sábado, 22 de dezembro de 2012

[EA] Chapeu (De Renan Pacheco)

Boa noite geit. É sábado, tem Escritor Alternativo e tem Cee Lo Biba bêbado. E nessa semana temos um candidato que já passou pela mão dos nossos jurados, mas teve uma segunda chance.

Fazendo um rápido recap da história dele, o Renan já participou com um conto de vampiros, mas recebeu quatro nãos. Mas de volta a essa loucura urbana, ele tenta uma vaga na competição com “Chapéu”.Então, sem mais delongas, vamos a história.

Sinopse: Este conto é a primeira parte de “Legião das Fabulas”, e se resume na introdução da Chapeuzinho Vermelho. Faz parte de algo maior, que tem os capítulos introdutórios de Branca de Neve enfrentando zumbis na neve ao lado de um grupo de anões assassinos; Cindy (Cinderela) uma agente espiã tentando desvendar um mistério de assassinato em um baile, João e Maria duas crianças treinadas pelo pai para matar caçando a bruxa Kara Zirion que matou seus pais. E posteriormente todos se junto à trupe convocada pelo gigantesco Lobo Mau ao lado também da ninja Bela e de seu marido serial killer Fera e formam os “Fabulosos” no intuito de derrotarem Vesper Zirion, irmã de Kara que busca vingança e pretende transformar o mundo normal e um gigantesco mundo dos sonhos e para isso colocou em sono profundo a telepata Aurora que esta em coma internada em um hospital sem que ninguém ache uma cura para acorda-la, em um caso que ganhou a comoção do mundo como “a Bela Adormecida”.
Vesper se escondeu dentro dos sonhos de Aurora e o grupo terá que entrar no eterno pesadelo que vive a moça para tira-la de lá e derrotar Vesper que utiliza de sua magia para criar o mundo dos sonhos mais perigoso que já existiu. Enquanto no mundo real Cindy se alia ao terrorista Aladeen no Oriente Médio para tentar fechar o “portal dos sonhos” que é a arma de Vesper para trazer esse mundo ao real. 

Chapeu
  A moça olhava a poeira que levantava quando o carro vinha, já estava escurecendo, fechou a janela pra não sujar a casa, acabara de limpar. Sua mãe entrou com as comprar da semana e botou em cima da mesa.

  - Está uma muvuca na cidade, outro morto com buracos pelo corpo, o delegado Santini diz que está sobre controle, mas é mentira, dava pra ver no rosto dele que não tinha nada sabia sobre o crime, aquele delegado é um parvo. Com esse já são cinco mortos, e você Karina querendo se mudar da fazenda e ir pra cidade...

  - Não vem com esse papo de novo mãe, aqui também tem assassinatos, lembra quando aquele fazendeiro teve os dois braços arrancados por facão. E deixaram-no no meio dos bois sangrando. E isso aqui não é uma fazenda, é uma porra de um sitio.

  - Olha a boca mocinha, é o povo da cidade que te influencia desse jeito. Ainda bem que esse ano você acaba a escola e não tem contanto mais com eles.

  - Acabo a escola? Eu estou na oitava série, tem três anos de colegial ainda.

  - Até a oitava já tão bom, eu só fui até a quarta série e não sou nenhuma jerica. E seu falecido pai nem estudou.

  - E se arrependeu disso até o ultimo suspiro. Ele me disse pra mim me tornar alguém na vida - Karina é interrompida pro uma buzina vindo de fora - Deve ser o Marcio.

  - Quem é esse?

  - Um colega meu, agente vai sair...

  - Você não vai.

  - Mãe, hoje é sexta.

  - Por isso mesmo, dia de semana, já tá ficando escuro e você tem que me ajudar a dar comida aos porcos. Se quiser sair, sai amanhã que é sábado, hoje não é dia disso.

  Karina foi lá fora e explicou a situação para Marcio. Ele disse que estava tudo bem, e foi embora, ela ficou observando carro ir embora sobre a luz da lua cheia. Márcio resolveu pegar o atalho entre a floresta que cercava as chaçaras, era mais rápido pra chegar a rodovia, porém mais deserto e o caminho mais esburacado, havia momentos que quase parava o carro pra passar por tanto buraco. Num desses momentos viu um vulto correndo entre as arvores, foi bem rápido e era grande. "Uma jaguatirica" pensou ele. 

Chegando em uma grande descida ele nem acelerou, o carro descia sozinho, quando estava no ponto mais baixo algo muito forte caiu sobre o capô, ele brecou e viu duas pernas peludas em sua frente "Um lobo? 

Não há lobos aqui" A criatura se abaixou e ele viu os enormes dentes enquanto rosnava, e via as mãos enormes, realmente não havia lobos ali, apenas homens-lobos. Uma das mãos do monstro quebrou o vidro e o agarrou pela garganta, puxou-o pra fora mas seu peito se estraçalhou no volante com o impacto da puxada, seu corpo não saiu pra fora, mas a cabeça sim, sai na mão do lobo que uivou na noite.

  Já era sábado a noite, Karina estava esperando a chegada de Márcio, enquanto sua mãe fazia quitutes na cozinha ela xingava o mau tempo que fazia a internet via radio cair.

  - Filha, leva estes doces pra sua vó, assim ela se esquece da doença. E pega a capa que ela te deu de aniversário, porque pode chover. E não vai pela floresta, lá tem onças e bandidos escondidos.

  Karina nem retrucou com mãe, e foi a contragosto, sabia que ficar discutindo só atrasaria tudo. Nem argumento que ali não existe onças e sim jaguatiricas, não disse que a capa vermelha que sua vó fez era de um pano que se molhasse ficaria pesado, mas pôs o gorro vermelho mesmo assim, por causa do vento que levava terra aos seus olhos. Não disse também que sua vó tinha duas e não uma doença. A vó se recusava a ir ao médico, iria se tratar só com coisas da natureza e Karina sabia que iria morrer por causa disso.

  Não por causa da Síndrome de Moebius, que é o não desenvolvimento de nenhum nervo facial, sua vó carece de expressão facial. Não pode sorrir, nem franzir a testa. Também não pode mover lateralmente os olhos nem controlar a piscada dos olhos. Com frequência é encontrada dormindo com os olhos abertos. Têm grandes dificuldades em soprar, engolir, falar e qualquer atividade na que estejam implicados os músculos da face.

  Mas morreria por causa da Fibrodisplasia ossificante progressiva, esta doença dão-se episódios repetidos de inflamação dos tecidos macios e o desenvolvimento de tumores subcutâneos e nos músculos. Estas lesões provocam a formação de osso em lugares onde nunca deveria existir osso, como ligamentos, músculos, tendões, articulações. Os traumatismos também desencadeiam e fazem avançar a ossificação dos tecidos macios. Progressivamente, sua vó irá perdendo cada vez mais a mobilidade até que, por impossibilidade de movimento da musculatura encarregada da respiração, vai morrer por asfixia.

  Não queria pensar nisso agora, olhar pra sua vó com essas doenças era muito ruim, lhe causava mal-estar a aparência da avó. Resolveu pegar o caminho da floresta pra chegar mais rápido e foi cantarolando uma musica idiota. Mas parou de cantar quando viu no ponto mais baixo da estrada um carro parado e com frente amassada. Resolveu voltar pra trás, mas uma ultima olhada mudou tudo, viu que era ao carro de Márcio. Desceu correndo e viu algo que não queria. Márcio sem cabeça e com o peito esmagado no volante, quis gritar, mas um uivo assustador a fez perder a voz. Olhou pra cima e viu um ser alto, esquálido, peludo.

  Correu por entre as arvores, mas a criatura era rápida, sentiu as unhas dela na carne de seu braço, mesmo sangrando ela continuo correndo. Mas a criatura a golpeou mais uma vez, agora nas costas, Karina caiu no chão, o monstro veio com a boca arreganhada em sua direção, ela fechou os olhos esperando o pior, mas nada aconteceu.

  Quando resolver abrir, viu outro homem-lobo, este maior, as duas criaturas duelavam em uma briga sangrenta, Karina correu, e correu mais ainda. Quando se deu conta estava no sitiozinho de sua vó, seus pés doíam, tirou o sapato, seu pé esquerdo tinha uma enorme bolha que estourou em sangue quando pisou no chão.

  Entrou na casa, se a vó antes era difícil de olhar agora era pior, seu rosto sem expressão agora não existia mais, seu rosto foi comido por inteiro, as costas deformada estava cheia de mordidas e seus ossos irregulares saltava expostos da carne. A chuva começou lá fora, um raio iluminou tudo e Karina viu a sombra da criatura na janela, correu pra cozinha e escutou a janela se quebrando, pegou uma faca na pia e se escondeu embaixo da mesa. Em vão, o lobisomem jogou a mesa longe, mas ela foi rápida e passou a faca no tendão direito do monstro. Correu pra fora e o monstro atrás dela mancando.

  Karina se escondeu na parede ao lado da porta, quando a criatura saiu ela desferiu três facadas na barriga dele. Mas o homem-lobo lhe deu uma patada no rosto que lhe arrancou a orelha esquerda. Karina se lembrou de que um vizinho cortava madeira pra vó pra ela se esquentar no frio e que o machado estava guardado no quartinho atrás da casa. Correu pra lá, o monstro atrás dela, Karina jogou a faca bem no meio da testa dele, mas a criatura tirou o objeto da cara como se fosse nada.

  O monstro correu com a cara ensanguentada na direção de Karina. Ela pegou o machado no quartinho e correu também com o rosto ensanguentado em direção ao monstro. Ele veio com a boca aberta, mas ela rápida se ajoelhou no chão quando se encontraram e passou o machado em uma das pernas da criatura, a decepando, muito ágil Karina  rodou o machado e arrancou a outra perna dele, enquanto a criatura caia com tentando abocanhar ela, Karina se levantou e disferiu um golpe de machado na vertical arrancando a frente do rosto do lobisomem. Estava toda suja de sangue, o corpo do monstro morto tomou forma de humano, Karina virou o pedaço de cara dele no chão pra ver se reconhecia. Era por isso que o delegado Santini não tinha provas dos assassinatos, era ele o homem-lobo.

  No topo da arvore a outra criatura observava, mas virou as costas e foi embora.
  Uma garota novinha toda ensanguentada contando histórias de homem-lobo não é fácil acreditar. Ela foi presa pelos assassinatos de Marcio, da Avó e do Delegado Santini. Mas como insistia na surreal história de que havia outro homem-lobo ela foi parar num sanatório. Sua mãe não aguentou e se enforcou. O fato tomou proporções mundiais, mas a história da garota de chapéu vermelho levando doces para a vovozinha e enfrentando homens-lobos não era nada fofa.

*************************

  Karina acordou no sanatório e deu de cara com um enorme homem negro, quase 2 metros de altura.

  - Olá Karina, acredito em sua história.

  - Quem é você?

  - O homem que te ajudou naquela noite. O outro lobo. Mas apesar do apelido eu não sou da turma dos vilões. Seus dotes para lutar com aquele lobo foram incríveis, mas você precisa de treinamento. Existem muitas coisas por ai, minha organização luta todos os dias contra eles. Pode me chamar de Lobo Mau e eu vim te recrutar pro grupo.

Continua...

OBS: Não houve edição alguma na postagem deste texto.


Nefferson: É uma pena que o autor continue cometendo os mesmos erros que cometeu semana passada. Esperava bem mais da versão sombria de Once Upon a Time, mas acabei me decepcionando.Hoje meu voto é NÂO, e espero que melhore nas próximas histórias que estão por vir.

Ricardo: Eu sinto como se tivesse vendo um filme com um excelente roteiro, mas com uma péssima execução, pela segunda vez. Tivemos alguns erros impossíveis de se ignorar, eu tenho a sensação de que o autor não se preocupou em revisar ou sequer olhar a concordância. Mais uma vez o Renan parece querer contar sua história com uma pressa desnecessária, falta aprofundamento na trama e nas personagens. Mas de novo, ele mostra ter uma capacidade criativa imensa, a narrativa está melhor, apesar de não estar uma coisa grandiosa. Por isso, confiando na capacidade de melhora das pessoas, vou dar um tiro no escuro hoje, meu voto é SIM.

Luiz: Renan, torci muito por você quando li a sinopse. Adorei a ideia dos seres de conto de fadas modernos lutando contra o mal. Você melhorou em detalhar a história e tem mais diálogos do que no primeiro. Entretanto, ainda percebe-se erros na escrita e na narrativa. Apesar de eu estar curioso pelos outros contos, hoje, pra mim é NÃO.

João: Ricardo, não sei o que deu em você hoje, mas só pra deixar claro, nem na melhor das hipóteses podemos chamar esse texto de "roteiro excelente". A ideia é boa e a visão do autor também, mas a narrativa é fraca, os diálogos são superficiais e a história é tão improvável quanto um comercial psicodélico da MTV. Eu estava pronto para voltar atrás e pedir desculpas por ter sido duro demais com o autor semana passada, mas não posso fazer isso quando nem mesmo ele se leva a sério. Porque, ao que tudo indica, ele nem se dá ao trabalho de revisar o texto antes de nos enviar. Então, hoje vai ser NÂO. E se continuar assim no decorrer da competição, nem vou precisar terminar de ler seus textos pra dizer Não.

Ricardo: Pra começar, quando falei "roteiro excelente" eu estava me referindo muito mais a ideia e a trama, do que a narrativa dele em si. Eu acredito que o rapaz tenha uma criatividade invejável que muitos não tem. Talvez, seja eu que esteja cansado do "mais do mesmo", mas gostei da originalidade do Renan. Hoje em dia fugir do convencional não é pra qualquer um. Meu SIM é justamente por isso, no Renan vejo uma pedra bruta que precisa ser lapidada (pfvr, frase pronta). Acredito que ele possa e vá melhorar, só que pra saber se houve um aumento de qualidade, eu preciso ver mais dele.

João: Criatividade invejável? Então acho que temos uma definição diferente pra esse termo, porque eu nunca elogiaria alguém que ainda acha que o mim pode conjugar o verbo.

Mateus: Gente do céu! It's Lindley Bitch! HAHAHAHA! E sinto muito Renan, você teve 3 Não's e um Sim, então, continua fora da competição.

E você? O que achou do texto? Concorda com os jurados? Acha que Renan ainda pode ter uma chance? É só comentar aqui embaixo e ser feliz, bebê!

Vejo vocês amanhã, seus lindos.

Bêj

Opinião da Britney:








               
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
13 Comentários

Comentário(s)

13 comentários:

  1. Renan você tem uma criatividade otima parabéns de novo
    quando eu li o titulo fiqei pensando um monte de coisas pasou pela minha cabeça um chapeu que manda as pessoas matarem as outros ( é eu sei que viagei) mas me surpreendeu eu amei a sua historia de hj até queria os outro capitulos, mas como tudo na vida não são flores (é sou eu de novo) tem erros pessimos sem ofensas, tem falas que precisam ser mais aprofundadas como a ultima cena a do hospital e outras coisas

    Mas o meu voto é sim

    ResponderExcluir
  2. gostei da sinopse kkkkkk

    ainda acho q tem dialogos desnecessarios.. acho desnecessario tbm os palavrões.. tem jeito melhor de expressar e q não deixam o texto trash... enfim, vc tem ideias boas, mas nao consegue desenvolver bem nem a historia nem os personagens.. enfim..

    ResponderExcluir
  3. Concordo com todos os juízes, inclusive com o Ricardo. O garoto pode melhorar, vocês deram algumas dicas que pode mudar de modo significativo o dele escrever pra melhor. Logo no início do texto encontrei alguns erros ortográficos dos feios e gírias no meio da narração, o que é horrível. Gírias e abreviações só podem estar presentes no diálogo entre os personagens. Ele não usa o travessão para expressar a reação dos personagens e isso acaba deixando o texto frio e distante. A sinopse foi ruim, mesmo que a história fosse boa. Ele resumiu todas as tramas, e sinopses só podem conter o enredo principal que é a luta contra o mal e a Bela Adormecida, pelo que pude ver. Se ele dessa uma lapidada e algumas correções nesse tempo, acho que ficaria excelente.

    ResponderExcluir
  4. Quantos textos vocês ainda vão mostrar?

    ResponderExcluir
  5. Bom, eu não gostei da sinopse. Primeiro porque eu não entendi o que estava lendo, tentei várias vezes transformar o texto num cenário ( em minha cabeça ) mas não consegui. A história não me agradou também, muito menos os personagens. Concordo plenamente com o João. E pra mim, ele já teve duas chances então é melhor agora dar mais chances para outras pessoas. Espero ansiosamente que o próximo texto seja melhorzinho D;

    ResponderExcluir
  6. Pra quem eu mostrava meus todos gostavam, mas nenhum lia com olho técnico, por isso resolvi mandar pra vcs Sério vcs estão me ajudando a escrever melhor, meus feedbacks geralmente eram bons mas superficiais. E nao sei se os outros que mandei estão melhores, infelizmente um deles que foi o maior, se nao me engano o Litoral dos Mortos estava tão grande que eu comecei a tirar todos os detalhes da história, numa idéia de jerico, que tinha descrições de perfil de personages e detalhes de localidades do Rio de Janeiro, mas a versão que mandei eu tirei maioria desses detalhes. :(

    Mas é sério, nao ligo pra criticas negativas, elas servem pra me ajudar, talvez por isso meus textos estão assim, pq nunca ninguém leu jugando, gostavam da historia e falavam que estavam bons. Mas vou escrever um e vou colocar vcs de personagens, e o João vai morrer na história. hauahauahaua brincadeira.

    ResponderExcluir
  7. Mas pelo menos esse teve um sim, pelo tanto que mandei no fim deve ter uns com 4 sims. Nem que for pra vencer na exaustão dos jurados. hauaha

    ResponderExcluir
  8. Renan KKKKKKKKKKKKKKKKK mata mesmo o João! E fico feliz de você pensar assim. Nunca tire detalhes da estória. Eles enriquecem, e muito, a narrativa e tudo mais. Veja 'As Crônicas de Fogo e Gelo', os livros são enormes e como o próprio autor disse "cheio de demônios". Nunca tire os demônios das suas histórias por achar que eles deixam-a exaustiva, eles só acrescentam. Mas claro, tudo na medida certa. Abraço

    ResponderExcluir
  9. Vocês viram? Ele me ameaçou de morte KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    ResponderExcluir
  10. Se matar o João na história já ganha mais pontos comigo, Renan.

    ResponderExcluir
  11. achei a sinopse bem legal e criativa,porem apenas a sinopse.

    ResponderExcluir
  12. Gostei muito da história,bem criativa e cheia de ação,queria pode ler os outros pois adoro contos de fadas,mas como disse os jurados a narrativa foi corrida e por ter quase 0 virgulas quase perdi o fôlego,pelo visto o Renan não seguiu o meu conselho de revisar antes de mandar,espero que tenha sorte da próxima vez,estou torcendo por você :D

    ResponderExcluir