quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

[Crítica] Emily Owens, M.D. - 1x06: Emily and the Question of Faith

Tenha fé Emily, um dia tudo se resolve... Ou não.


Review:
(Spoilers Abaixo)

Antes de começar a falar do episódio, quero pedir mil desculpas a todos pelo mega atraso nas críticas de Emily Owens. Juntou minha lerdeza natural com uns problemas pessoais e acabou virando essa bola de neve. Mas prometo que tentarei – e serei – mais pontual nos reviews agora em 2013. Esclarecido isso, vamos ao episódio, que estava maravilhosamente bom como sempre.

Com a benção de Emily para o relacionamento do Will com Cassandra, me perguntei como ficariam as coisas entre esse trio, e uma coisa era certa: passariam longe de confortáveis. De fato, mas o engraçado dessa situação toda foi que Cassandra tentou, com um empurrão do Will, ser amiga da Emily. Foi inusitado, pois eu esperava que elas se tornassem mais inimigas do que nunca. Mas vê-las tentando a amizade foi divertido, uma pena que a situação não se prolongou por muito tempo. Tudo graças a Tyra, que na tentativa de colocar tudo em pratos limpos com o pai acabou envolvendo Emily e descobriu do caso dele com a enfermeira.

Esses eram dois momentos que eu esperava muito na série. A saída da Tyra de Nárnia e a descoberta do caso, e devo dizer que as duas situações foram resolvidas da melhor forma possível. De início, com raiva da amiga por não dizer sobre o caso do pai, ela chegou a dizer pra Cassandra sobre o veto da Emily no relacionamento com o Will, o que reviveu de uma vez por todas a bitch interior dela e pôs fim a qualquer aproximação entre as duas. Mas depois de perceber que Emily estava numa situação complicada ela acabou desculpando a amiga e foi cuspir de vez a verdade sobre a sexualidade na cara do pai. Não dizem que quanto mais rápido menor a dor? Acredito que a descoberta do caso do pai e a raiva foi o combustível que a ajudou a se assumir.

Outro ponto interessante do episódio foi o sorriso da Dr. Bandari e toda a amizade que desenvolveu com o primeiro paciente cirúrgico dela, que voltava para outra cirurgia. Como de costume, Emily acabou bagunçando tudo e destruiu a fé do homem em Deus. Sinceramente, ela bate recordes em trapalhadas. Não bastasse isso, na avaliação de ensino da Dr. Bandari ela criticou os métodos dela e quase foi descoberta, não fosse uma mãozinha da Tyra. Mas por falar em primeiras vezes, quem teve a primeira vez na cirurgia foi o Will, que apesar da arrogância e complexo de Deus se saiu muito bem. Desculpem-me, mas eu só gostei do Will por um episódio, e a cada semana ele é o personagem que eu menos desejo ver na série.

Diferente do Micah Mouse, que está visivelmente balançado pela Emily e é um dos melhores personagens, se não o melhor, da série. Os sorrisos e suspiros de felicidade que ele solta quando ela entra em cena são lindos. Fora a química e sintonia que rola entre esses dois. Tudo bem que ele está envolvido com a outra médica, a asiática, mas não é nada que não possa acabar.

Finalizando o episódio, Emily finalmente abriu o jogo com Cassandra e falou dos sentimentos dela pelo Will e do motivo de ter vetado a relação dos dois. Achei muito boa essa evolução entre as duas, espero ansiosamente para ver como as coisas ficarão daqui pra frente. É isso, pessoal, depois do pulo tem mais Emily Owens, maratona de críticas pondo fim ao atraso. See you...
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário