segunda-feira, 19 de novembro de 2012

[Crítica] Suburgatory - 2x05: The Wishbone

Adivinha quem vem para o jantar?

Review:
(Spoilers Abaixo)

Gobble, Gobble, moradores de Suburgatory. Como vocês sabem, estamos naquela época do ano em que só o que as séries querem fazer é um especial. Seja pro Halloween, Natal ou Ano Novo, vira e mexe tudo fica em clima de festa. E com Suburgatory não podia ser diferente. O feriado escolhido foi o dia de Ação de Graças, um dos mais importantes nos Estados Unidos, e também, um dos poucos que a cultura estereotipada de Chatswin não modificou. Se morar no subúrbio não fosse mais uma tortura medieval, Tessa Altman com certeza ficaria feliz em agradecer por isso.

Tudo começa quando ela resolve dizer a George que foi convidada pra passar o dia de Ação de Graças com a avó e a mãe em Nova York, mesmo que tivesse que quebrar sua tradição. Ele compreende a decisão da filha, mas fica com um pé atrás, pois tem medo que ela possa se decepcionar. E mesmo com essa possibilidade, Tessa decide ir até o jantar, sem saber que sua mãe estava a caminho de Chatswin, e do jantar de ação de graças mais caro que George já preparou.

Sentiram a vibe? Pois é, o episódio teve uma carga excessiva de drama, mas confesso que adorei o resultado final. Não foi como a Season finale, onde não teve espaço algum pras risadas. O episódio conseguiu aplicar a dosagem certa de drama e comédia sem perder o foco em nenhum momento, nem mesmo naqueles que exigiam um pouco mais de seriedade. É a famosa tragi-comédia, mas dessa vez, não tão trágica. Acho que de uma forma ou de outra – e apenas na casa dos Altman – o dia de ação de graças foi bastante produtivo, e trouxe coisas boas.

Como por exemplo, a mãe de Tessa, que atravessou o mundo só para que pudesse conhecer a filha. Não esperava que fossem trabalhar o arco central tão cedo, mas ela foi muito bem introduzida, e já chegou quebrando todos os clichês. Pra começar, ela não era a bruxa que abandou o marido e a filha pra ser vida loka como todos achavam. Ela era apenas uma mulher jovem, que apreciava sua liberdade e achava que a filha poderia ser mais feliz sem ela. Claro que nada foi explicado, mas já podemos tirar nossas próprias conclusões apenas avaliando sua personalidade agitada.
Agora já sabemos pra quem a Tessa puxou, né? Além dos cabelos ruivos e da carência, elas também têm o mesmo gosto musical, as mesmas ideias estranhas e o mesmo senso de humor que os habitantes de Chatswin não compreendem. Por mim ela já poderia assinar um contrato pra se tornar uma personagem regular, mas como precisamos de drama, isso não pode acontecer tão cedo. Aliás, o que Dallas acharia se George voltasse a dividir o teto com a ex mulher? Ela é esquizofrênica, mas não é imune ao ciúmes, hahaha!

Agora vamos esquecer todo esse drama pra falar um pouco de seus queridos vizinhos. Se tem uma família que sabe comemorar o dia de Ação de Graças, com certeza é a família Shay. Eram eles que quebravam a tensão quando as situações ficavam sérias demais, sempre nos fazendo dar risadas com seu modo de vida peculiar. Dessa vez, eles resolveram chamar Malik para passar o dia de Ação de Graças com a família, sem saber que aquele era o pior pesadelo de Lisa.

Esse conflito entre ela e sua mãe está ficando cada vez mais divertido. E vai ser sempre muito bem vindo, apesar de ter tomado proporções catastróficas essa semana. A amizade entre Malik e sua família acabou custando seu namoro com Lisa, então, acho que vem mais uma carga enorme de drama por aí, como se já não bastasse o retorno da mamãe do ano na casa do outro lado da rua. Bom, só espero que façam isso de maneira divertida como fizeram essa semana. Ainda bem que Suburgatory nunca me decepciona.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários: