quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

[Crítica] Gossip Girl - 6x10: New York, I Love You XOXO (Series Finale)

The last XOXO

Review:
(Spoilers Abaixo)

Foram seis anos, seis temporadas e 121 episódios acompanhando a vida da elite escandalosa de Manhattan, mas chegou a hora da grande despedida. E acho que ninguém estava preparado pra ela. Mesmo que a série tivesse nos decepcionado em grande parte do seu trajeto, ainda é difícil admitir que não vamos mais ter fofocas sempre que o outono chegar. E que Blair, Serena, Nate, Dan, Chuck, e todos os outros personagens que marcaram nossa adolescência, não vão mais fazer parte das nossas vidas. Mas se serve de consolo, a série apresentou um final bem melhor que o esperado, que caiu na previsibilidade, mas honrou todos esses seis anos em que ela esteve no ar.

Diferente de muitos de vocês – com certeza - não acompanhei a série desde o começo. Na verdade, por ser direcionada ao público feminino, eu sempre tive um pouco de preconceito. Achava que as batalhas pela coroa do baile de primavera já tinham perdido o seu brilho desde quando Meninas Malvadas reprisou pela quinta vez no SBT. Mas foi graças a essa emissora que eu entrei no mundo de Gossip Girl. Enquanto ela exibia sua primeira temporada na versão dublada e mal editada, a série estava na metade de sua terceira temporada no canal CW, prestes a fazer um grande retorno para a Mid-Season de 2010. Então aproveitei o tempo livre pra fazer aquela maratona esperta de episódios antes disso.

Desde aí Gossip Girl já tinha se tornado um vício. Era só o que eu queria saber, era só o que eu pensava, porque também, era a única série que eu acompanhava. Mas então, o pior aconteceu. A qualidade da série foi caindo aos poucos, o roteiro foi ficando preguiçoso e a vida dos Upper East Siders já não era assim tão legal. Foi preciso a audiência cair drasticamente e ser oficialmente cancelada pra GG perceber o erro que tinha cometido e mudar o quadro. Bem, pelo menos o suficiente pra ganhar um super final.

Já no começo desse episódio vimos o tumulto que se formou após a notícia de que Bart havia morrido. E entre os felizardos e aqueles que precisaram ficar de luto, estavam Chuck e Blair, fugindo do local como se fossem dois criminosos. Logo a polícia declarou aberta a temporada de caça ao Bass e começou a interrogar todas as famílias, enquanto os dois armavam um plano junto do tio Jack pra não irem pra cadeia. Plano este que apenas um desesperado aceitaria, pois casar-se naquelas circunstâncias só pra impedir a noiva de depor não era uma boa maneira de começar uma vida nova agora que ambos já tinham conseguido o que queriam.
Apesar disso, achei que a ideia de um casamento no meio de uma investigação policial foi bastante original. Não teve cena de avião, um “eu te amo” de novela ou qualquer outra coisa clichê que já vimos milhares de vezes nos filmes da Sandra Bullock. Blair e Chuck casaram as pressas e como puderam, mas obviamente, sem abrir mão da presença de todas as pessoas que amam. Como Serena Van Der Flops, Inútil Archibald, Empreguete Dorota e o leão das montanhas, Daniel Humphrey. Que por acaso, parecia saber bem mais sobre a Gossip Girl do que qualquer um iria imaginar.

Ele passou o episódio inteiro tentando explicar a Serena tudo o que ela leu no ultimo capítulo do seu web-livro - que falava sobre ele -, até que decidiu finalmente dizer a verdade pro mundo inteiro. Através do Spectator, ele reveleou que era a Gossip Girl o tempo inteiro, e contou a história de como um garoto solitário do Brooklyn se transformou na blogueira mais polêmica do século XXI. Houve tempo pra flashback, uma explicação conveniente pra revelação, e claro, um final feliz. Porque criar um blog de fofocas que já prejudicou muita gente não é um crime quando a intenção era apenas entrar no mundo do Upper East Side.

E é nesse momento que a cara do telespectador vai no chão. Muitos gostaram, alguns nem tanto, mas tenho certeza que ninguém imaginou que Dan pudesse ser a pessoa por trás da Gossip Girl. Apesar da explicação ter sido plausível, a ideia não tem cabimento, e é tão surreal que nem mesmo chegou a ser uma hipótese durante a série. Eu mesmo pensei que Dan só seria um escritor bilionário e esfregaria na cara de todos os amigos que detonou em seus textos. Mas não, ele era o todo poderoso, o onisciente da parada, algo com certeza bem próximo de um Deus, que mudou pra sempre a história do Upper East Side sem mesmo fazer parte dele. Não poderia ser mais perfeito que isso.

Ainda descobrimos que sua irmã Jenny sabia de tudo e que vetava as fofocas que ele recebia quando era a seu respeito Como no caso da sua virgindade que veio a público, foi a própria quem pediu pro irmão postar, pois se Blair a expulsasse da cidade seria mais fácil sair. Ou seja, além de ter provado pro mundo inteiro que uma garotinha do Brooklyn poderia ser melhor que Blair Waldorf, ela ainda era irmã do todo poderoso, e com certeza tinha ficado encarregada de algumas fofocas, mesmo que isso não tenha sido confirmado. Uma pena que seu retorno só durou alguns segundos e quase não teve diálogos, mas mesmo assim, valeu a pena ter nossa Little J de volta.
Agora vamos ao final de cada um? Não houve nada de espetacular nessa parte, mas como foi um final feliz, não podemos reclamar. Vamos começar com Blair e Chuck, os protagonistas da série desde que sua paixão se tornou promissora. Eles continuaram casados após terem sido inocentados, e agora, cinco anos depois, têm um filho pequeno chamado Henry, que é a cara do papai. Já Nathaniel Archibald, o eterno inútil da série, conseguiu fazer o Spectator ser um grande sucesso e agora é um homem de negócios, com certeza sem tempo pra namoricos ou sexo casual, já que a Sage Sabotage nem deu as caras depois que os anos se passaram. Há boatos de que ele vai concorrer ao senado e que já é o preferido, então, de qualquer jeito, seguiu os passos do vovô.

Lily e Rufus, ao contrário do que eu imaginei, não conseguiram se acertar. Mas a cena onde aparecem me deixou um pouco confuso. Primeiro eles se beijam, depois Rufus abraça uma nerd de ósculos como se fosse sua mulher e Lily senta no colo do William, como se fosse seu marido. A não ser que os quatro estejam num relacionamento aberto ou selinho da boca seja o novo cumprimento do Upper East Side, algo está muito errado nisso. Eu até reclamaria em ver Lily comemorando com todos os outros personagens, mas sinceramente, não consigo ficar com raiva de uma coisa que eu já sabia que iria acontecer. Além disso, Ivy também não se ferrou no final. Ela escreveu um livro bem sucedido sobre sua história de vigarista, que mais tarde ganhou uma adaptação aos cinemas protagonizada pela própria Lola Rhodes e Olivia Burke, a personagem de Hillary Duffy na Season 3.

E o que falar sobre o casamento de Dan e Serena, 11 ANOS depois que eles se conheceram? Bom, foi um final bastante previsível, mas ninguém pode negar que também foi necessário. Porque fala sério, pessoal, alguém imaginou o final de Gossip Girl sem o casamento desses dois? Seria um sacrilégio com os fãs e com a própria série se ele não acontecesse. Porque querendo ou não, todo final precisa daquele clima pesado de novelão, e todos os tipos de clichês relacionados ao felizes para sempre que couber na cabeça desses roteiristas.

