domingo, 20 de janeiro de 2013

[Crítica] American Horror Story - Asylum | 2x12: Continuum

O papai já está indo.

Review:
(Spoilers Abaixo) 

É difícil acreditar que até em seus piores momentos, American Horror Story consegue nos surpreender. Faz duas semanas que a série decidiu arriscar e foi reformulada completamente no intuito de narrar a batalha contra Briarcliff, dessa vez, pelo lado de fora. Mas ao mesmo tempo que esta parece ser uma ideia inovadora, ela causa preocupação. A série tornou-se irreconhecível aos olhos dos fãs, como um novo show em uma nova perspectiva, desprovida de todos os atrativos que nos levaram a essa paixão absurda pelo enredo de Asylum. Bem, se algo precisa ser dito a respeito disso, é que a nova fórmula não funcionou do jeito que esperavam. No entanto, um roteiro bizarro e definitivo como o desta semana, mesmo com seus equívocos, não pode ser desmerecido a essa altura do campeonato.

Acho que o real problema de “Continuum” foi narrar os acontecimentos rápido demais, sem dar tempo ao telespectador pra respirar. Houve uma quantidade enorme de acontecimentos, todos em seguida, como se fosse um resumo de tudo o que os personagens fizeram nos anos seguintes a saída de Briarcliff. O primeiro a ganhar um “desfecho” foi Kit e sua nova família, composta por ele, Alma, Grace, e as duas crianças geradas com a ajuda dos alienígenas. Eles viveram em plena harmonia até 1967, quando a obsessão de Grace pelos extraterrestres começou a fazer Alma enlouquecer.

A princípio eram apenas brigas verbais, acusações, uma tentando cuidar da sua vida enquanto lidavam com o fato de terem sido vítimas de extraterrestres. Mas quando percebeu que Grace venerava as criaturas e que torcia pelo seu retorno, Alma resolveu tomar medidas drásticas. Que na linguagem direta, significa assassinato. Foi uma cena completamente desnecessária e bizarra, sem nenhum propósito se não causar impacto no telespectador. Mas já que estamos trabalhando com insanidade desde o começo dessa temporada, como indagar o fato de um dos personagens ter pedido a cabeça? Bem, pelo menos eu não irei.
They tried to make me go to Rehab, but I said No, No, No
A próxima a ganhar um desfecho gostosinho foi Sister Jude, ou devo chamá-la de Betty Drake, a rainha do Candy Land? Ela continuou em Briarcliff durante todos esses anos ao lado dos loucos que tanto gostava de maltratar, até que visse a si mesma tornando-se um deles. Primeiro, fantasiando que o Monsenhor tinha prometido que iria tirá-la dali. Depois, que Pepper poderia confirmar sua história, quando ela já estava morta há dois anos (R.I.P Forever), e quando percebeu, já estava totalmente perdida no próprio devaneio, sem saber distinguir nem mesmo a passagem de tempo.

Só que o mais interessante dessa história foi vê-la fantasiar a presença do anjo da morte em Briarcliff como uma prisioneira, logo depois que o Asilo foi doado ao governo e começou a abrigar criminosas. Ou seja, Frances Conroy ainda teve a chance de brilhar mais um pouco antes do final, mesmo que sua história já tenha terminado. E eu tenho que dizer, não tem preço vê-la como uma prisioneira badass enquanto a mente da Jude era cozinhada. Foi sem dúvidas o ponto mais alto do episódio, sem desmerecer, é claro, a cena digna de Emmy Triplo da Jude descobrindo que tudo que pensava ser real era apenas um devaneio.
E por ultimo, tivemos o quase desfecho de Lana Del Gay, a mais nova queridinha da América, e provavelmente, fonte de inspiração da J.K Rowling. Com o passar dos anos, Lana tornou-se uma escritora bem sucedida e cheia de fãs, mas que deixou o sucesso subir a cabeça e erradicar completamente seu caráter. Agora ela só quer aproveitar a vida, escrever Best-sellers e humilhar os empregados, mesmo que em partes, tudo o que conseguiu construir após o Briarcliff tenha sido a base de mentiras. Pensam que ela narrou de maneira fiel os acontecimentos da época em que estava sob o domínio do Bloody-Face? Há! Bem que o Kit queria. Só o que ela fez foi transformar seu sofrimento numa ideia mercenária que lhe rendesse vários frutos, mesmo que a verdade tivesse que ser cruelmente adulterada.

Mas acho que isso é bastante compreensível. Mesmo que não tenha sido completamente honesta no seu livro, mesmo que não tenha tido espaço pro amor da sua vida, ela ainda comeu o pão que o diabo amassou. E por isso, tornou-se capaz de tudo para se certificar de que nunca mais seria tão infeliz. Até, é claro, seu querido filhinho conseguir encontrá-la e meter uma bala em sua cabeça como jurou que faria a velha fantasma da biblioteca. Parece que essa é a proposta pra essa Season Finale, acompanhar o embate entre Lana e seu filho no presente, onde apenas um deles sairá vivo. Estou torcendo por Lana Banana, e vocês?

Insanidades adicionais:

- Será que Jude vai mesmo apodrecer em Briarcliff ou vai conseguir se vingar do Monsenhor?

- Alma morreu de causa natural, para noooooooooossa alegria.

- E cadê as respostas sobre os alienígenas, produção?

- Qual será a pista sobre o enredo da 3ª Temporada que o Ryan Murphy disse estar nesse episódio? Será que teremos um AHS num presídio?

Promo 2x13 "Madness Ends (Season Finale)" Legendado
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
2 Comentários

Comentário(s)

2 comentários:

  1. Eu quase tive um treco. Não curti algumas coisas, essas continuações não dão certo. Eu ainda prefiro o gostinho de quero mais. Mas foi um bom episódio, não tão bom quanto a temporada toda junta mas o 13 vai ser pra matar. Tenho certeza.

    QUERO LOGOOOOOO. E que outubro chegue logo também HAHAHAHAH

    ResponderExcluir
  2. O episodio foi bom! Mas acho qua a historia do filho da Lana tá sem muito fundamento!E eu ainda acho que matar MAry Eunice foi um erro que custará a temporada perfeita!

    ResponderExcluir