segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

[Crítica] Fenômenos Paranormais 2


Direção: John Poliquin
Ano: 2012
País: EUA / Canada
Duração: 100 minutos
Título Original: Grave Encounters 2

Crítica:

Medo é apenas uma palavra. Realidade é muito pior.

Quem poderia prever que Fenômenos Paranormais teria uma sequência? Mesmo com o final aberto, uma segunda parte parecia estar fora dos planos. Mas depois de fazer sucesso entre os internautas e garantir algumas boas críticas, o terror found footage surpreendeu os seus produtores, que não perderam tempo e já lançaram a sequência, um ano depois. Apesar de não ter o mesmo apelo mundial que a franquia Atividade Paranormal, Fenômenos Paranormais ganhou espaço na mídia, o que é digno de reconhecimento. Afinal, o projeto conseguiu se destacar no ano onde as produções em primeira pessoa foram lançadas a exaustão. E agora, está na hora de acompanhar mais filmagens perdidas...

A história desta segunda parte gira em torno de Alex Wright, um estudante de cinema que sonha em fazer diferença no gênero de terror. Após receber alguns e-mails estranhos de um usuário chamado "A Morte Espera", o garoto acaba ficando obcecado com a ideia de que o filme Fenômenos Paranormais possa ser real. Junto de alguns amigos, Alex começa a investigar sobre os atores que fizeram parte da produção, até decidir ir pessoalmente ao Hospital Psiquiátrico onde o filme foi rodado. No meio da noite, os jovens percebem que tudo o que assistiram é real e terão que usar o conhecimento do que viram no filme para poder sobreviver a um pesadelo interminável, que não te deixará sair.

O roteiro seguiu a ideia mais inesperada possível, focando em uma história onde o primeiro filme foi apenas... um filme. E isso é de conhecimento geral. Apesar do plot surpreender, não é original. Recentemente vimos quase a mesma coisa com A Centopéia Humana 2, que também trata o original justamente como ele é, uma produção cinematográfica. Mas nesta sequência, a "realidade" da primeira produção começa a ser questionada pelo protagonista. E se tudo aquilo que eles assistiram, de fato, era real? É se baseando nisso que a sequência ganha vida. Nem preciso dizer que a ideia é completamente absurda. Para confirmar isso, basta lembrar dos efeitos visuais toscos que gritam artificialidade.

Porém, os roteiristas sabem muito bem a pérola que eles têm nas mãos e conseguem trabalhar por um caminho satisfatório com ela. Mais uma vez, somos levados aos bastidores, onde recebemos algumas explicações necessárias de um produtor canastrão, onde conhecemos os Vicious Brothers (diretores do primeiro filme) e até mesmo uma explicação eficiente sobre os efeitos visuais usados. É divertido acompanhar esses detalhes, porque percebemos como os roteiristas puderam brincar com a situação proposta, assim como eles mesmos (já que os Vicious Brothers, apesar de cederem a cadeira de diretor, assinam o roteiro desta sequência também). Vale destacar que eles representam a si mesmos na tela, como mais uma piada interna da produção.

Para aqueles que forem assistir esta segunda parte em busca das respostas que ficaram faltando no primeiro filme, pode parar por aí mesmo. Nada é explicado, de fato. E ainda por cima, somos surpreendidos com diversas outras situações mirabolantes do roteiro. Não podemos levar nada a sério por aqui. Até porque, quem seria estúpido o suficiente para encontrar com um usuário chamado "A Morte Espera" no local onde os personagens do primeiro filme foram mortos? E sem contar que eles entraram no hospital convencidos que tudo o que assistiram era real, mas ninguém pensou que o mesmo destino trágico poderia acontecer com eles. Se eu for ficar falando sobre todos os furos, terei que criar mais uns 10 parágrafos. Vamos resumir apenas dizendo que sentido não é algo que vocês encontrarão aqui.

Os efeitos visuais e as assombrações seguem de forma semelhante aos apresentados no filme anterior, porém, dá para perceber que estão melhor produzidos. Alguns dos espíritos do original retornam e outros são introduzidos, como a entidade bizarra do pôster acima. A respeito do terceiro ato, não sei o que pensar, mas certamente irá dividir opiniões. Temos ainda um momento desnecessário, que ficou completamente fora de contexto, algo chupado diretamente do final de Evil Dead 2, mas definitivamente não caiu bem aqui. Achei uma sequência criativa e assistível. Quem não gostou do primeiro, certamente não irá gostar deste. Aos outros, resta a vocês saber se irão entrar nesse hospital de novo ou não.


Trailer Legendado:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
12 Comentários

Comentário(s)

12 comentários:

  1. vanessa vasconcelos reznor3 de dezembro de 2012 22:38

    deve ser uma merda igual ao primeiro,mas acabarei assistindo,sou mazoquista pra kramba.

    ResponderExcluir
  2. Esse filme é muito bom! achei bem melhor que o primeiro!

    ResponderExcluir
  3. Brincadeira isso, quando não é terror adolescente é found footage.
    Vamos piorar? Found footage com adolescentes na faculdade com celulares que nunca funcionam.
    Saudades do tempo dos Mondos.

    ResponderExcluir
  4. Eu gostei imenso dos dois filmes da saga "Grave Encounters", embora tenham algumas falhas estruturais. Achei o segundo superior ao primeiro, sinceramente teve todos os elementos para torná-lo uma óptima sequela. Não se podia pedir mais mesmo ;)

    Adoro o vosso blogue, venho cá quase todos os dias! Sou uma fiel seguidora. Continuem o excelente trabalho!

    Sarah
    http://depoisdocinema.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  5. Cara esse filme não presta o primeiro foi muito legal e assustador na minha opiniao mas esse filme é um lixo e pra piorar no final do filme eles dizem que o primeiro nao é real aff

    ResponderExcluir
  6. Se não fosse aquele terceiro ato totalmente "tenso", o filme se sairia melhor... Enfim, destaco as duas primeiras mortes ;)

    ResponderExcluir
  7. gostei no começo pensei em nem assisti pois eu pensei que era só como filme de adolecente mimado mais quando eles entram no hospital fica muito melhor

    ResponderExcluir
  8. gostei no começo pensei em nem assisti pois eu pensei que era só como filme de adolecente mimado mais quando eles entram no hospital fica muito melhor

    ResponderExcluir
  9. Uma bosta, não percam tempo assistindo isso aí.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comi a tua mãe, aquela puta

      Excluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Melhor filme de terror que já assisti na minha vida , parabéns aos atores foram excelentes , adorei cada cena , muito suspense , no começo não gostei tanto , mas quando eles entram naquele prédio , fica tenso , Amei !! Top d+

    ResponderExcluir