domingo, 20 de janeiro de 2013

[Crítica] Emily Owens, M.D. - 1x09: Emily and… the Love of Larping

It’s Emily Fatale


Review:
(Spoilers Abaixo)

Como não amar? Volta. Volta pro início e olha direito a mulher da foto e diga se você não faria cosplay do exorcista quando ela passasse ou ficaria com torcicolo por dias depois do esforço de ver a beldade passando. É, eu sim. E espero que os roteiristas e produtores estiquem, não o pescoço, mas essa série que a cada semana fica melhor.

Nessa semana Emily Owens falou da rotina. Quem gosta de rotina? Ninguém! No caso dela uma mudança de rotina envolveu a saída do casulo, pois antes do empurrão da Cassandra e da Tyra, Emily não passava de uma lagarta encasulada. Mas antes de falar sobre como Emily passou de nerd a bitch, vamos falar dos outros pontos do episódio.

Como o tema era rotina um dos casos falou exatamente disso, e afetou principalmente a Dr. Bandari. Uma empresária bem sucedida, um problema cardíaco e um casamento preso por um fio. Quase a vida da Bandari, só que sem os problemas médicos. Por enquanto! O caso mostrou a vida de uma mulher que não tem tempo para o casamento e que só foca na carreira enquanto todo o resto desmorona sem ela perceber, infelizmente é esse o rumo que a vida dela está tomando. Gostei disso por que mostrou um lado dela que ninguém conhecia. Sempre pensei que ela fosse solteira. Só espero que o caso tenha servido pra acordá-la, não quero ela sofrendo. #GoBandari

Já o outro caso afetou o meu Micah Mouse. Foi o de uma senhora com câncer e que lembrou muito a situação da mãe dele. Confesso que meu coração partiu todas as vezes que ele tentava manter o profissionalismo ao falar com a paciente, mas tudo o que ele falava tinha os próprios sentimentos pela mãe. Partiu meu coração ver que a Emily, a única que realmente entende a situação e o entende, tentando falar algo mas sem sucesso pelo gelo que ele deu nela. E me julguem, mas meu coração também partiu quando ele finalmente percebeu que uma relação com a Kelly não iria à frente e deu um fim em tudo. É engraçado, por que esse era o momento que eu vinha esperando desde o início, e quando ele finalmente o fez, uma parte de mim pulou de alegria e a outra lamentou pela Kelly. #BeStrongHoney

Resolvido isso, o caminho parecia estar livre para o casal Emicah finalmente acontecer, não fosse um fantasma que resolveu reaparecer. Na tentativa de fazer Emily transar, Cassandra arranjou um encontro pra ela. Achei super divertida essa parte, adoro a Cassandra, adoro a Emily, e as duas amigas é simplesmente ótimo. Já Tyra ficou responsável pela produção, e que produção! Me fez tremer na base. Tudo estaria bem se o cara não fosse alérgico a amendoim, Emily não tivesse comido amendoim e o cara tivesse passado mal depois do beijo. Definitivamente, Emily não é pra sexo casual!


Mas bastou Emily chegar no bar toda trabalhada na fatalidade pro Will perceber que sente algo por ela e ficar mordido de ciúmes. Super clichê essa reviravolta. Não gostei por N motivos. Pra início de conversa sou #TeamMicah, depois, não gostei da alegria interna da Emily pelos ciúmes do Will e como a série já seguiu o clichê de ver a garota linda e perceber que gosta dela, não duvido que logo role algo, mesmo que rápido entre os dois.

Qual é pessoal, não baguncem o que já está ótimo e quase no fim. Deixa a Cassandra com o Will, apaixona a Emily pelo Micah. E deixa o trio dazamigas formado: Emily, Tyra e Cassandra. Nada de criar conflitos e relações desnecessárias a essa altura do campeonato. Ainda estou aguardando mais cenas de Emicah! Que elas envolvam beijos, fricção, suor e tudo mais! Apenas aguardando.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário