã pra uma viagem de barco.

Pra fechar o episódio, temos o merecido destaque na Felicity que é de longe uma das melhores personagens da série. Estou aqui já torcendo pra ela virar regular e sambar mais na cara da sociedade, o que foi aquele final com ela e o Oliver? Além de adorar ela revelar que Moira é a Queen B - saudades trocadilhos decente - da série, ainda senti uma química super poderosa entre eles, já torcendo por mais dessa dupla dinâmica. E vocês?
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
2 Comentários

Comentário(s)

2 comentários:

  1. para mim este foi o melhor episodio depois do hiato, a série esta ficando cada vez melhor e espero que continue assim.

    ResponderExcluir
  2. episódio excelente.. até os flashbacks me empolgaram dessa vez.. a série está melhorando cada vez mais..

    ResponderExcluir