Ainda tivemos uma cena bastante sugestiva no final – com a nova musica da banda The Pretty Reckless no fundo -, que pode ou não significar que Dan Humphrey não é o único disposto a ser uma Gossip Girl pra entrar no mundo do Upper East Side. Bem, se houver um reboot como houve com a série Barrados no Baile – atual 90210 – talvez possam aproveitar essa ideia. Mas por enquanto, a única Gossip Girl que existe é Dan Humphrey. E eu estou muito satisfeito com apenas isso.

Aliás, estou satisfeito com tudo. Pra mim foi um final excelente, bem melhor do que eu esperava. Mas não pensem que sou alienado, ou que fechei os olhos para os inúmeros problemas que a série vem apresentando desde sua quinta temporada. Só acho que uma boa série não é feita apenas de acertos. São vários anos contando a mesma história, com os mesmos personagens e a mesma base, é normal que cometam deslizes em sua trajetória. Mas não é por isso que vamos esquecer tudo o que a série já fez pela gente. Eu tenho certeza que vou levar Gossip Girl pra sempre comigo, com os bons e maus episódios, os velhos e novos personagens, sempre abusando das reprises e da minha coleção de DVD’s pra relembrar uma das séries que marcou minha adolescência. Parabéns atores, produtores, roteirista, e todos que ajudaram a trazer o mundo de Gossip Girl pras nossas vidas. Vocês merecem.
PS: Tivemos uma lista enooooorme de participações especiais nesse episódio. Juliet voltou, Vanessa voltou, Agnes voltou, mas apenas por alguns segundos, só pra mostrar a reação dos coadjuvantes ao descobrirem a identidade da Gossip Girl. Então, o destaque vai para Rachel Bilson e Kristen Bell, que interpretaram elas mesmas encenando uma peça baseada na vida de Serena Van Der Woodsen. Foi bom ter a nossa "verdadeira" Gossip Girl finalmente aparecendo, pra variar.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
7 Comentários

Comentário(s)

7 comentários:

  1. Eu tambem comecei a assistir GG quando estava passando na SBT.

    Critica perfeita. Com vontade de assistir a seria novamente desde o começo, só q agora eu iria ve-la com outros. Um dia talvez quando eu tiver filhos, assisto com eles.

    Achei q só eu pensava q era a Dorota, mas ate alguns personagens tambem achou.

    Georgina e Jack juntos, OMG como assim? vc esqueceu de citar o casal mais armação/perfeito q surgiu no final da serie.

    Lily dando um selinho em Rufus, me trollou geral kkkkk

    Pra mim só teve uma pequena falha nesse final. Como assim Bart cai de uma altura daquela e o corpo ta intacto e não espalhado por todo canto.

    Como vc mesmo falou ai e eu ja tinha comentado com o Gueeds um Spin-of dessa serie seria perfeito.

    ResponderExcluir
  2. Vou sentir muita falta dessa serie. Ninguém esperava que Dan fosse a GG e todos acharam uma grande reviravolta,até Marlene King (que é escritora que uma grande reviravolta, Toby no -A Team). Amei ambos os casamentos, as participações especiais, tudo. Acho que GG conseguiu dar um final digno a serie!

    ResponderExcluir
  3. Achei o final da serie excelente! Assisto desde o comecinho. Amo a serie, e nao consegui nao ficar com um aperto no coração o episodio inteiro, por saber que era o ultimo.
    Achei o casamento da blair e do chuck, algo que esperávamos desde a segunda temporada muito rapido para tanto tempo de espera, mas amei os "votos" deles: 3 words, 8 letters... 1 word, 3 letters...
    Amei amei amei... foi um dos melhores episodios qnd a blair diz isso pela primeira vez, o inicio da saga Chair...

    Cara to até agora confusa com o Rufus e a Lily, q porra foi aquela?

    pq demorou tanto pro dan e pra Serena casarem? eu acho q isso foi desculpa pra mostrar q mesmo depois de 5 anos o chuck e a blair continuam apaixonados e com um filho... só pode ser...

    to numa bad q nao vou mais ve-los juntos... :(


    Gostei desse episodio pq a Blair não foi a personagem principal como foi nas ultimas temporadas ao inves da Serena.

    Adorei o fato da Little J estar trabalhando pra Blair (Alguem mais reparou a sacola q ela estava carregando? J for Waldorf)


    Mas algumas pontas ficaram soltas... a mãe do chuck, o filho do rufus e da lily... q fim tomaram...

    Mas o final só seria melhor se acabasse assim: " haha pegadinha do malandro, gossip girl continua na segunda, nao percam xoxo gossip girl!"

    Acho q é só... otima critica

    ResponderExcluir
  4. Não poderia estar mais orgulhoso e satisfeito por ter acompanhado a série desde 2008/09 e pelo falo de, através dela, os atores terem se lançado e hoje serem quem são. Amei a 6ª temporada, amei o final: revelação da GG, participações especiais, fim dos personagens (que criança linda era aquela, gente?) Enfim, sentirei saudades s2

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pela critica, disse tudo.

    ResponderExcluir
  6. Gossip girl marcou a minha adolescencia,eu nunca amei tanto um seriado como eu amei Gossip girl.Queria parabenizar os produtores,a escritora e roterista,os atores e todo o elenco pelo incrivel trabalho que fizeram durante seis anos.Mas como todo seriado existem seus pros e contras nao e mesmo? A primeira,a segunda e a sexta temporada na minha opiniao foram as melhores,as armacoes da Blair,o romance entre Dan e Serena e Chuck e Blair,os jogos,o drama e um final perfeito para a serie foram os melhores momentos.Devo adimitir que eu achei que o nível da serie caiu durante a quarta e a quinta temporada,com toda aquela história de príncipe,gravidez,um cara que voltou dos mortos,o aparecimento da verdadeira Charlie,e os milhões de romances da Serena realmente achei meio forcado (sem ofensas pra quem gostou desses acontecimentos)havia muitas pessoas entrando e saindo da serie,muitos romances nada a ver (Ben e Serena) e o fato de a filha do Ben estar namorando com o Nate!! Como assim!!!?? E como se Manhattan fosse um circulo pequeno,aconteceram muitas coisas surreais e nada ver nessas temporadas, e como se eles não tivessem mais criatividade e invetaram um monte de conflitos só pra deixar mais interessante (minha opinião).E fiquei puta com toda essa enrolação da Blair em ficar com o Chuck,todo mundo sabe que os dois foram feitos um pro outro e as desculpas que ela inventou foram meio absurdas,meu deus fiquei com muita do do Chuck nessas duas temporadas o coitado sofreu demais,com a rejeição da Blair e o misterioso aparecimento do pai.Tive ódio do Dan,caralho o cara chato,publicou um livro sobre a vida pessoal dos seus amigos,armou contra Chuck com a parda do vídeo e depois ficou se fazendo de santo,reclamou durante a temporada inteira,para mim ele foi o pior personagem dessas duas temporadas ainda mais com aquele cabelo (O QUE ERA AQUILO??).Bom e quanto ao Nate se mostrou meio irrelevante,ficou se fazendo de coitado por não conseguir achar uma namorada,e a Blair,onde foi parar aquela garota hilaria cheia de armações e joguinhos,que ameaçava a todos e era a personagem mais top da serie.Durante a quinta temporada ela realmente perdeu seus hábitos e na minha opiniao deixou de ser a Blair Waldorf que ela era durante a primeira e a segunda temporada.Amei a critica,muito boa,completamente certa me indentifiquei muito com ela.Apesar dos pros e contras da serie,eu amei amei demais Gossip Girl e vou sentir muita falta de tudo da serie principalmente da Dorota!!!

    ResponderExcluir
  7. Aserena devia ter um final feliz com o nate e nao com o dan, sempre imaginei que seria assim, mas fiquei muito chateada por isso nao ter acontecido, e eu adoraria que continuasse a serie para mim foi a melhor serie de todas parabens a todos que participaram da serie

    ResponderExcluir