segunda-feira, 5 de novembro de 2012

[Crítica] Nashville - 1x04: We Live In Two Different Worlds


Tantos cabos diferentes. Todos ligados numa só tomada.

Review:
(Spoiles Abaixo)

Esse episódio foi ótimo. Adorei, adorei. Primeiro porque mostrou uma Barnes na qual eu tô começando a gostar, mostrou que a inveja dói, e mostrou que se a gente ama a pessoa, e a pessoa ama a gente, temos mais é que ficar com aquela pessoa que realmente nos AMA. E amor aqui é essencial.

Vou falar primeiro do drama Rayna-Deacon-Teddy. Rayna AMA Deacon, e não entendo por quê ela não larga a mala do Teddy e fica com ele de uma vez. Claro, os roteiristas vão deixar isso pro final de temporada, e se tiver uma segunda (que eu torço pra ter!) os assuntos serão melhores pra abordar. Primeiro a gente tem que conhecer o terreno. E conhecemos nesse episódio a AMANTE de Teddy (é com Y? Se não for foda-se) a Miss Peggy (Piggy? HAHA) a tansa do momento. Não gostei dela. Vocês sabem que quando eu não gosto, não adianta. A Barnes tá começando a me convencer mas é porque o drama dela também tá forte. Mãs, falando ainda em Rayna. O empresário dela chamou Deacon pra tocar pra ela no CountryClub, lá onde a ~corja~ da política se reúne. Rayna foi fazer um ~santo~ e fez um ~morcego~ como diria minha Vó. Foi ajudar e Deacon se encontrando com Teddy no backstage, deu merda. Rolou estresse, rolou falatório e o climão causou. Rayna disse que vai demitir Deacon, dúvido muito, vamos acompanhar.

A estrela do episódio, sem dúvidas foi Juliette Barnes. Tá bom pra vocês agora? Foi ótima a atenção e todo esse drama dela não aceitar a mãe, desconfiar da mãe e acabar pegando uma foto da infância dela (OWN) foi realmente emocionante. E mesmo que clichê, acabou sendo forte. O empresário querendo a comparar com as grandes estrelas que não precisavam de barraco ou então notícias falsas pra sempre estarem no auge. Barnes aprendeu mesmo da pior maneira, como empresários se voltando contra ela, turnês indo pro beleléu, entrevistadora jogando o passado da mãe e a mãe de presente na cara dela na hora da entrevista. Ela começou tão chatinha, mas tão chatinha e irritante pra mim que agora tô começando a curtir que Deacon vá pro lado dela. Rayna também é exemplo de escolhas erradas. Por isso as duas são tão parecidas, eu espero de coração que em breve elas façam amizade e se unam contra as vagabundas da série. Espero.

Scarlett tá tomando no cu bonito. E ainda nem é por prazer, é de dor mesmo. Tadinha. Avery é o namorado invejoso. O namorado pobre e tanso que nunca vai se dar bem HAHAHA, sério, não gosto dele. Nem um pouquinho. Já Gunnar, enfim, se deu bem. A vadiazinha da gravadora foi lá, viu que ele era gato e resolveu se galinhar. Eu no lugar dela, faria o mesmo. Apesar que Gunnar lembra um ex de uma amiga. E o Teddy o sorriso dele o de um ex meu. Aff. Bem, voltando. Scar tadinha se empolgou no jantar com a produtora da gravadora, e Avery não gostou nadinha. Por que? Porque é um invejoso filho da puta. E como diz Deacon, se ele não insistir e não correr atrás, vai ficar no caminho. E espero que seja bem isso que aconteça. A menina tadinha não merece sofrer por um babaca desse. Aí, a vadiazinha comeu Gunnar. Eu comeria também. E Scar viu os dois. OIN. Tadinha. Agora se ela descobrir que Gunnar vale a pena, ela vai tomar bonito de novo! Quem manda ser bobinha né? A vida é issaí mesmo.

Não tivemos música quase nesse episódio, fez falta. Espero ver Shania Twain logo na série. Alguém convida ela plis? AMO. Você aí que curtiu o episódio, cola aqui e comenta.

Boa semana pra todo mundo.

bêj.

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário