sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

[Crítica] Hold Your Breath


Direção: Jared Cohn
Ano: 2012
País: EUA
Duração: 87 minutos
Título Original: Hold Your Breath

Crítica:

Quando passar por um cemitério, jamais se esqueça...

Eu adoro quando um filme usa de uma lenda urbana para basear o seu roteiro. Temos as diversas histórias de fantasmas e até mesmo a franquia Lenda Urbana, que segue a trajetória de um serial killer que mata suas vítimas usando mortes conhecidas de lendas urbanas. O meu ponto é que pegar essas ideias do dia-a-dia e fazer uma história de terror é sempre interessante. O roteiro deste filme, por exemplo, pode parecer se encaixar nesta introdução, porém, é apenas lobo em pele de cordeiro. Não entenderam? Vou explicar mais sobre isso mais para frente. Por enquanto, vamos logo à sinopse.

A história do filme gira em torno de um grupo de amigos que decidem ir acampar longe da cidade. Passando por um cemitério, um deles não consegue manter o fôlego e acaba respirando quando não deve. A crença é que quando se passa de carro por um cemitério, você deve prender a respiração, senão espíritos malignos podem possuir o seu corpo. Mostrando que a lenda é verdadeira, o personagem que não segurou o fôlego é possuído por um serial killer que está prestes a espalhar terror e morte por onde passar. Porém, pegá-lo não será tão fácil quanto se imagina, uma vez que ele tem o poder de passar de corpo em corpo, sem poder ser identificado.

Como vocês podem ver, a história é baseada em uma possível lenda urbana para prender o fôlego ao passar na frente de um cemitério. Porém, ela não existe. Foi criada especialmente para o roteiro deste filme. Não estou falando que isso é uma coisa ruim, mas todo o desenvolvimento dessa história é ridículo. Então quer dizer que todas as pessoas que passam por um cemitério podem ser possuídas a qualquer momento? Isso quer dizer que quase todas as pessoas já estiveram com um espírito no corpo em algum momento da vida, certo? É uma ideia muito ridícula. Se ainda tivesse uma circunstância especial para o espírito sair, poderia ser um POUCO aceitável, o que não é o caso aqui.

E o roteiro é o menor dos problemas, certamente. A direção é uma porcaria, assim como a produção. Temos alguns efeitos práticos, mas muito CGI. E este é um pouco com um orçamento limitadíssimo, então vocês podem esperar por muitas cenas toscas, com efeitos digitais de décima categoria. E o engraçado é que algumas cenas são absolutamente desnecessárias. Mortes violentas podem ser feitas sem o maldito CGI ruim. Mas a direção e o roteiro imploram por usá-lo. Para que explodir um carro se não há condições financeiras para isso? Era melhor ter feito algo mais simples, porém, eficiente.

Mas não vão pensando que isso é tudo. Se o roteiro ou a direção não funcionam, vocês não têm ideia da ruindade do elenco. Acabou me deixando com vergonha. E o pior, tem uma atriz que eu gosto e estava começando a traçar uma carreira legal, Katrina Bowden (Tucker & Dale Contra o Mal e Piranha 2). Espero que esta porcaria de filme não condene a sua carreira e que ela possa se reerguer com o futuro Nurse 3D, que promete ser um dos filmes mais aguardados do gênero no próximo ano. E o mais engraçado é que nem ela se salva desta porcaria, entregando uma atuação medíocre, no mesmo nível que a produção. Será que ela estava devendo um favor para alguém? Enfim, espero que ela nunca mais se humilhe deste jeito.

Destaque para o prólogo. Não estou falando isso de uma forma positiva, só quero destacar uma das piores sequências de todo o filme. Atores estranhos e atuações piores do que as dos jovens que iriam morrer futuramente. E ainda temos diversos clichês com separações e casais que param o carro no meio da estrada e saem para transar, como se fosse algo tão importante quanto buscar gasolina. Enfim, corram desta porcaria de filme, porque ele não merece vocês e nem as suas estrelas. Abaixo a cotação fica com apenas um pontinho porque eu ri em diversos momentos. Fujam para as colinas e não se esqueçam de prender a resp... Fuck that shit.


Trailer:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
4 Comentários

Comentário(s)

4 comentários:

  1. Nossa, eu fiquei com medo que essa lenda fosse real, imagina, o mundo inteiro cheio de gente com espirito... não faz sentido.

    ResponderExcluir
  2. vanessa vasconcelos reznor30 de dezembro de 2012 22:46

    porra mano,hoje tá difício hein? mais um que passarei longe.

    ResponderExcluir
  3. Deve ser um otimo triller......

    ResponderExcluir
  4. Cara eu gosto das críticas do blog, so acho que vc devia parar de colocar a sinopse no meio da crítica por toma todo o espaço.

    ResponderExcluir