domingo, 16 de dezembro de 2012

[Crítica] Go On - 1x09/10: Dinner Takes All/Back, Back, Back...It's Gone

O desafio está lançado: Qual série tem o maior elenco? Glee, Pretty Little Liars ou Go On

Review:
(Spoilers Abaixo)

Aqui estou, na tentativa desesperada de me pôr em dia, antes que as loucuras, que esse povo do blog preparou, comecem (por favor, nunca disse que eu sou controlado). E mais uma vez, venho fazer uma crítica totalmente do contra, se eu estiver falando alguma loucura, me apedrejem nos comentários. Brincadeira, tacar pedras em adolescentes é coisa do livro mais antigo do mundo. 

Esses dois episódios mostraram que toda comédia está sujeita a um mesmo problema, a instabilidade na qualidade dos episódios. Incrível como consegui achar o episódio de Thanksgiving tão chato e seu sucessor tão bom. E por isso disse que faria uma crítica do contra, porque até onde eu vi e ouvi, as pessoas acharam o episódio de Thanksgiving excelente...Eu não achei, não mesmo. 

A verdade é que as pessoas só gostaram desse nono episódio porque teve a participação daquela atriz, Lauren Graham, eu até gosto dela, mas não acho isso tudo. Achei quase tudo nesse episódio forçado, o que salvou mesmo foi o grupo de apoio, teria sido um tédio ficar só na briga entre Ryan e Steve. As cenas mais hilárias foram graças a Mr.K e a briga entre a mãe do Owen - que voltou e já quero ela regular - e a Lauren. Alguém avisa que não se ensina uma mãe a cuidar do próprio filho, principalmente sem nem filhos você tiver.

Já que falei no Owen, preciso comentar que está acontecendo com Go On, a mesma coisa que acontece com Glee. Personagens somem do nada e depois voltam e fica um rodizio de some-aparece, nessas semanas aconteceu com George - que não apareceu no nono, e voltou no décimo - e Owen - que apareceu no nono, e sumiu no décimo. Isso até que não me incomoda na série, porque os roteiristas da comédia estão conseguindo trabalhar bem todos os personagens. 

Quem não tem mulher, caça com homem...Hum/

Falando em personagens secundários, tenho cada vez mais me tornado shipper do Ryan e da Carrie, acho os dois fofos juntos. E esse décimo episódio, só fortificou essa minha opinião. Acho as cenas deles dois sempre ótimas e sinto uma química muito maior do que entre ele e Laurel. Ok. Talvez Ryan e Carrie nem tenham tanta química juntos, mas mesmo assim ainda gosto da ideia de ver eles como casal. 

Achei bacana os próprios roteiristas terem brincado com esse romance em potencial entre Laurel e Ryan, a cena pode não ter sido hilária, mas valeu só pela alfinetada nas outras comédias. E o que dizer das cenas dele com Wyatt (beijo, IMBD)? Hilárias. E gostei da série ter colocado todos os membros do grupo já terem se apaixonado por Laurel, original, no minimo. Adoro quando as série tentam sair do comum, desde que não seja muito exagerado. 

Já que estava falando em casal, estava curioso pra ver qual seria o primeiro casal a se formar dentro do grupo e pra minha surpresa escolheram Danny e Sonia (dois beijos, IMBD). Não sou desses que gostou tanto das cenas deles, achei no minimo bizarras. Mas vamos ver como os dois se saem como casal. Já na outra parte tivemos uma trama melhor, adorei ver George de volta e ainda vem todo trabalhado na crise da pior melhor idade.

Confesso que já nesse décimo episódio, achei a trama do Ryan melhor do que a do Grupo de Apoio. É até interessante como dois episódios com a mesma temática conseguiram ser tão diferentes, um foi bom e outro nem tanto. Por isso que eu digo nenhuma história é ruim, o que fode (falo assim mesmo) é o jeito de contá-la.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário