quinta-feira, 15 de novembro de 2012

[Crítica] The Hamiltons


Direção: Mitchell Altieri & Phil Flores
Ano: 2006
País: EUA
Duração: 86 minutos
Título no Brasil: Anjos da Morte

Crítica:

O lamento deles é a sua dor.

Este filme foi lançado direto em DVD no Brasil pela Europa Filmes, com o medonho título de Anjos da Morte. Sem grande comoção, passou batido pela maioria dos fãs do gênero. Alguns podem até ter assistido (Para ver a capa do DVD Nacional e refrescar a memória, clique AQUI), mas simplesmente não se lembram. Confesso que não é um filme marcante, mas não é de todo ruim, na verdade, temos alguns elementos bem interessantes. E por que eu estou ressuscitando este filme agora? Porque acabou de ganhar uma sequência, The Thompsons! E este é o motivo para o título original estar no lugar topo da postagem,afinal, é bem provável que a segunda parte ganhe outro título ou até mesmo nem seja lançada por aqui. Então decidi manter a postagem assim, para uma melhor organização.

A história deste filme gira em torno de uma família que está tentando se encaixar em uma nova casa. Mas acontece que eles não formam uma família comum. São monstros, vampiros, precisam de sangue para sobreviver. Enquanto o líder da família tenta manter as aparências, outros dois não parecem se preocupar com o rastro de sangue que deixam. Em paralelo a isso, seguimos o drama do outro irmão, Francis, que ainda não se transformou e começa a desenvolver uma espécie de amizade especial com uma das futuras vítimas dos seus irmãos. Agora, o atormentado garoto terá que fazer uma importante decisão: Se juntar a família e aceitar a monstruosidade dentro de si ou ajudar a garota que gosta e fazer o que acha certo.

Apesar da sinopse ter parecido um pouco água com açúcar, eu garanto que "romance" é o que menos encontramos aqui. Antes de começar a falar sobre as qualidades e defeitos em geral, quero expor uma outra curiosidade. The Hamiltons foi um dos oito filmes selecionados para a primeira edição do Horrorfest (8 Films To Die For.). É um festival de filmes de terror independentes que acontece todos os anos. Atualmente, o título do festival foi alterado para After Dark Originals, pois só aceita produções originais (descartando sequências ou remakes). Em 2013, o festival irá realizar sua segunda edição com o novo formato e mais oito filmes originais serão escolhidos.

Agora voltando a falar sobre o filme da crítica, confesso que achei uma produção interessante. Não estou dizendo que é uma das melhores do gênero, mas reconheço que os diretores conseguiram realizar com ótimo trabalho com um orçamento bem limitado. Histórias com vampiros existem aos montes, ainda mais atualmente, que acabou virando febre. Então fazer algo que se destaque dentro deste universo não é fácil, principalmente quando já vimos praticamente de tudo sobre esses seres. Por isso, uma das escolhas certas do roteiro, foi nos apresentar uma família não convencional, tentando viver na sombra da sociedade, mesmo com o seu segredo.

 Outro fato interessante, é o modo como o roteiro trata o vampirismo. Nesta produção, eles não são super-vilões com poderes absolutamente superiores e indestrutíveis. O vampirismo é tratado como se fosse uma doença qualquer. Os personagens principais não mordem suas vítimas, optando por extrair o sangue delas e beber como uma pessoa civilizada, no copo. Os conflitos e dramas familiares também são válidos aqui. Não há nada convencional em uma cena onde irmãos brigam porque estão matando demais e levantando muita suspeita. Os personagens até que são carismáticos, principalmente os gêmeos. Bem, isso se vocês não se importarem em torcer pelos vilões. Mas eles são os mais divertidos. De longe.

Uma subtrama que pode colocar medo em alguns, é a do irmão mais novo, querendo salvar uma de sua vítimas e negando os seus próprios familiares. Temos diversos momentos chatos e até demora bastante para acontecer alguma coisa. Mas valeu a pena esperar porque não terminou de uma forma clichê, onde tudo fica bem e o bonzinho sempre vence e fica com a garota. Mais uma vez, a família falou mais alto e foi mais uma decisão acertada do roteiro. Eles são ótimos juntos e o filme consegue fechar acima da média. Mas não esperem por cenas de violência gráficas ou um ritmo mais acelerado, porque não irá encontrar nada disso aqui. O tom é mais sutil e o drama prevalece em algumas cenas.


Trailer:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. vanessa vasconcelos reznor15 de novembro de 2012 22:00

    esse filme foi diferente,mas bem interessante,e o mais macabro é que eles parecem normais,apesar de serem psicopatas sedentos por sangue.

    ResponderExcluir