sábado, 12 de janeiro de 2013

[Crítica] Beauty and the Beast - 1x08: Trapped


Somente o passado pode te libertar.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Este é o último acerto de contas. Depois de colocar em dia as reviews desta série, eu finalmente ficarei em dia com todas as minhas críticas. E não é surpresa para ninguém que Beauty and the Beast é uma das que eu menos gosto da minha programação, tanto que ficou em último lugar para a recuperação. Eu até pensei em fazer uma negativa crítica dupla, para não tomar muito o meu tempo. Porém, uma coisa que eu não posso negar é que a série tem o dom de me surpreender. Acho que é fácil quando você não está esperando nada, então posso dizer oficialmente que eu gosto muito deste episódio, se tornando um dos meus favoritos até agora.

Uma das coisas mais legais que acontecerão neste episódio, além das cenas entre o Vincent e a Cat, foram as revelações da trama. Tanto no passado quanto no presente, recebemos informações importantes e os roteiristas deram uma agilizada no processo de controle do Vincent, que era uma das coisas mais chatas atualmente. E, claro, a revelação cretina que a Cat trazia os apagões do Vincent era completamente falsa, uma vez que o casalzinho tem que ficar junto nesse momento de tensão, para ser shippado pelos lovers da série no tumblr. Afinal, como os fãs irão fazer montagens criativas sem material novo?

E quando não sabemos a resposta sobre o que está acontecendo, a solução muitas vezes é olhar para trás, para o passado. Neste caso, Vincent tomou umas drogas para sofrer leves apagões e refrescar a memória dos tempos em que era apenas um soldado em plena transformação. Logo no começo do episódio descobrimos que a mãe da Cat é quem comandava as experiências. A edição até colocou a abertura depois dessa cena, como se fosse muito impactante. Porém, era uma coisa tão óbvia que nem a Cat ficou surpresa. Sinceramente, eu gostaria que a mãe da Cat fosse uma bitch má. Esse papo de cientista que desenvolveu algo que saiu do controle e não é responsável pelos seus atos é muito clichê. Gostaria muito que ela tivesse feito tudo aquilo friamente calculado.

É claro que se isso acontece, a Cat iria se internar em um hospício, definitivamente. Se só de saber que a mãe era uma das cientistas responsável pela mudança no Vincent ela se culpou totalmente, imagine se ela soubesse que a mãe é culpada? Bem, só posso dizer que eu detesto essa "consciência de mocinha". Ela não é culpada pelas ações da mãe, sendo boas ou ruins. Mas este é um dos maiores clichês dos filmes, séries e afins. Para uma personagem ser boazinha tem que se culpar por tudo, o que é muito ridículo. Se sentir mal tudo bem, mas ficar se martirizando é um drama desnecessário.

Bem, vamos falar da parte divertida do episódio? Creio que foi por causa da parceira da Cat e do menino do pop que o episódio ficou tão divertido. Eu esperava ansiosamente por mais cenas entre eles dois. Independente do caso ter sido bom ou não, valeu só pela interação da detetive com o cantor teen. Além de ter explorado um pouco mais da personagem - que estava apagada desde o início da temporada -, o cantor mostrou bastante potencial. Ele é um personagem tão interessante que eu gostaria de ver mais sobre ele nós próximos episódios, apesar de saber que não vai rolar (uma pena!). E fechando com chave de ouro este "casinho" deles dois, ele escreveu uma música sobre ela, a Homicida. Tem como não amar, gente?

Concluindo o episódio, não podemos esquecer que o Evan está mais desconfiado do que nunca. Além de nunca ter superado o que aconteceu com ele nos túneis do metrô, ele ainda teve a confirmação de que alguém esteve em seu laboratório. É apenas uma questão de tempo até que ele ligue tudo isso à Cat e descubra toda a verdade. Será que a casa vai cair? Enfim, para variar, o episódio terminou com mais uma conversa fofa entre o casal de protagonista. E apesar deles dois terem química, isso já estão dando no saco, porque será que eles nunca se beijam? Estou apenas esperando.

PS. Foi interessante termos visto como o Vincent conseguiu a cicatriz no rosto.

PS². Repararam a rápida participação da Bianca Lawson (A Maya de Pretty Little Liars) nos flashbacks? Gente, não é possível. Essa atriz já fez ponta em basicamente TODAS as séries da atualidade. Só fico pensando em qual outra série ainda a verei.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário