terça-feira, 18 de dezembro de 2012

[Crítica] Glee - 4x10: Glee, Actually (Fall Finale)

Aquele em que realizaram o sonho de matar Quinn Fabray...

Review:
(Spoilers Abaixo)

É meus amigos, finalmente chegou o fim do ano, quiçá, do mundo. E todos nós temos nossas tradições, ou a falta delas, mas uma coisa é certa, o mundo não podia acabar sem mais uma tentativa de Ryan Murphy de fazer mais um episódio voltado para esse período de tanta comemoração, consumismo, superficialidade e hipocrisia que disfarçamos dizendo que somos bondosos e generosos e que essa época é de paz e amor. Alguém avisa isso pras facções criminosas por que parecem que eles esqueceram. Mas enfim, como eu ia dizendo, na sua última tentativa antes do mundo acabar, Ryan Murphy acerta. Acerta nas músicas, nas histórias e claro, na dose certa de sadismo e incoerência. Achei bacana a dinâmica que Titia usou nesse episódio, acho que eles se inspirou nesses filmes que gira entorno de várias histórias de natal. Mas o verdadeiro milagre de Natal não aconteceu, afinal, nem nessa data tão especial, Tina teve destaque.

Esse especial de Natal veio todo trabalhado nas homenagens e nas referências, seja a outros filmes ou aos outros especiais de natal da série, o fato é que foi super gostosinho de se assistir, ri muito com várias cenas e mesmo quando elas eram engraçadas, vai dizer que ninguém teve uma crise de risos quando eles me aparecem com o maior sonho realizado: Quinn morta (mesmo que numa realidade paralela)? Eu pausei pra poder gargalhar em paz, por isso que Quinn tem medo de aparecer muito, vai que decidem jogar ela de um barranco dessa vez? Titia Sádica Murphy devia estar dando suas risadas maléficas enquanto escrevia essa cena. E já que comecei falando da realidade paralela (que agora toda temporada tem que ter, já temos uma em que Artie é dançarino, temos uma onde Tina é Rachel, sem falar naquela onde eles sempre estão nos cenários dos clipes originais das músicas que eles estão cantando em episódios tributos)...


Feliz Navidad E Prospero Ano E Felicidad...

O episódio já começa com essa história de Artie e alguém me diz, desde quando que ele é "glue of glee"? Não estou diminuindo o personagem, mas acho que exageraram um pouco, os roteiristas deixam ele sem fala por 5 episódios, e agora, dão toda essa importância, ora, faça me o favor. Aliás, eu sei que ele é um adolescente, mas precisa fazer a revoltada em toda temporada? Desnecessário, né gente? Quando você pensa que ele já se acostumou com a sua condição de cadeirante, ele me cai porque esqueceu de passar manteiga nas rampas da escola, claro, que não pensaram em serem mais coerentes e falar que foi por causa da neve. Eis que depois de ser pegado no colo por Finn, que não sei se estava fazendo cara de pervertido ou era sua expressão normal, e levado pelo mesmo até a enfermaria e começa a alucinar com o que era pra ter sido a terceira temporada caso não tivessem dado os remedinhos de Titia.

A enfermeira só pode ter encontrado um estoque vencido com aquelas vitaminas que a Terry dava pro New Directions, porque só assim pra ressuscitarem a personagem. E parece que as drogas vieram direto da Irlanda, porque outro que surgiu especialmente pra esse episódio foi Rory, que voltou com o sotaque bem menos exagerado, por isso agora eu consigo entender o que ele passou a terceira temporada inteira fazendo: apenas sentado aprendendo inglês. Gostei muito dessa loucura toda e ainda mostrou todo o talento do Kevin, que segundo li por aí, ele é o ator mais foda feat versátil feat gay da série. Acho a voz dele bacana, e se mesmo na cadeira, ele já é um excelente performer, imagina andando, sambando e sapateando na cara da sociedade.



Eis que Rory não foi o único que decidiu surgir da mente distorcida e conturbada desses roteiristas, Puck também decidiu dar as caras pra comemorar o Hannukah com seu "bro" e claro que depois de um tempo em LA, ele já está todo trabalhado nas mentiras. Gente, gostei muito desse núcleo, talvez tenha sido o melhor do episódio, sinceramente, prefiro um episódio de natal mais divertido que dramático e foi isso que esse núcleo trouxe. Sem falar que os atores estão super entrosados, né? O encontro deles rendeu uma excelente sequência em LA, sem falar que foi ótimo ver o relacionamento deles evoluindo e eles formando uma família, juntamente com suas mães. Drama e humor na medida certa, tem personagem melhor pra isso que Puck?

No final, Puck decidi continuar seu trabalho como roteirista (oiq?) em Ohio mesmo, e isso me deixou com a sensação de que até o final da temporada, metade do elenco antigo vai estar em Ohio de volta e a outra metade vai estar em Nova York. Até porque, deve ser inviável manter todo um elenco pra ficar aparecendo em meia dúzia de episódios, tanto pra FOX quanto pros atores. Aposto que a próxima é Santanão que vai direto pra Nova York. Aguardemos 2013...


Falando em 2013, sabemos que esse ano está todo trabalhado nas polêmicas por causa da possibilidade de ser o fim do mundo. E como bem sabemos também, o nome do meio de Ryan Murphy é polêmica. Logo, com tão pouco tempo pro fim do mundo, não podia dar outra, Titia tinha que dar um jeito pra colocar o tema na série, e nada melhor que Sam e Brittany pra tratar do assunto. Assim, temos nossa terceira história do episódio.

Não compro Bram, ainda não consigo ver os dois como casal, pra mim eles são aquela dupla de amigos sem noção, que não falam nada com nada, que todo mundo conhece. Juntos as loucuras deles funciona bastante, mas ainda não shippo eles ou qualquer coisa assim. Preferiria que tivessem deixado eles só na amizade, e se queriam dar um par novo pro Sam, podiam tentar com Tinamambaia (que está só esperando o episódio de destaque dela na temporada). E nem achei as cenas entre eles tão engraçadas assim, o mais legal foi Bestie ajudando eles. 


E claro que como todo bom especial de Natal, tinha que ter o drama amoroso de alguém e pra quebrar o clichê de Finchel, me colocam Klaine pra ser o romance do ano. Preciso mesmo comentar sobre isso? Já expressei aqui enquanto não gosto dos dois juntos e não compro nem a amizade deles, acho que Kurt não funciona com o Blaine. E por algum motivo, Blaine não me desce mais, realmente vou começar a achar que o Darren transa com o Ryan Murphy porque só isso explica um personagem tão sem sal ter tanto destaque na série.

O que salvou esse plot foi Burt, o personagem é o melhor pai de todos no mundo das séries. E quando ele me veio com a trama de "tenho câncer de próstata" minha cara foi no chão e voltou, os roteiristas escolheram ele como alvo agora que a Quinn está dando (amor) pra todos os professores casados de Yale. O personagem já tem problemas cardíacos, e agora ele descobre que está com câncer. Titia está ficando mais sádica que Shonda, mas gosto disso, o problema é que é muito drama pra um mesmo personagem (Quinn manda dois beijos) enquanto outros mal tem função na série.



Falando em função pra série, qual seria a função de Sue senão fazer boas ações secretamente pra ajudar nossos protagonistas? Exatamente. A personagem serve pra isso né minha gente? É lindo ver todo natal ela amolecendo e ajudando algum membro do ND. E como tinha que ter o drama dos novatos, claro que dessa vez, ela ajudou Marley e sua mãe. Acho bacana Glee está tratando da bulimia, até porque, da última vez que a série tratou do assunto o máximo que tivemos foi uma piada com sexo oral. Acho justo Marley melhorar logo, outro desmaio no meio das apresentações e expulsam ela do ND debaixo de pauladas.

Aliás, só eu acho injusto, os graduandos estarem recebendo tão pouco foco? E agora por causa da Marley, eles vão terminar o ano sem sequer participar das Nacionais, acho que podiam colocar um pouco mais de drama nessa parte. No mais, tivemos um episódio excelente - mais um, né? - que conseguiu ser o primeiro especial de Natal da série que realmente não flopou. E se essa temporada já conseguiu trazer um episódio tributo excelente e um episódio de natal tão bom quanto, pode ter certeza que mais nada segura essa série. Nem Smash.

P.S.
Incrível como mesmo com uma pequena participação no episódio, Rachel faz toda diferença, ao menos pra mim. 

R.I.P Quinn Fabray
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
8 Comentários

Comentário(s)

8 comentários:

  1. P.S.
    Incrível como mesmo com uma pequena participação no episódio, Rachel faz toda diferença, ao menos pra mim.2

    Tenho que começar assim, concordo é mto.
    Pra mim tbm foi o melhor eps. de Natal de Glee. Parecia os filmes de Sessão da Tarde que sempre passa na Globo. Achei bem legal. Diferente de vc não dei nenhuma risada com a tal morte de Quinn, ainda bem que é um mundo paralelo, Brit e Sam gosto e mto, rola a maior química ali e Sue e Beck são geniais. Dei risada com seu veneno que Blaine dá uns pega no Titio kkkkkkkk
    Gosto dele mais esse drama com o Kurt tbm me cansa.
    É isso feliz natal pra vc e todos

    ResponderExcluir
  2. Olá . . . Achei a critica muito boa , assim como episodio .
    Tem uma serie que sinto muita falta aqui no site . Nunca pensaram em fazer criticas de Scandal . Pois parece estar um dos sucessos de Shonda Rhimes .Just Saying . . .

    ResponderExcluir
  3. Opa, desculpa por não comentar logo kkkkkkk, amei o episódio e Quinn morrendo hahahaha, ele conseguiu o que queria. ELE = RYAN!

    ResponderExcluir
  4. Vishi...não aguento mais o Blaine tbm,
    acho que o destaque dele podia ser da Tina que é do elenco original.
    Achei muito legal a Terri aparecer, porque gosto de ver os atores da primeira temporada voltando mesmo que por um epi, muita sacanagem a morte da quinn.
    Já no caso da Rachel eu não concordo, acho que Glee andaria muito bem sem ela e do mesmo jeito com ela, não faz diferença pra mim.
    Quanto o comentário de juntar o elenco em duas cidades parece que no epi 11 ou 12 a Quinn e a Santana vão estar em NY, não vejo a hora disso.
    Gosto muito de Bram, não tenho nada contra, mas acho que a cota de casal gay estorou [kkkkk.
    E a Sue mais uma vez, mesmo sendo clichê, foi emocionante, Jane Lynch mostrando para aqueles adolecentes mais uma vez como é atuar de verdade, acho que ele merecia mais um globo de ouro.

    ResponderExcluir
  5. O Artie caiu porque o zelador não jogou sal na rampa, sal derrete a neve, logo, ele caiu por causa da neve kk

    ResponderExcluir
  6. Felipe, por favor, não vamos expor minha falta de conhecimento de química aqui no blog? Obrigado hahaha

    Venha mais vezes por aqui!

    ResponderExcluir
  7. Magina, Geedes, desde que comente, pode demorar quanto quiser (o abusado).

    Rafa, quando eu disse que dei risadas com a morte da Quinn, não foi por não gostar dela e sim porque imaginei Ryan dando uma risada maléfica escrevendo essa cena...

    Diego, que bom que gostou da crítica, a questão é que ninguém do blog se empolgou com Scandal até agora, quem sabe mais pra frente. Apareça mais vezes também!

    Michael, acho que essa questão da Lea Michele só vai fazer diferença quando ela sair realmente da série, aí sim a gente vai ver se ela faz falta ou não, hahaha

    ResponderExcluir
  8. Medo do que pretendem fazer com o personagem Burt. Muito medo, ele é, tipo, o melhor dos personagens recorrentes da série.

    E eu me mato se Kurt e Blaine voltarem. Kurt está se dando muito bem sozinho, longe da presença do ex, assim como Rachel, muito mais simpática e menos irritante longe de Finn e do New Directions. Estou gostando muito desta temporada, e olha que eu pensava que a série já não tinha mais o que dar.

    ResponderExcluir